[Flávio Bittencourt]

Nº 2 - Boletim da regional RECORTE da associação de comunicação e semiótica

Regional Centro-Oeste/Norte (Recorte) / FORMOSA/GO, 1º de abril de 2013.

 

 

 

 

 

 

CAPA DA REVISTA BRASILEIRA FRANCISQUINHO,

publicada por ===em edição===, em...

 

 

 

 

 

 

POVO NA BILHETERIA DAS BARCAS RIO-NITERÓI

(http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2010/11/26/medo-de-incendios-criminosos-faz-balsa-para-niteroi-ter-fluxo-de-feriado-prolongado.htm) 

 

 

 

 

 

FOTO TREMIDA DO NOVO BISPO DE ROMA:

O ÔNIBUS ESTAVA EM MOVIMENTO:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

foto Dr. G. Dorfles  ===aqui===

 

 

 

 

 

 

O MÉDICO-PENSADOR DR. GILLO DORFLES (103 anos de idade em 12.4.2013):

EM MILÃO, SAI ACOMPANHADO APENAS DE BENGALA E LIVRO, PARA LER NA

CONDUÇÃO PÚBLICA [O Papa também prefere locomover-se nos transportes

das massas peregrinas: trem, metrô, ônibus, barca transguanabarina [se fosse

o caso], navio grande e não iate particular, pequeno (se não fosse o do falecido

Aristóteles Onassis, que não era pequeno...), avião "coletivo", como quase

todos nós, que preferimos os hábitos do outro Aristóteles, O ESTAGIRITA]
 

 

 

 

 

 

 

CHACOALHANDO NO ONIBUS COM SUBORDINADOS HIERÁRQUICOS QUE

DEMONSTRAM ALEGRIA, O PAPA NOS CONDUZ SEM ESTAR DIRIGINDO O

VEÍCULO:

(http://meiradopt.blogspot.com.br/2013/03/brasileiro-vai-de-onibus-com-o-papa.html)

 

 

 

 

 

 

(http://www.comshalom.org/blog/carmadelio/33886-um-milhao-de-bilhetes-do-metro-e-onibus-de-roma-com-saudacoes-ao-papa-francisco)

 

 

 

 

 

 

 

foto aniversário G. Dorfles ===aqui===

 

 

 

 

 

 

As barcas utilizadas diariamente como meio de transporte

As barcas utilizadas diariamente como meio de transporte 
Foto: Divulgação

 

(http://webventure.virgula.uol.com.br/bike/n/rio-melhora-um-pouco-condicoes-para-usuario-de-bike/31147)

 

 

 

 

 

PASSANDO DA TRAVESSIA RIO-NITERÓI (BRASIL) A SEATTLE (EUA) -

BILHETERIA DAS BARCAÇAS DAQUELA METRÓPOLE DO EXTREMO NOROESTE

DOS ESTADOS UNIDOS:

(http://seattletimes.com/html/localnews/2012475284_totem29m.html)

ACIMA: BELÍSSIMO TOTEM DE SEATTLE, ESSA GRANDE PEÇA ETNO-HISTÓRICA MARAVILHOSA

FOI FURTADA E DEVOLVIDA, RECENTEMENTE: MUITO VALORIZADA POR SER INTEGRANTE

DO ACERVO PATRIMONIAL DO POVO DAQUELA REGIÃO, É PONTO DE VISITAÇÃO TURÍSTICA E

ESCOLAR DA CIDADE, ONDE MILHÕES DE FOTOGRAFIAS SÃO CAPTADAS E CONSERVADAS COMO

LEMBRANÇA DE VIAGEM OU DE ESPLÊNDIDA AULA AO AR LIVRE, NA TRADIÇÃO

GREGO-CLÁSSICA (DOS DIÁLOGOS COM O PENSADOR PLATÃO DE ATENAS,

POR EXEMPLO):

 

 

 

 Jacaré foi encontrado por moradores de Boa Vista, em Itaipu, Região Oceânica de Niterói. Foto: Marcelo FeitosaJacaré foi encontrado por moradores de Boa Vista, em Itaipu, Região Oceânica de Niterói. Foto: Marcelo FeitosaJacaré foi encontrado por moradores de Boa Vista, em Itaipu, Região Oceânica de Niterói. Foto: Marcelo Feitosa

(http://www.ofluminense.com.br/editorias/cidades/jacare-ameaca-moradores-de-itaipu-na-regiao-oceanica-de-niteroi) 

 

 

 

 

 

 

Curiosidades da Marca Lacoste

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(http://www.fashionbubbles.com/historia-da-moda/curiosidades-da-marca-lacoste/)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Jacaré

 

Jacaré em discussão. Um encontro de especialistas em crocodilos acontecerá em Manaus em setembro do próximo ano [2010]. A informação é da gerente de apoio à utilização de animais silvestres, Sônia Canto, da Secretaria de Produção Rural. Em 40 anos, essa é a primeira vez que o Brasil vai sediar o encontro – o XX Working Meeting of the Crocodile Specialist Group IUCN/SSC. Graças a uma decisão tomada no último encontro do grupo, realizado na Colômbia, de iniciativa da União Internacional da Conservação da Natureza (IUNC). De dois em dois anos,os maiores especialistas em crocodilos do mundo se reúnem nos países onde há jacarés, 'para discutir aspectos relacionados à conservação dos crocodilos e à apresentação de projetos'. No último encontro de especialistas, o Brasil não apresentou estudos nem dados sobre os animais existentes no seu território. Houve uma época em que Gilberto Mestrinho, três vezes governador do Estado, enfurecia os ecologistas ao defender a captura de jacarés, pela enorme quantidade e pelos ataques aos ribeirinhos. Ultimamente o governo do Estado propõe o manejo do jacaré. Será que Mestrinho não podia ser convidado?".  

Raimundo Holanda, 7 de junho de 2009. 

 

 

(Apud http://www.portalentretextos.com.br/colunas/recontando-estorias-do-dominio-publico/senado-federal-homenagem-a-memoria-de-gilberto-mestrinho,236,2501.html)

 

 

 

 

 

 

 

"QUANDO EU ERA PEQUENO, HAVIA O AUTORAMA.  NÃO GANHEI UM, MAS TIVE UM TRENZINHO ELÉTRICO, CUJO PREÇO EU ACHO QUE EQUIVALIA, NÃO SEI EXATAMENTE...  MEUS PAIS FALAVAM MUITO MAIS DE PARIS, ROMA E BUENOS AIRES DO QUE DE NOVA IORQUE, WASHINGTON OU LOS ANGELES.  DE LAS VEGAS, ALIÁS, NUNCA FALAVAM, ACHO QUE TEMIAM PERDER FACILMENTE DINHEIRO CONQUISTADO COM SACRIFÍCIO, DURANTE ANOS E ANOS.  FALAVAM MAIS DE LITERATURA BRASILEIRA (JORGE AMADO, ERICO VERÍSSIMO, MONTEIRO LOBATO) DO QUE DA ESTRANGEIRA, MAIS DA NATUREZA AMAZÔNICA DO QUE DAS NEVES DO KILIMANJARO (EMBORA FOSSEM ASSISTIR AO FILME, É CLARO), OU SEJA:FALAVAM MUITO MAIS DE TARTARUGAS, ONÇAS E JACARÉS [*] DO QUE DE HIPOPÓTAMOS, RINOCERONTES E GIRAFAS.  ENTÃO, EU NÃO ME RECORDO SE FUI EU OU SE FORAM ELES OS RESPONSÁVEIS PELA PREFERÊNCIA DE TRENZINHO A AUTORAMA.  CONSCIENTE OU INCONCIENTEMENTE INFLUENCIARAM-ME, MAS EU SEI QUE EU GOSTAVA MUITO DAQUELE BRINQUEDO MARAVILHOSO, O TREM."

