POSTADO POR ROGEL SAMUEL

ABAIXO, CARTA DE CARLOS DE ARAUJO LIMA A EVARISTO DE MORAES FILHO NA QUAL AS ORIGENS AMAZÔNICAS DO PRIMEIRO SÃO EVOCADAS [JÁ APOSENTADO, MAS ESCREVENDO LIVROS E PRODUZINDO ARTIGOS PARA A TRIBUNA DA IMPRENSA, DO RIO, AFIRMA O DR. ARAUJO LIMA A SEU COLEGA E AMIGO, DR. EVARISTO DE MORAES FILHO (o Evaristão): "NUNCA TRABALHEI E ESTUDEI TANTO!"]

 

  

EM DESTAQUE, NA TELA, ESTÁ A IMAGEM DE UMA DAS FACES DA COBIÇADA MEDALHA

TEIXEIRA DE FREITAS, DO IAB - RIO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PRÊMIO AOS GRANDES JURISTAS BRASILEIROS: EM SEGUNDO PLANO,

AMPLIADA, ESTÁ UMA REPRODUÇÃO FOTOGRÁFICA DA MEDALHA TEIXEIRA DE

FREITAS, DO IAB (INSTITUTO DOS ADVOGADOS DO BRASIL), PRÊMIO QUE

CARLOS DE ARAUJO LIMA, FALECIDO TIO DO COLUNISTA DA "RECONTANDO...",

RECEBEU, EM 1991, NO AUDITÓRIO DO AIB - RIO DE JANEIRO

(A LEGENDA É DESTA COLUNA, MAS A FOTOGRAFIA ESTÁ REPRODUZIDA EM

http://www.iabnacional.org.br/IMG/jpg/doc-2193.jpg; QUANDO O NOME DO

ADVOGADO, MEMBRO DO IAB, QUE DISCURSA FOR DESCOBERTO, SERÁ AQUI

INFORMADO; "dicas" concernentes, por favor, transmita, mandando e-mail para

[email protected]

===

RELAÇÃO DOS JURISTAS AGRACIADOS PELO IAB COM A MEDALHA TEIXEIRA DE FREITAS

"Medalha Teixeira de Freitas 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 


É atribuição do Conselho Superior, conceder, bienalmente, a Medalha Teixeira de Freitas.

Na concessão da Medalha, o Conselho Superior levará em conta o conjunto dos trabalhos publicados produzidos pelo agraciado, bem como sua contribuição ao Direito e à Justiça.

A Medalha Teixeira de Freitas e o Diploma que certifica sua concessão serão entregues em sessão solene do Instituto, na qual a saudação da Entidade será proferida por seu Orador Oficial, ou por quem para tanto escolhido pelo agraciado ou por sua família.

 

Regimento Interno

 

Art. 63. De dois em dois anos, no período que vai de 1°. de maio a 15 de novembro, o Conselho Superior será convocado pelo Presidente, para indicar o jurista a quem se concederá a Medalha Teixeira de Freitas.

Art. 64. A Medalha Teixeira de Freitas não poderá ser outorgada à mesma pessoa mais de uma vez.

Art. 65. Na concessão da Medalha, o Conselho Superior levará em conta o conjunto dos trabalhos publicados produzidos pelo agraciado, bem como sua contribuição ao Direito e à Justiça.

Art. 66. Não será concedida mais de uma Medalha Teixeira de Freitas a cada biênio.

Art. 67. Qualquer membro do Conselho poderá, fundamentadamente, indicar nome para concessão da Medalha Teixeira de Freitas.

Parágrafo Único. Cada indicação constituirá um processo, podendo o Presidente designar Relator, para levar, em síntese, ao conhecimento do Conselho, os dados fundamentais pertinentes a cada candidato.

Art. 68. A Medalha Teixeira de Freitas somente será concedida se o escolhido obtiver, no mínimo, a maioria absoluta dos votos dos Conselheiros presentes ou indicantes, desprezados os votos nulos mas considerados os votos em branco.

§ 1º Não alcançada na votação maioria absoluta, proceder-se-á a novo escrutínio, ao qual só concorrerão os dois nomes mais votados no primeiro turno, sendo agora bastante a maioria simples dos votos dos Conselheiros, desprezados os votos nulos mas considerados os votos em branco.

§ 2º Havendo somente uma indicação, uma vez não alcançada na votação maioria absoluta deixará de ser atribuída, naquele biênio, a Medalha Teixeira de Freitas.

Art. 69. A Medalha Teixeira de Freitas poderá ser concedida postumamente, fazendo-se a entrega à família do falecido ou a quem por ela indicado.

Art. 70. A Medalha Teixeira de Freitas e o Diploma que certifica sua concessão serão entregues em sessão solene do Instituto, na qual a saudação da Entidade será proferida por seu Orador Oficial, ou por quem para tanto escolhido pelo agraciado ou por sua família (art. 69).

 

Medalhas concedidas


 

 

Nome

Ano


 
 

 

1.

 


 

 

 

Clovis Bevilacqua

 

 

1929

 


 
 

 

4.

