Rota Sagrada

 

Como comandar o Templo, à que pertenço?
O Templo é grandioso, erigido ao Deus dos deuses.
Sobre minha cabeça, a responsabilidade "de toda minha", ou minha entrega ao Sacrificio pelo que não pude realizar na Perfeição que era requerida.
Na porta do Templo, retirei os trajes que me vestiam, e, desnuda, vesti outros, para que todo passado de lutas, angústias, vigilancia pelo aperfeiçoamento, entrasse na Nave Sagrada, em outro Estado Adquirido pela luta da Alma, pelo Espirito.
O Humano, ficou sobre a Terra, rasgado pelo Vento, molhado pelas Tempestades, saudoso de um amor que desapareceu na Voragem do Tempo, mas, que eu tinha certeza de que podia ter realizado nele, nesse amor, a sensualidade desmanchada em pedaços.
O Amor, limpo, pesado, como o Coração retirado do corpo humano, será colocado no Altar Principal do Rei dos Deuses, e, minha Alma, ainda um pouco, só um pouquinho,
velará pelo desaparecimento do meu Eu, de tal maneira em Deus, que meu Espirito será confundido com a Luz Eterna.
                                                             clarisse de oliveira