 
(IDEM)
 
[*] - Mas há um "totem" famoso, francês, da indústria de camisas esportivas... F. A. L. B.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
"QUEM ADORAVA UM TRENZINHO ERA O PROFESSOR MÁRIO YPIRANGA MONTEIRO,

EM MANAUS; SEU TRENZINHO AGORA É OBJETO DE CONTEMPLAÇÃO PÚBLICA EM

CENTRO CULTURAL DO CENTRO DA CIDADE!  AQUILO, SINCERAMENTE,
 
É A MARAVILHA DAS MARAVILHAS E IR A MANAUS E NÃO CONHECER AS
 
PEQUENINAS CIDADES E CAMPOS COM O COMBOIO ANDANDO NAQUELA
 
MAQUETE ESPETACULAR-DISNÉICA É COMO IR A ROMA E NÃO VER O
 
BISPO DE ROMA ARGENTINO!"
 
 
(IBIDEM)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
"O MUIRAQUITÃ É UM TOTEM AMAZÕNICO QUE SE TRANSFORMOU EM AMULETO"
 
MÁRIO YPIRANGA MONTEIRO,
cujo hobby era o ferreomodelismo!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
"A MARCA LACOSTE É UM MONUMENTAL "MUIRAQUITÃ" FRANCÊS [que já é
 
octogenário], MAS HÁ UM EVIDENTE PLEONASMO NESSA ASSERTIVA: TODOS OS

QUITÃS SÃO MONUMENTAIS, COMO SE SABE, A PROPÓSITO"
 
 
 
FLÁVIO A. L. BITTENCOURT
(Artigo especial para este Entretextos em:
http://www.portalentretextos.com.br/colunas/recontando-estorias-do-dominio-publico/senado-federal-homenagem-a-memoria-de-gilberto-mestrinho,236,2501.html)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

ARTESÃO DE SEATTLE, EUA:
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

===

 

 

 

"Jacaré ameaça moradores de Itaipu, na Região Oceânica de Niterói

 

Jacaré foi encontrado por moradores de Boa Vista, em Itaipu, Região Oceânica de Niterói. Foto: Marcelo Feitosa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por: Renan Santiago 23/03/2013

Animal com aproximadamente quatro metros já teria devorado um cachorro. População que vive no entorno de reserva particular em Boa Vista, teme possível ataque a crianças

 

Um jacaré com cerca de quatro metros está ameaçando moradores de uma reserva particular no bairro Boa Vista, em Itaipu. O animal apareceu no local há duas semanas e já devorou um dos cães que vivem na localidade. Moradores temem que ele ataque também crianças que moram no local.

No último dia 12, bombeiros estiveram no local para tentar capturar o jacaré, que está habitando um pequeno lago próximo à Lagoa de Itaipu. No entanto, o réptil submergiu e conseguiu escapar do cerco montado pelos bombeiros. 

Ontem, ele foi visto novamente rondando a região. Segundo Ernesto Lobato Maia, proprietário da reserva - que tem mais de 300 mil metros quadrados, vários órgãos de proteção a animais foram chamados, mas nenhum deles se prontificou a ir ao local para capturar o jacaré.

“Eu já tentei falar com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Ibama), com a Secretaria Municipal de Meio-Ambiente, mas não consigo ninguém para capturar esse jacaré. Ele apareceu aqui do nada, acho que ele deve ter vindo da Lagoa de Itaipu, que fica próxima da reserva. Esse bicho já matou um cachorro. O meu medo é que ele ataque um dos filhos do meu caseiro. Porque ele tem quatro  filhos pequenos e a casa fica muito próxima do lago. Se não fosse isso, eu deixava ele continuar na reserva”, declarou Ernesto Lobato.

O proprietário da reserva contou ainda que os homens do Corpo de Bombeiros tiveram dificuldades para capturar o animal.

“Eles disseram que só levariam o jacaré se alguém conseguisse capturá-lo em terra. Acho que os bombeiros ficaram com medo dele, porque deve ter uns quatro metros de comprimento e na água pode se tornar muito perigoso. Toda vez que eles tentavam amarrar o bicho, ele dava um bote e todo mundo saía correndo. Então eles me ensinaram a fazer uma armadilha e disseram que não podiam fazer mais nada”, completou.


O FLUMINENSE"

 

(http://www.ofluminense.com.br/editorias/cidades/jacare-ameaca-moradores-de-itaipu-na-regiao-oceanica-de-niteroi)

 

 

 

 

===

 

 

 

 

 

PERFUME FRANCÊS "LACOSTE":

 

(http://www.webluxo.com.br/menu/beleza/2009/lacoste-essential-collectors-perfume.htm)

 

 

 

 

 

(http://modamundoafora.wordpress.com/2012/04/15/lacoste/)

 

 

 

 

 

 

Curiosidades da Marca Lacoste

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(http://www.fashionbubbles.com/historia-da-moda/curiosidades-da-marca-lacoste/)

 

 

 

===

 

 

"ARTIGO

Um Crocodilo tenista na nova arca dos animais - Tributo ao amigo Gilberto Mestrinho 

por Flávio Araujo Lima Bittencourt

Especial para o Entre-textos

 
Sob o forte impacto da infausta notícia da morte de Gilberto Mestrinho, editei, na noite de 19 para 20 de julho de 2009, mensagem com sequência de cinco ilustrações, para ser comunicada via 
e-mail, homenageando a memória do Boto Navegador ["A Mestrinho", e-mail acima transcrito]. Na “mensagem eletrônica” por mim elaborada e transmitida a amigos e parentes, foi inserida uma legenda sob cada imagem reproduzida: charge (uma), logo ou desenho de marca de fabricante de camisas de tênis (um) e fotografias localizadas em pesquisa feita na Internet (três fotos), uma delas, em branco e preto, de julho de 1924, na qual aparece Ribeiro Júnior discursando ao povo de Manaus.  

Legenda "turbinada"

O presente artigo é a ampliação da segunda legenda, a respeito da marca registrada francesa, daquela comovida homenagem. A legenda original, sem os acréscimos informativos a seguir transmitidos, era a seguinte: “Marca de camisas pólo Lacoste, antigamente La Chemise Lacoste, da empresa fundada em 1933 pelo célebre tenista francês René ‘Le Crocodile’ Lacoste e o fabricante de gorros André Gillier”.  

Passo à ampliação da legenda "Marca (...) Lacoste (...)", esclarecendo que ela está comprimida em apenas um parágrafo, uma vez que, como espécie de vitaminada – como se dizia antigamente –  “nota de rodapé” ou, como agora se diz, turbinada, compreende-se assim a razão do diferente formato.