 


 

 

 

Eduardo Espínola

 

 

1936

 


 
 

 

5.

 


 

 

 

Levy Carneiro

 

 

1937

 


 
 

 

6.

 


 

 

 

Miguel Seabra Fagundes

 

 

1951

 


 
 

 

7.

 


 

 

 

Carlos Maximiliano

 

 

1952

 


 
 

 

8.

 


 

 

 

Waldemar Martins Ferreira

 

 

1955

 


 
 

 

9.

 


 

 

 

Orozimbo Nonato

 

 

1956

 


 
 

 

10.

 


 

 

 

Nelson Hungria

 

 

1957

 


 
 

 

11.

 


 

 

 

Haroldo Valladão

 

 

1958

 


 
 

 

12.

 


 

 

 

Sampaio Dória

 

 

1959

 


 
 

 

13.

 


 

 

 

Pontes De Miranda

 

 

1960

 


 
 

 

14.

 


 

 

 

Caio Mário Da Silva Pereira

 

 

1961

 


 
 

 

15.

 


 

 

 

Trajano De Miranda Valverde

 

 

1962

 


 
 

 

16.

 


 

 

 

José Carlos De Mattos Peixoto

 

 

1963

 


 
 

 

17.

 


 

 

 

Roberto Lyra

 

 

1966

 


 
 

 

18.

 


 

 

 

Rui Cirne Lima

 

 

1967

 


 
 

 

19.

 


 

 

 

Miguel Reale

 

 

1968

 


 
 

 

20.

 


 

 

 

Themistocles Brandão Cavalcante

 

 

1969

 


 
 

 

21.

 


 

 

 

Délio Maranhão

 

 

1970

 


 
 

 

22.

 


 

 

 

Silvio Augusto De Bastos Meira

 

 

1971

 


 
 

 

23.

 


 

 

 

Heráclito Sobral Pinto

 

 

1973

 


 
 

 

24.

 


 

 

 

Orlando Gomes

 

 

1974

 


 
 

 

25.

 


 

 

 

João De Oliveira Filho

 

 

1975

 


 
 

 

26.

 


 

 

 

Afonso Arinos De Mello Franco

 

 

1976

 


 
 

 

27.

 


 

 

 

Lourival Villanova

 

 

1977

 


 
 

 

28.

 


 

 

 

Otto De Andrade Gil

 

 

1978

 


 
 

 

29.

 


 

 

 

José Frederico Marques

 

 

1979

 


 
 

 

30.

 


 

 

 

Clovis Ramalhete Maia

 

 

1980

 


 
 

 

31.

 


 

 

 

Egas Dirceu Moniz De Aragão

 

 

1981

 


 
 

 

32.

 


 

 

 

Nelson Carneiro

 

 

1982

 


 
 

 

33.

 


 

 

 

Theophilo De Azeredo Santos

 

 

1983

 


 
 

 

34.

 


 

 

 

Evaristo De Moraes

 

 

1984

 


 
 

 

35.

 


 

 

 

Victor Nunes Leal

 

 

1985

 


 
 

 

36.

 


 

 

 

José De Aguiar Dias

 

 

1986

 


 
 

 

37.

 


 

 

 

Raymundo Faoro

 

 

1987

 


 
 

 

38.

 


 

 

 

Caio Tácito Sá Vianna P. De Vasconcellos

 

 

1988

 


 
 

 

39.

 


 

 

 

Afranio De Carvalho

 

 

1989

 


 
 

 

40.

 


 

 

 

José Carlos Barbosa Moreira

 

 

1990

 


 
 

 

41.

 


 

 

 

Carlos D. [Dagoberto] De Araújo Lima

 

 

1991

 


 
 

 

42.

 


 

 

 

Evandro Cavalcanti Lins E Silva

 

 

1992

 


 
 

 

43.

 


 

 

 

Barbosa Lima Sobrinho

 

 

1993

 


 
 

 

44.

 


 

 

 

Fábio Konder Comparato

 

 

1994

 


 
 

 

45.

 


 

 

 

Ricardo Cesar Pereira Lira

 

 

1995

 


 
 

 

46.

 


 

 

 

Arnaldo Lopes Süssekind

 

 

1996

 


 
 

 

47.

 


 

 

 

Sérgio Ferraz

 

 

1997

 


 
 

 

48.

 


 

 

 

Paulo Bonavides

 

 

1998

 


 
 

 

49.

 


 

 

 

Benedito Calheiros Bomfim

 

 

2000

 


 
 

 

50.

 


 

 

 

Eros Roberto Grau

 

 

2002

 


 
 

 

51.

 


 

 

 

Dalmo De Abreu Dallari

 

 

2005

 


 
 

 

52.

 


 

 

 

Hermann Assis Baeta

 

 

2007

 


 
 

 

53.

 


 

 

 

Eduardo Seabra Fagundes

 

 

2009

 


 

 

Acesse o discurso"

 

 (http://www.iabnacional.org.br/rubrique.php3?id_rubrique=9)