"O Nirvana do Tathagata encontra-se onde é reconhecido não haver nada, mas o que se vê do proprio espírito.  Está no reconhecimento da natureza do proprio espírito, não alimenta mais os dualismos de discriminação, como também está onde não há mais sêde nem avidez e onde não mais existe apêgo às cousas externas.  O Nirvana está onde o espírito pensante, com tôdas as suas discriminações, afeições, aversões e egoismos já desapareceu para sempre; onde as medidas lógicas, parecendo inertes, não são mais confiscadas ; está mesmo onde a noção da verdade é tratada com indiferença, por causar atrapalhação; é encontrada onde, livrando-se das quatro propostas, há conhecimento profundo no prognostico da Realidade.  O Nirvana está onde as paixões duplas estão e os obstaculos duplicados são afastados e o duplo ego é pacientemente aceito.  Está também onde, no mais profundo recanto da consciencia , quando se atinge "a volta", na realização pessoal da Nobre Sabedoria - eis o Nirvana dos Tathagatas.
Sabedoria da India - Lin Yutang
                                   ....................................................
quando se atinge "a volta", na realização pessoal da Nobre Sabedoria -
- porque, "a volta" é o confronto com o Desconhecido de Si Mesmo, portanto a Realidade,
porque, não existe o "caminho que vai para longe", o "caminho está sempre em frente",
mas o percurso é ilusório.
O Confronto, nos leva à Realidade, porque o Conhecimento, é apenas Esperança.
A Verdade é Deus, não pertence ao homem.
Deixemos que o Coração em sua palpitação, traga ao ser humano o conforto provisorio para a Verdade - é disso que o homem tem que viver.
                                                                 clarisse