Jacaré francês que joga tênis

logo das camisas pólo Lacoste, antigamente La Chemise Lacoste, é a marca da empresa fundada em 1933 pelo célebre tenista francês René "Le Crocodile" Lacoste e o fabricante de gorros André Gillier, proprietário da não menos famosa marca francesa Jil; desenho da marca: Robert George; fontes:http://www.fashionbubbles.com/2008/curiosidades-da-marca-lacoste; sobre René Lacoste: http://www.fondationrenelacoste.org/renelacoste_fr.html; sobre A. Gillierhttp://www.jil.fr/depuis-1929/notre-histoire/naissance-d_une-marque!!21; de acordo com o eminente historiador amazonense Mário Ypiranga Monteiro (1909 - 2004), em depoimento a Flávio Araujo Lima Bittencourt (fev./2002, na residência do pesquisador Ypiranga Monteiro, em Manaus), os muiraquitãs (pingentes de pedra verde: jadeíta, amazonita, quartzo, nefrita etc.), geralmente batraquiformes, que possuem, em média, de 2 a 4 cm de altura, miniesculturas da arqueologia monumental brasileira que eram usados atravessados por corda fina para que pendessem adornando o pescoço "muitas vezes tiveram a forma do sapo aru [sapo pipa] como modelo, sendo uma espécie de totem que se tornou amuleto (M. YPIRANGA MONTEIRO, 2002)". Os quitãs podiam representar, também, as formas de pássaros, peixes, lagartixas e assim por diante. No romance Macunaíma, de Mário de Andrade, publicado em 1928, a sua forma é, como se sabe, a de um jacaré. Em razão disso, F. A. L. Bittencourt, autor da dissertação de mestrado em Comunicação e Semiótica intitulada Marcas registradas (PUC-SP, 1991), considera que a configuração visual (desenho) da marca francesa Lacoste faz dela um "muiraquitã" marcário, ou seja, um quitã publicitário, e, a partir da referida conceituação de Ypiranga Monteiro ("O muiraquitã é um totem que se tornou amuleto"), não foi difícil chegar à conclusão de que, sob o viés semiótico/antropológico, a marca da camisa de tênis Lacoste é um totem que se tornou marca de fábrica (YPIRANGA MONTEIRO/BITTENCOURT); a idéia de um totem como marca (publicitária) de fantasia, na terminologia do Direito da Propriedade Industrial e da esfera administrativa federal do registro de marcas (INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, no caso brasileiro), remete às origens pré-históricas, vale dizer, do homem "primitivo e selvagem" (selvagem, mas nem tão primitivo...), tanto da propaganda contemporânea, quanto - processo cultural esse bastante anterior, aliás - do próprio fabular da cultura ocidental (criação de pequenas narrativas com animais e a "moral da estória"), por exemplo do grego Esopo, um escravo contador de estórias que compilou suas fábulas junto ao povo e reinventou o gênero, contribuindo para o estabelecimento de um dos mais significativos componentes do imaginário do Ocidente, fator que não foi estranho a grandes nomes como La Fontaine, Jacob & Wilhelm Grimm, Perrault, Andersen, Swift, Carroll, Joel Chandler Harris (Histórias do Tio Remo [Uncle Remus, His songs and His Sayings: The folk-Lore of the Old Plantation]), Francis Barraud (pintura, usada como marca registrada de RCA Victor, por Emile Berliner, inventor do gramofone), Lyman Frank Baum (O mágico de Oz), Kipling, Benjamin Rabier ("A vaca que ri": trademark design), Winsor McCay (Gertie, o dinossauro), Otto Messmer & Pat Sullivan (O gato Félix), Orwell, Monteiro Lobato, Walt Disney & Ub Iwerks (Ubbe Ert Iwwerks), Hergé (Popol e Virgínia), Walter Lantz (O Pica-Pau), Tex Avery & Ben Hardaway (Pernalonga), Anélio Lattini Filho (Sinfonia Amazônica), William Hanna & Joseph Barbera, Maria Clara Machado (O Boi e o Burro No Caminho de BelémO cavalinho azul e outras peças teatrais que a imortalizaram), Charles Schulz (Snoopy), Millôr Fernandes, Ziraldo, Mauricio de Sousa (Horácio, o dinossauro), Robert Crumb (O gato Fritz), Adrino Aragão (A verdadeira festa no céu), Chico Buarque (Fazenda Modelo; adaptação de “Os músicos de Bremen” – ou “Os quatro heróis” –, dos Irmãos Grimm, a partir de versão de Luís Enriquez e Sergio Bardotti, intitulada Os saltimbancos) e muitos outros criadores. Há, também, os animais dos contos populares cujas origens estão em mitos indígenas, alguns, e africanos, outros. A clássica estória “A onça e o bode”, por exemplo, não foi criada, nem compilada, por Esopo, nem por La Fontaine. O continuado sucesso, no Brasil, por várias gerações, da peça infantil de teatro constituída pela adaptação de  “A onça e o bode” (http://www.cabecadecuia.com/noticias/22032/espetaculo-infantil-a-onca-e-o-bode-encanta-escola-municipal-.html), não deixa de ser eloquente comprovação das potencialidades midiático-universais do ancestral totemismo (potencialidades, já se vê, até mesmo “pop/disnéicas” [“disnéico”: conceito atribuído ao pensador francês J. Baudrillard (1929 – 2007), cujo significado, teoricamente expandido, aproxima-se de “disneylândico”, ou seja, próprio da estética e dos valores do “mundo criado pelos Estúdios Disney”: versões atualizadas, em animação cinematográfica, de contos infantis, documentários sobre a vida animal, parques temáticos, estórias em quadrinhos, programas de televisão, espetáculos megacircenses (Disney on Parade Show), produção multimidiática voltada ao público infantil e infanto-juvenil etc.], ou seja, do show business propriamente dito, que abrangem a indústria cultural (artes e ofícios culturais do sistema capitalista de produção em fase avançada de desenvolvimento técnico e artístico). Tais transformações e adaptações de “antigos conteúdos temáticos” remetem às proezas comerciais e artísticas – artísticas “menores”, segundo o pensamento aristocrático e elitista que não admite as postulações sobre a cultura de massa emanadas de um Walter Benjamin, por exemplo – de um consumo vertiginoso (índices de audiência muito elevados) conseguidas, no Brasil, por uma espécie de “pop/folclorismo”, por exemplo, de Monteiro Lobato e seu personagem Jeca Tatu, pelas comédias musicais carnavalescas dirigidas por Watson Macedo e outros cineastas, pelos filmes de Amâncio Mazzaropi, pelas performances televisivas de Abelardo Chacrinha Barbosa, pelos resultados cênicos de extraordinários personagens oriundos da radiodramaturgia cômica do Brasil – “O primo rico e o primo pobre”, interpretados por Paulo Gracindo e Brandão Filho (Moacyr Augusto S. Brandão), respectivamente –, certos personagens imortais de Chico Anysio (o “coronel” Limoeiro e mais de duzentos personagens) e, bem antes, personagens do desenhista ítalo-brasileiro Angelo Agostini, como Nhô-Quim e Zé Caipora; no México, Cantinflas (Mario Moreno), Chaves (Roberto Bolaños) e assim por diante). Relevantes trabalhos de Frederico José de Santana-Nery (Barão de Santana-Nery), Sílvio Romero, Raimundo Morais (Raymundo Moraes), Osvaldo Orico, Gustavo Barroso, Câmara Cascudo, Nunes Pereira, Mário Ypiranga Monteiro e vários outros pesquisadores – não se mencionando outros etnólogos que se dedicaram aos mitos indígenas – ajudaram a que se consolidasse, no Brasil, a consciência da importância do estudo em profundidade estórias populares e suas origens. Como se fala aqui de caboclos do Amazonas (Mário Ypiranga MonteiroGilberto Mestrinho e também - como a região de uma das fotos acima reproduzidas, a do Lago do Salsa, pertenceu a Lourenço Mello (1854-1905) e sua senhora, Dª. Felicidade Mello - o citado, pelo escritor amazonense Rogel Samuel (nasc. em Manaus, em 1943), no Capítulo 13 de seu romance Teatro Amazonas (2008), "pequeno caboclo genial do Ayapuá [L. Mello]"), não é ocioso lembrar que a fabulação amazonense hoje percorre alguns livros do - também não menos genial – caboclo, também de Manaus, Adrino Aragão (nasc. em 1936), escritor que cultua no Brasil o gênero miniconto (e o microconto), que, segundo ele próprio, é "fábula, excluída a moral" (Cf. artigo de A. Aragão intitulado "Amazônia em Brasília", inRevista O Pioneiro - Século 21, nº 10, Brasília, 21 de abril de 2009, pp. 40-41,http://www.clubedospioneiros.org.br/revistas/revista_10.pdf;http://pt.wikipedia.org/wiki/Adrino_Arag%C3%A3o). A obra adriniana, a propósito, vem sendo investigada em profundidade pelo teórico da literatura Joaquim Branco, que, além de dissecar a obra de Adrino em tese de pós-doutoramento na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), tem publicado artigos concernentes na imprensa, por exemplo, no Jornal do Brasil,http://jbonline.terra.com.br/jb/papel/cadernob/2006/01/15/jorcab20060115006.html. Cabe acrescentar que, na história mundial do trademark design, a fama da marcaLacoste só encontra paralelo, em termos de "marcas totêmicas", no famoso desenho do acima citado desenhista francês Benjamin Rabier (1864 - 1939) da marca dos queijos La vache qui rithttp://www.allposters.com/-sp/Gruyeres-de-la-Vache-Qui-Rit-Posters_i1939368_.htm). 

