A frente ao dominio da sensualidade, é a Serenidade.
 Um trunfo na mão: o Anahata, o chakra do Coração.  O Anahata, é um grande guerreiro, Eros, o deus do Amor, é um combatente imbativel, mas não age sem a Sabedoria, que ele na verdade, é quem verdadeiramente a ilumina.
 
Estou dizendo tudo isso, por causa do despertar da Kundalini, na extremidade da coluna vertebral.  Depois que Eros reger a Orquestra dos Sentidos, penetramos na Serenidade; e ela é o equilibrio e nada pode estremece-la. 
A Sensualidade, não esfacela a Serenidade; é uma beleza de fundo, um canto de galo longinquo, que não perturba a chegada da Aurora.
Toda a Suavidade do Mundo, com cada ornamento seu, em seus lugares, assiste o deslizar da Sensualidade despertando o palpitar da criação, e se despedindo para o Desconhecido do Universo.
O Sexo não é o monstro como as vezes é tratado, às vezes chamado de "Tentação".
O Ser Humano tem poder sobre tudo, em si mesmo, zelando pela Serenidade e Sabedoria.  Os chackras têm que dar ao ser humano, o equilibrio da Natureza, e, o equilibrio, abre as portas para a Serenidade que é a melodia do Universo.  O Amor é o Coração da Criação e o Ambiente Constante para o reflexo de Deus.