É com profunda tristeza que  comunicamos aos leitores de Entre-textos o falecimento no início desta tarde do escritor  Artur da Távola, consagrado cronista e jornalista cultural dinâmico, também coladorador deste site . Suas crônicas, recheadas de lirismo e criticidade, estão entre os textos mais lidos aqui. Consternado, Entre-textos estende votos de pesar aos familiares e a todos os leitores do admirável escritor.

Com o título "morre Artur da Távola", o Globoonline, noticiou às 15h e 14 min, o falecimento do crônista. Veja a matéria

RIO - Morreu nesta sexta-feira, aos 72 anos, o ex-senador, jornalista e escritor Artur da Távola, pseudônimo de Paulo Alberto Moretzsoh Monteiro de Barros. 

 O ex-senador sofria há alguns anos de problemas cardíacos e morreu por volta das 14h desta sexta-feira, em Copacabana, zona sul do Rio. Deixa três filhos.

Nascido no Rio de Janeiro, em 3 de janeiro de 1936, filho de Paulo de Deus Moretzsohn Monteiro de Barros e de Magdalena Koff Monteiro de Barros, formou-se em direito pela PUC do Rio. Especialista em Educação, formado pelo Centro Latino-americano de Formación de Especialistas en Educación (CLAFEE) ele exerceu as funções de professor da Escola de Jornalismo da Fundação Gama Filho, em 1960.

Cronista regular, a partir de 1968, sucessivamente nos jornais "Última Hora", "O Globo", "O Dia"e também na revista "Fatos e Fotos".

Senador eleito pelo PSDB em 1994, em agosto de 1999, Artur da Távola anunciou o desligamento do partido. Na ocasião, dissera que o partido e o governo de Fernando Henrique tinham abandonado os princípios da social-democracia para assumir uma feição conservadora. Foi deputado constituinte, sendo em 1986 o mais votado pelo PMDB do Rio.  

Para saber mais sobre o autor acesse:

www.fernandaguimaraes.com.br/textos/artur/apr...

www.arturdatavola.com/

 

 

>