Referências bibliográficas

Para a elaboração deste pequeno artigo em homenagem à memória de Gilberto Mestrinho, a respeito do muiraquitãs foram consultados os seguintes trabalhos: o livro O muiraquitã e os ídolos simbólicos (1889), de João Barbosa Rodrigues; o livro As amazonas amerígenas, de Pablo Cid [Moacyr Rosas] (Rio de Janeiro: Bruno Buccini Editor, 1971), http://historiadosamantes.blogspot.com/2009/01/pablo-cid-as-amazonas-amergenas.html; o verbete 'Icamiabas' do portal enciclopédico Wikia, http://pt.fantasia.wikia.com/wiki/Icamiabas; o livro Arqueologia Brasileira, de André Prous (Brasília, Editora da UnB, 1990); e, por fim, o artigo científico de COSTA, M. L., MEIRELLES, A.C.R, ANGÉLICA, R.S e PÖLLMANN,H., "Muyrakytã ou Muiraquitã: um talismã arqueológico em jade procedente da Amazônia: aspectos físicos, mineralogia, composição química e sua importância etnogeológica" (Acta Amazonica, v. 32, p. 431-448, 2002),http://acta.inpa.gov.br/fasciculos/32-3/PDF/v32n3a08.pdf).  

Brasília, 25 a 29 de julho de 2009."

FLÁVIO A. L. BITTENCOURT

(Artigo especial para este Entretextos em:
http://www.portalentretextos.com.br/colunas/recontando-estorias-do-dominio-publico/senado-federal-homenagem-a-memoria-de-gilberto-mestrinho,236,2501.html)

 

 

 

 

 

 

 

Ladrao devolve totem e paga-us-20-mil-para-evitar-processo-nos-eua:

 

 

31/07/2010 12h00 - Atualizado em 31/07/2010 12h00

Ladrão devolve totem e paga US$ 20 mil para evitar processo nos EUA

Totem pesa 230 quilos e mede 5,5 metros.
Instalado em 1976, objeto é um ícone de Seattle.

Do G1, em São Paulo

Totem foi recuperado e instalado no parque de Seattle.Totem foi recuperado. (Foto: Reprodução)

Após ter supostamente roubado um totem de um parque em Seattle (EUA), o americano Charles Edward Jenks, de 70 anos, concordou em pagar mais de US$ 20 mil para restaurar o objeto e assim evitar um processo criminal, segundo reportagem do jornal "Seattle Times".

"Todos concordaram que era melhor pegar o dinheiro do que processá-lo", disse o porta-voz do parque, Dewey Potter.

O porta-voz destacou ainda que o dinheiro foi dividido entre o departamento de Parques e Recreação da cidade e o Rotary Club, que encomendou o totem em 1976.

O totem, que pesa 230 quilos e mede 5,5."

 

(http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2010/07/ladrao-devolve-totem-e-paga-us-20-mil-para-evitar-processo-nos-eua.html)

 

 

 

 

 

 

===

 

 

 

 

 

 

MENSAGEM NO FACEBOOK DE LACOSTE

 

80 years of Polo!
Lacoste celebrates its 80th anniversary this year.
(...)
 
 
 
 
 
--------------------------------------------------------------------------------
 
 

notícia
 
 
  

"18/01/2013 07h30 - Atualizado em 18/01/2013 07h30

Exposição sobre o rei Herodes em Israel gera polêmica

Para curadores, ele foi um personagem 'importante e desprezado'.
Palestinos protestam por peças que foram encontradas na Cisjordânia.

 

Do G1, com a Associated Press

O Museu de Israel, sediado em Jerusalém, anunciou que vai estrear em fevereiro uma exposição que, segundo a instituição, é a primeira do mundo dedicada ao legado arquitetônico do rei Herodes, o poderoso e controverso monarca judeu que governou Jerusalém e a Terra Santa há dois milênios.

A exposição gerou controvérsia entre Israel e Palestina, já que muitas das peças que serão exibidas foram encontradas na Cisjordânia, um ponto de disputa.

Hamdan Taha, vice-ministro encarregado de antiguidades da Autoridade Palestina, disse que a escavação e a exposição não foram combinadas com funcionários palestinos. O museu israelense afirma que devolverá as peças quando a mostra terminar, em outubro.

Restaurador trabalha na reconstrução do túmulo que foi do rei Herodes, que será tema de uma exposição em Israel (Foto: Daniel Estrin/AP Photo)Restaurador trabalha na reconstrução do túmulo que acredita-se ter sido do rei Herodes
(Foto: Daniel Estrin/AP Photo)

 

Herodes é mostrado no Novo Testamento como um tirano sedento de sangue que massacrou as crianças de Belém em uma tentativa de evitar o profetizado nascimento de Jesus. Também se afirma que ele mandou matar sua esposa e seus filhos.

Cerca de 30 toneladas de objetos (entre eles, centenas de pequenos fragmentos unidos novamente) vão formar parte da exposição do Museu de Israel em Jerusalém, que será inaugurada no dia 12 de fevereiro e dura até 5 de outubro.

Entre eles, estão o túmulo e o sarcófago reconstruídos de Herodes – que, para os curadores da exposição, foi “um dos personagens mais importantes e desprezados da antiguidade”.
 

Peça da exposição sobre o rei Herodes, em Israel (Foto: Daniel Estrin/AP Photo)Peça da exposição (Foto: Divulgação/GoIsrael)

O diretor do museu, James Snyder, disse que a exposição "Herodes, o Grande: A Jornada Final do Rei" é o maior e mais custoso projeto arqueológico do museu até hoje.

"É um nome que está na boca de todos e ainda assim nunca houve uma exposição dedicada a seu material", disse.

Em 2007, o arqueólogo israelense Ehud Netzer atraiu a atenção internacional ao anunciar que havia encontrado o túmulo do rei no Herodium, o palácio do monarca localizado em uma colina perto da cidade de Belém."

(http://g1.globo.com/turismo-e-viagem/noticia/2013/01/exposicao-sobre-o-rei-herodes-em-israel-gera-polemica.html)

 

 

 

 FELIZ OUTONO, LEITORES(AS)!

 

 

(aqui termina a matéria "Arqueol. - Rei Her. / Jerusalém")

--------------------------------------------------------------------------------

(aqui começa a matéria "BOLETIM RECORTE DOIS"  (em elaboração)

=== FALTAM AS ILUSTRAÇÕES ===

=== lembrete: link matéria Lacoste / Prof. Gilberto=== )

 

 




1º.4.2013 -  Regional Centro-Oeste/Norte da Associação Brasileira de Comunicação e Semiótica Dr. Gillo Dorfles - Boletim quinzenal. (Edição da chegada do outono
[*].)    F. A. L. Bittencourt ([email protected].br)

[*] - 19/03/2013 – O outono de 2013 [começou na] quarta-feira, dia 20 de março às 08h02 (horário de Brasília)

http://jornaldotempo.uol.com.br/noticias.html/57875/outono-comeca-na-quarta-feira--dia-20--com-previsao-de-chuva-acima-da-media-e-temperatura-abaixo-do-normal-no-centro-e-sul-do-brasil/

 

 

 

área de trabalho -   ===em edição===

 

     BOLETIM Nº 2 - RECORTE / FORMOSA / GOIÁS

 
Diretor da Associação Recorte / Formosa-GO e
 
editor do Boletim: Cláudio Ramalho
 
 
Secretária: Magda Melo
 
 
Sub-editor e revisor: Flávio Bittencourt
 
 
Diretor honorário da Assoc. Recorte: Umberto Eco 

 

Perpétuo diretor da Assoc. Recorte: Décio Pignatari (1927-2012)

 

Farol protetor da presente publicação e da cristandade: Papa Francisco

 

 

 

 





 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

O MÉDICO PSIQUIATRA E TEÓRICO DA ARTE E

COMUNICAÇÃO DR. GILLO DORFLES, O ERUDITO-SÁBIO

QUE ESTUDA ESTÉTICA DA CONTEMPORANEIDADE E SAI

SOZINHO COM BENGALA E LIVRO, NASCIDO EM TRIESTE

(NORDESTE DA ITÁLIA), EM 12 DE ABRIL DE 1910, COMPLETARÁ

103 ANOS EM 2013:

 

 http://www.teknemedia.net/magazine_detail.html?mId=5693

 

 

 

 


  
aquiiii fotoooo G Dorfles, beng e livro   ===em edição===



 

 

 



PAPA FRANCISCO:

ORAÇÕES:



(http://noticias.terra.com.br/mundo/papa-francisco-celebra-missa-para-jardineiros-e-faxineiros-do-vaticano,6e5f2c9d5839d310VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html)

 

 

 

 

 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 Dilma se encontra com o papa Francisco no Vaticano; presidente diz que encontro foi informal e que pontífice é simples
(http://fratresinunum.com/2013/03/page/3/) 

 

 

 


 

  

 

 

 

 

 

[NESTA MATÉRIA NÃO HÁ PROPAGANDA PAGA, O QUE SIGNIFICA

QUE, SE SUA EMPRESA VIER A APOIAR EVENTOS CIENTÍFICOS, 

PODERÃO AS SUAS MARCAS APARECER AQUI, GRATUITAMENTE,

DA MESMA FORMA QUE, NO PROGRAMA DO JÔ (TV GLOBO),

O ESCRITOR, HUMORISTA, ATOR, ARTISTA PLÁSTICO,

MÚSICO-PERCUSSIONISTA, DIRETOR TEATRAL, JORNALISTA E

APRESENTADOR DE TELEVISÃO JÔ SOARES CITA AS FIRMAS PARTICULARES,

ASSOCIAÇÕES CIVIS, CLUBES, ONGs, IGREJAS, SINDICATOS, GOVERNOS E

EMPRESAS GOVERNAMENTAIS QUE APÓIAM O TEATRO BRASILEIRO.]

 

 

 

 

 

 

 

BOLETIM DA ASSOCIAÇÃO RECORTE / CIDADE FORMOSA / GOIÁS / BRASIL, ANO I, Nº 2 - PERIODICIDADE: QUINZENAL - 1ª quinzena de abril de 2013, 28.3.2013 - Editor responsável: Cláudio Ramalho / e-mail: [email protected], endereço: R. 1, Cs. 952, Pq. Laranjeiras, 73.805-610 - Formosa-GO, Brasil - Editor da RECORTE (Revista anual de Teoria da Literatura, Comunicação e Semiótica): Rogel Samuel - Redator: Cláudio Ramalho - Revisor e copidesque: Flávio Bittencourt - Orientador editorial (in memoriam): Reynaldo Jardim - Diretor Honorário da Associação Recorte de Comunicação, Media e Semiótica: Umberto Eco. 

Sócio-correspondentes da Associação Recorte:

Varsóvia (Polônia): Jerzy Pelc

Helsínque (Finlândia): Eero Tarasti

Paris (França): Rafael Mário Hime

Perpignan (França) [in memoriam]: Gérard Deledalle

Lafayette, Indiana (EUA): Flyod Merrell

Brasília/início Asa N: Cleber José Coimbra

Brasília/ponta Asa N: Herondes Cezar

Brasília/início Asa S: Athos Cardoso

Brasília/ponta Asa S: Sandro Machado

Brasília (in memoriam): Profª. Regina (SQN 216 [Dona Helena, pseudônimo literário])

Brasília/Condomínios do Lago (SHDB): Sílvio Rocha

Sobradinho/DF: Geraldo Lima

Teresina: Dílson Lages Monteiro

Fortaleza: Jorge Tufic

Recife: Eduardo Henrique Accioly Campos

Manaus: Jair Jaqmont Cantanhede

Boa Vista:  Maurício Zouein

Campos dos Goytacases: Frederico Schwerin Secco

Rio de Janeiro/Copacabana: Frank Fragoso Willye

Rio de Janeiro/Urca: Rogel Samuel

Rio de Janeiro/Vila Isabel: Luiz Cesar Saraiva Feijó

Rio de Janeiro/Tijuca: Miguel Carqueija 

São Paulo: Norval Balteillo Júnior

 

Agradecimento: Este Boletim não poderia ter sido produzido sem o apoio logístico de Mais Diesel Ltda., uma empresa de venda de autopeças e acessórios para veículos automotivos (rodovia BR-020, Formosa, estado de Goiás, Brasil). C. Ramalho

 

 

 

Apresentação (mensagem do Editor):

 

Caro leitor:

Este é o nosso número de Páscoa!

É uma edição muito especial que deveria estar maior, dada

a minha fé e devoção pela Santa Igreja Católica, mas - e por isso

peço a benevolência do leitor - além do meu serviço regular, estou

tentando terminar um artigo exigente do trabalho minucioso de

pesquisa (sou um autodidata) para a Revista O Pioneiro - e eu sou

só um, apesar da imprescindível ajuda de Magda e Flávio [ele não é

autodidata e, dessa forma, faz a revisão do que eu escrevo], um professor

de cursos pré-vestibulares e cursos de nível superior, que é técnico governamental

(sócio da IASS/AIS desde 1996), amigo que deu a sua valiosa colaboração mesmo

fazendo fisioterapia e formando a sua linda e inteligente filha Luciana.  Por isso

mesmo é que decidi colocar as fotos da festa de Formatura, no final.  Ah... quando

você transformar os seus textos em e-books vendáveis pela internet, não se esqueça

de que pode fazê-lo pela Editora Entretextos, do Brasil (e que eu poderei, modéstia à

parte, ilustrar o seu livro, se você desejar!), e/ou alimentar substantivamente e consultar

Biblioteca Virtual de Walter de Gruyter, de acordo com o anúncio a seguir reproduzido.

Lembro que o prazo máximo para remessa de papers para a REVISTA RECORTE-2014 é

31 de outubro de 2013.  Se seu texto não for selecionado para a edição da revista, ele

poderá ficar aguardando para ser inserido num número posterior, se com isso concordar

o editor da revista, sobre cuja editoria não há ingerência minha.

 

Espero, sinceramente, que este número 2 do nosso boletim lhe seja muito útil e

visualmente agradável.

 

O meu e-mail é [email protected],com.br .

Tenham um ótimo feriado você e as pessoas que lhe são caras e

que, nesta Páscoa, as bênçãos de Deus protejam as nossas saúdes, 

os caminhos do ser humano e a natureza,

 

 

Cláudio Ramalho

Sócio da ABSB desde julho de 2002, ilustrador

Pesquisador da área de propaganda e design 

 

"Patron Driven Acquisition Offers Libraries Considerable Benefits




Welcome to De Gruyter Online!

Unlimited access to high quality content? This is easier than you may think. We are pleased to announce the recent launch of Patron Driven Acquisition (PDA), a new approach to select high quality content based exactly on your patrons needs. With the new PDA model, we offer participating libraries and institutions access to over 11,000 eBooks, 500 eJournals, and 15 million database entries.

For more information on Patron Driven Acquisition and on how to start with PDA at your institution, please see www.degruyter.com/pda.

 

       
Highlights

Next Slide
What's New

2013-03-11
De Gruyter Presents Open Access Distribution Model for Libraries – A Short Film Called "The Art of Paper Planes" Creatively Demonstrates the Model
 

2013-03-05
De Gruyter Signs 10,000 Title eBook Agreement with YBP Library Services. Agreement to add academic ebook titles to GOBI3 database
 

De Gruyter Presents New Model for Digital Content Distribution

(,,,) For an individual offer, please contact your sales manager."

 http://www.degruyter.com

 


 

 



 

 

Desenho de Will Erwin Eisner (1917 - 2005), quadrinista, historiador de HQ e teórico estadunidense:



http://www.riocomicon.com.br/o-espirito-vivo-de-will-eisner-em-sp/

 

 


 

DEFESA RECENTE DE DISSERTAÇÃO NA REGIÃO CENTRO-OESTE

 

 

"Meu orientando, Matheus Moura, diante de sua banca de defesa de mestrado em Arte e Cultura Visual (FAV/UFG). O candidato defendeu a dissertação: "Processos Criativos de Histórias em Quadrinhos Poético-filosóficas: Investigação Teórica e Produção Prática". A banca teve a honra de contar com o pesquisador, quadrinista e pós-doutor Elydio Santos Neto (UFPB) e com o romancista, ensaísta e doutor Ademir Luiz (UEG). Ao final da defesa os presentes receberam um exemplar da revista Camiño Di Rato#6, parte integrante da pesquisa e que incluiu as HQs produzidas durante a investigação." (EDGAR FRANCO. 28.3.2013)
 

 

 

 

 



NOTÍCIA RECETEMENTE DIVULGADA PELA AGÊNCIA BRASIL:

 
  
ONU quer que comunidade internacional assuma responsabilidades e reaja à violência na Síria


"02/03/2012 - 8h52
Internacional
 
Renata Giraldi*
Repórter da Agência Brasil


Brasília – A alta comissária da Organização das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Navi Pillay, cobrou hoje (2) da comunidade internacional “responsabilidade urgente” em relação à onda de violência na Síria. Segundo ela, é preciso reagir para evitar mais mortes no país. A estimativa é que mais de 7.500 pessoas tenham morrido em cerca de 11 meses de confrontos na região. Há ainda violações de direitos humanos, como agressões sexuais e torturas.

"[O ano de 2011] foi crítico para os direitos humanos, com muitos problemas nessa área", disse Pillay. O porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Rupert Colville, acrescentou que está alarmado com os relatos que começam a sair do bairro Baba Amro, em Homs, depois de ter sido tomado pelas forças do governo.

A expectativa é que ainda hoje o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) consiga entrar em Homs, na Síria, para ajudar as vítimas dos confrontos entre os agentes de segurança do governo e os críticos do presidente Bashar Al Assad. A cidade de Homs é considerada reduto dos rebeldes.

Ontem (1º), o governo Assad autorizou a ajuda humanitária, depois de a Organização das Nações Unidas (ONU) aprovar resolução recomendando a medida. Uma das propostas, segundo o  porta-voz da Cruz Vermelha na região, Hicham Hassan, é uma trégua humanitária, que seria de duas horas por dia.

*Com informações da agência pública de notícias do México, Notimex//Edição: Graça Adjuto"

 

 

 

SÍMBOLO CRISTÃO:



http://pt.wikipedia.org/wiki/Igreja_Cat%C3%B3lica

 

 

 

 

 

SEM TÍTULO,

KAZIMIR MALEVICH,


:

 

     
SUPREMATISMO Y CONSTRUCTIVISMO
En 1915 tuvo lugar la presentación del suprematismo, cuando Malévich, su principal teórico, mostró por primera vez en la exposición 0.10, el conjunto programático del sistema plástico del suprematismo: el Cuadrado negro, el Círculo negro y la Cruz negra.
Poco antes, en 1914 Tatlin había expuesto por primera vez sus contrarrelieves que daban comienzo al constructivismo. A él se uniría inmediatamente Ródchenko, quien acabó siendo el principal rival de Malévich. Años después, en 1919, en homenaje a la Revolución, Tatlin expuso el proyecto para el Monumento a la III Internacional, una gran maqueta de un edificio utópico que nunca llegó a construirse y que aquí se presenta en una reconstrucción virtual.
El suprematismo, un arte dominado por el ideal absoluto, daba definitivamente la espalda al objeto y propugnaba la reducción de la forma a cero. El constructivismo, a su vez, defendía un lenguaje igualmente abstracto, pero a través de la búsqueda del principio constructivo, arquitectónico, dentro de los límites de la superficie plana del cuadro.
Estas dos nuevas corrientes de arte abstracto fueron de inmediato adoptadas por numerosos artistas jóvenes como Suetin, Chashnik, Popova y Kliun que intentaron encontrar un punto de equilibrio entre las dos. Los Proun de El Lissitzky, al unir la doctrina plástica de la superficie plana suprematista con las leyes de la edificación constructivista y proponer una fórmula de desarrollo del suprematismo en el espacio, son el mejor ejemplo de esta síntesis.
 
Kazimir Malévich
Sin título, c. 1916
Óleo sobre lienzo. 53,5 x 53 cm
Peggy Guggenheim Collection, Venecia 
(Solomon R. Guggenheim Foundation, Nueva York)
http://www.museothyssen.org/microsites/exposiciones/2006/Vanguardias/fundacion/fundacion51.html

 

 

 

 

CRUZ NEGRA,

KAZIMIR MALEVICH:



Kazimir Malévich
Cruz negra, c. 1923
Óleo sobre lienzo. 106 x 106,5 cm
Museo Estatal Ruso, San Petersburgo

http://www.museothyssen.org/microsites/exposiciones/2006/Vanguardias/fundacion/fundacion51.html

 

 

 

 

PRÓXIMOS EVENTOS/PROGRAMAÇÃO:

 

Eric Landowski é diretor de pesquisas do CNRS (Centre National de la Recherche Scientifique) em Paris e professor visitante da PUC-SP

http://www.skoob.com.br/livro/76995

 

 

O Prof. Dr. Eric Landowski:


 

"(...)

ABRIL

 

Programação

 [de 2013]
D
S
T
Q
Q
S
S
 
 
 
 
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
1, 2, 3, 4 de abril
 
CURSO INTENSIVO: SEMIÓTICA DAS INTERAÇÕES
 
Pesquisador: Eric Landowski (CNRS: CEVIPOF, Paris)
Local: Auditório 117 A
Prédio Bandeira de Mello
Datas: 1, 2, 3, 4 de abril Hora: 14:00 às 18:00
Crédito: 01 
Local :Auditório 100 Prédio Bandeira de Mello
I. Ementa:
A ligação entre “sentido” e “vida” é uma constante na obra de Greimas. Em Semântica estrutural (1966), seu reconhecimento, no plano da percepção, conduz à superação das semânticas linguísticas ou lógicas. A partir de Do Sentido (1970), é ele que inspira a ideia de narratividade como “projeto de vida”. E em Da Imperfeição (1987), é ele também que justifica a abertura da gramática narrativa à dimensão sensível do “vivido”. Ainda que frequentemente vista como desembocando numa pura ciência do texto, esta construção foi na realidade guiada, desde o começo, por uma interrogação sobre o sentido da vida. Isso não quer dizer que a vocação da semiótica seja de responder à questão metafísica de saber se a vida “tem” um sentido, nem de descobrir qual esse seria. Trata-se, em contrapartida, de compreender, e, sempre que possível, de explicar como, sobre a base de quais tipos de elementos, se elabora o sentido que cada um, no contexto de sua cultura, tende a atribuir ao próprio estar-no-mundo. Face a uma tarefa assim vasta, diversas abordagens são cabíveis, de acordo com o nível de pertinência que se escolhe para a abordar. A perspectiva sociossemiótica que propomos parte de interdefinição de um pequeno número de princípios elementares que constituem, cada um, a base de um determinado regime de construção do sentido. Deles não resulta diretamente o que vem comumente chamado de “formas de vida”, mas sim formas de sentido (da “vida”) estruturalmente distintas. Fundindo maneiras interdefiníveis de pensar, de sentir e de interagir, estas formas se traduzem, na superfície, em estilos de vida diversos, suscetíveis de tipologia.

II. Programação 
1. O sentido de uma prática 
Filosofia do trabalho semiótico 
Objetivos e objetos 
Ciência do texto, sentido da vida 
2. O inteligível e o sensível 
Pressupostos da semiótica narrativa 
Críticas e ultrapassagens 
Junção versus união 
3. Semiotizar o risco 
Regimes de interação, regimes de sentido 
A prudência e a aventura 
Regularidade, intencionalidade, sensibilidade

 
III. Leituras 
A.J. Greimas, Da Imperfeição. Trad. A.C. de Oliveira. São Paulo, Hacker, 2002. 
E. Landowski, Les interactions risquées, Limoges, Pulim, 2005. 
— « Honoris causa », in En quête de Greimas, Nouveaux Actes Sémiotiques, 112, 2009. 
— « Régimes d’espace », Nouveaux Actes Sémiotiques, 113, 2010. 
— « Régimes de sens et styles de vie », Nouveaux Actes Sémiotiques, 115, 2012. 
— « Shikata ga nai ou Encore un pas pour devenir vraiment sémioticien ! », Lexia, 11, 2012.
— « Plaidoyer pour l’impertinence », Actes Sémiotiques, 116, 2013.
 
Eric Landowski
é diretor de pesquisa no Centro de Pesquisa em Ciências Políticas em Paris (CNRS – FNSP-CEVIPOF), co-diretor, com J. Fontanille, da revista Actes Sémiotiques (Universidade de Limoges, França), co-diretor, com Ana Claudia de Oliveira, do Centro de Pesquisas Sóciossemióticas (PUC-SP/CPS), professor convidado da Universidade de Vilnius (Departamento de Semiótica), e autor de diversas coletâneas e livros individuais, entre eles :
La Société réfléchie. Essais de sociosémiotique, Paris, Seuil, 1989. (A sociedade refletida). 
Trad. port., São Paulo-Campinas, Educ-Pontes, 1992. 
Trad. esp., México, F.C.E., 1993. 
Trad. ital., Rome, Meltemi, 1999. 
Présences de l'autre. Essais de sociosémiotique II, Paris, P.U.F., 1997. (Presenças do outro). 
Trad. port, São Paulo, Perspectiva, 2002. 
Trad. esp., Bilbao-Lima, FDE, 2007. 
Passions sans nom. Essais de sociosémiotique III, Paris, P.U.F., 2004. (Paixões sem nome). 
Trad. esp., Bilbao-Lima (no prelo). 
Les interactions risquées, Limoges, PULIM, 2005 (As interações arriscadas) 
Trad. esp., Lima, Fondo Editorial de la Universidad de Lima, 2009. 
Trad. ital., Milan, Franco Angeli, 2010. 
Trad. port., São Paulo, Estação das Letras e Cores (no prelo).

05 e 08/04
ENCONTROS COM O CPS
10:h00 às 13:h00
Local: PUC-SP Ipiranga Bloco III, Sala 2
 
9/04
CONFERÊNCIAS
9:h30 - 11:h30
Conferência I: "Régimes de sens et styles de vie"
Promoção: PUC-SP-ESPM
Local: Auditório ESPM - Rua Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo, SP
 
14:h00 - 15:30
Conferência II " Sociossemiótica e análise das práticas
Promoção: PUC-SP-UPM Universidade Plebisteriana Mackenzie
Local: Auditório a ser divulgado
Rua da Consolação, 930 - Consolação - São Paulo - SP - Brasil (...)"
http://www4.pucsp.br/cos/cps/pt-br/agenda/index.html 

 

 

 

 

 

 

"IX Congreso Argentino y IV Congreso Internacional de Semiótica de la Asociación Argentina de Semiótica
Posted on March 18, 2013 by priborges

IX Congreso Argentino y IV Congreso Internacional de Semiótica de la Asociación Argentina de Semiótica
DERIVAS DE LA SEMIÓTICA.
TEORÍAS, METODOLOGÍAS E INTERDISCIPLINARIDADES
5, 6 y 7 de setiembre de 2013
Mendoza – Argentina
Universidad Nacional de Cuyo
Primera circular
Del 5 al 7 de septiembre se llevará a cabo, en Mendoza – Argentina, en de sede de la Universidad Nacional de Cuyo, el IX Congreso Argentino y IV Congreso Internacional de Semiótica de la Asociación Argentina de Semiótica, tituladoDerivas de la Semiótica. Teorías, metodologías e interdisciplinaridades.
La Asociación Argentina de Semiótica se propone en este nuevo encuentro reflexionar y realizar un balance sobre el devenir epistemológico de la Semiótica durante su breve pero intenso desarrollo disciplinar. Convoca a participar a docentes-investigadores, becarios y alumnos avanzados de los diversos centros y carreras universitarios que estén realizando actividades de investigación y docencia en el campo.
En esta nueva edición del tradicional congreso de la AAS, se procurará avanzar en el trazado de la cartografía de los estudios semióticos en Argentina que se comenzara a trabajar en el anterior encuentro, profundizando en el análisis crítico de los dinámicos bordes configuradores y configurantes de la disciplina.
Organizan
Asociación Argentina de Semiótica
Cátedras de Semiótica de la Universidad Nacional de Cuyo de las carreras de: Licenciatura de Comunicación Social – Facultad de Ciencias Políticas y Sociales; Profesorado en Lengua y Literatura Española, Licenciatura en Letras y Licenciatura en Literatura infantil y Juvenil –Facultad de Filosofía y Letras
Datos de contacto
[email protected]
Centro Universitario – Mendoza – Argentina
(54) 0261- 4135000 / 4135008 int. 2058."
 

http://iass-ais.org/ 

 

 

 

OBS: O EVENTO ACIMA NOTICIADO, QUE ACONTECERÁ EM MENDOZA, ENTRE 5 E 7 DE SETEMBRO DE 2013, NÃO É O MESMO DE CÓRDOBA (19 a 21 de setembro de 2013 )

 Encontro Internacional Iuri Lotman In Memoriam acontecerá em 2013

 Mediação - GP em Semiótica da Comunicação

 

    
 


A obra do semioticista russo Iuri Lotman é tema do 
encontro que acontece em Córdoba, na Argentina
 

A Faculdade de Línguas da Universidade Nacional de Córdoba, na Argentina, realizará entre os dias 19 e 21 de setembro de 2013 oEncontro Internacional Iuri Lotman In Memoriam. O evento terá como tema principal a Semiótica da Cultura, criada pelo pesquisador russo Iuri Lotman. Dentre os eixos principais a serem trabalhados no evento figurarão assuntos como o conceito de semiosfera, cultura e explosão, texto artístico e contexto histórico e tradução intercultural.
 
Os principais palestrantes do Encontro serão Kalevl Kull, Mihhall Lotman e Peeter Torop, todos da Universidade de Tartu, um dos “berços” da Semiótica da Cultura. Também estarão presentes diversos pesquisadores que ajudaram a disseminar essa corrente dos estudos da semiótica ao redor do mundo, como Irene Machado (Universidade de São Paulo), Desiderio Navarro (Universidade de La Habana), Katya Mandoki (Universidad Autónoma de México) e Pampa Arán (Universidad Nacional de Córdoba).
 
O Encontro Internacional Iuri Lotman In Memoriam aceitará abstracts até o dia 15 de março de 2013, com a entrega da proposta completa sendo aceita até 5 de julho de 2013 e a ficha de aceite dos trabalhos divulgada até 9 de agosto de 2013. Para mais informações sobre o evento, faça o download da I Circular do Encontro ou envie mensagem para o e-mail [email protected]

 

 

 

 

 

Semiótica - Peirce, Sausurre, Jakobson, Bakhtin e Lotman,
Youtube:



 "Enviado em 30/04/2008

Trabalho apresentado na pós em Comunicação, Publicidade e Negócios - IV, CESUMAR, 2008.
 

[COMENTÁRIOS]

               Antonio Castro Nilo 1 ano atrás

 
Muito bem. Bravo por los trabalhos de calidad qui nos vienen de Brasil. Como se darán cuenta escribo entre portugués y castellano, es mi forma de explorar la lingua do Brasil. Creo que faltó señalar el aporte de Nicolai Troubetzkoy, compañero de pesquisa de R. Jacobson en la fundación de la Fonología.Nuevamente bravo.!
 
 Responder ·  

missfernandalhama 2 anos atrás
Arrasou na trilha sonora!
 
 Responder ·  

vrockmetal 3 anos atrás
Muito bom video, em português é muito melhor!
 
 Responder ·  

Orsonpitbull 3 anos atrás
Los mejores videos estan en Portugues!!!!!!!! (...) 
 
 Responder ·  

seihiken 4 anos atrás
me gustaria una versión en español... gracias.
 
 Responder · 2  

espiricuetaceleste 4 anos atrás
Me gustó mucho la forma en que se realizó este video, es rápido, conciso y muy didáctico. Además la música invita a la apertura mental y a la reflexión.
Muy bueno.
 
 Responder ·  

Literature4peace 4 anos atrás
how about an english version please?"
 

 

 

 

 

LANÇAMENTO DE LIVRO -

UNIV. DE PERPIGNAN - FRANÇA:

 

"New Book: Introduction to Peircean Visual Semiotics – Tony Jappy
Posted on March 28, 2013 by priborges

Description:
Contemporary culture is as much visual as literary. This book explores an approach to the communicative power of the pictorial and multimodal documents that make up this visual culture, using Peircean semiotics. It develops the enormous theoretical potential of Peirce’s theory of signs of signs (semiotics) and the persuasive strategies in which they are employed (visual rhetoric) in a variety of documents.
Unlike presentations of semiotics that take the written word as the reference value, this book examines this particular rhetoric using pictorial signs as its prime examples. The visual is not treated as the ‘poor relation’ to the (written) word. It is therefore possible to isolate more clearly the specific constituent properties of word and image, taking these as the basic material of a wide range of cultural artefacts. It looks at comic strips, conventional photographs, photographic allegory, pictorial metaphor, advertising campaigns and the huge semiotic range exhibited by the category of the ‘poster’. This is essential reading for all students of semiotics, introductory and advanced.
Review
‘Peirce’s scholarly life was one dedicated to understanding the nature and rhetorical function of both verbal and pictorial representation. Jappy’s book clearly demonstrates how the powerful – and often poorly understood – framework of Charles S. Peirce’s semiotics may be applied successfully to the analysis of pictorial documents. This book is a milestone in the centennial of Peirce’s death that we are commemorating in 2014.’ –Jaime Nubiola, University Of Navarra, Spain 20121030 
‘Tony Jappy’s new book is a masterful application of Charles Sanders Peirce’s theory of signs to the visual world, a thoroughly-grounded exploration of the proposition that seeing is knowing in all its multifaceted details. The author’s extensive pedagogical experience and the wealth of illustrative material make Introduction to Peircean Visual Semiotics an indispensable guide to the subject.’ – Michael Shapiro, Brown University, USA 20121030
About the Author
Tony Jappy is Emeritus Professor of English Linguistics and Semiotics at the University of Perpignan-Via Domitia, France.
 
Source: http://www.amazon.co.uk/Introduction-Peircean-Semiotics-Bloomsbury-Advances/dp/1441109404/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1364232511&sr=8-1"
(http://iass-ais.org/)

 

 

 

 

 

 

IASS - AIS,

OBITUÁRIO:

 

Obituary for Louis Panier
Posted on November 19, 2012 by priborges
Louis Panier died on October 24th, at 1 p.m. His funeral took place on saturday, october 27th, at 10 a.m., at church of Francheville le Haut, in Lyon’s suburbs. Yours. B. L.
Louis Panier was a professor at the Université Lumière Lyon 2 (Science of Language Department) and researcher at CADIR (Centre pour l’analyse du discours religieux) in the Université Catholique de Lyon.
Hommages à Louis Panier
 

http://iass-ais.org/

 

 

 

 

 

OBITUÁRIO,

BLOG ERA UMA VEZ O CINEMA, DO CRÍTICO

HERONDES CEZAR (Brasília):

 

"8 DE MARÇO DE 2013
DAMIANO DAMIANI (1922-2013), diretor
 
O cineasta italiano Damiano Damiani morreu no dia 7 de março, em Roma, aos 90 anos, de insuficiência respiratória.
Em 1971, ele dirigiu "Confissões de um Comissário de Polícia ao Procurador da República" (Confessione di un comissario di polizia al procuratore della reppublica), iniciando um série de filmes sobre a máfia, estilo que lhe valeu uma menção especial no Festival de Berlim em 1985, com "Pizza Connection".
Damiani se aventurou no western spaghetti, com "Gringo" (El chuncho, quien sabe?, 1966) e "Trinity e Seus Companheiros" (Un genio, due compari, un pollo, 1975).
Nascido no dia 23 de julho de 1922, em Pasiano di Pordenone, Itália. Há dez anos, deixou o cinema para se dedicar a uma paixão secreta: a pintura.

 
0 assobios no fundo da sala   Claquete: 17:33
 
 
3 DE MARÇO DE 2013
ARMANDO TROVAJOLI (1917-2013), compositor
 
O maestro e compositor italiano Armando Trovajoli morreu aos 95 anos de idade, em Roma. A notícia foi dada por sua viúva, Maria Paola, que não divulgou a data precisa da morte do maestro.
Trovajoli colaborou com o cineasta Ettore Scola, para quem compôs as trilhas dos filmes "Nós que Nos Amávamos Tanto" (C'eravamo tanto amati, 1974), "Feios, Sujos e Malvados" (Brutti, sporchi e cattivi, 1976) e "O Jantar" (La cena, 1998). 
Outro colaborador frequente do maestro foi Vittorio De Sica, com quem trabalhou em "Duas Mulheres" (La ciociara, 1960), "Ontem, Hoje e Amanhã" (Ieri, oggi, domani, 1963) e "Matrimônio à Italiana" (Matrimonio all'italiana, 1964), entre outros.
Armando Trovajoli nasceu em Roma, em 2 de setembro de 1917.

 
0 assobios no fundo da sala   Claquete: 20:31
 
 
28 DE FEVEREIRO DE 2013
DALE ROBERTSON (1923-2013), ator
 
O ator americano Dale Robertson morreu no dia 27 de fevereiro, aos 89 anos. Ele tinha a saúde frágil há cerca de dois anos, e na semana passada foi diagnosticado com câncer.
Robertson atuou em mais de 30 filmes, especialmente faroestes, entre os quais "Fugindo do Passado" (Return of the Texan, 1952), "Os Mensageiros do Perigo" (The Silver Whip, 1953), "O Índio Heroico" (Sitting Bull, 1954) e "Domingo Sangrento" (A Day of Fury, 1956).
Desde 1983, Robertson é homenageado na Galeria de Artistas do Western, que é parte do Museu Nacional dos Caubóis e do Western, em Oklahoma City, ao lado de alguns dos mais famosos caubóis de Hollywood, como John Wayne e Roy Rogers.
Nascido Dayle Lymoine Robertson em 14 de julho de 1923, em Harrah, Oklahoma, ele deixa viúva a mulher de seu quarto casamento, e duas filhas de casamentos anteriores."

 

http://eraumavezocinema.blogspot.com.br/

 

 

 

 

 

 

ARTIGO (BELÉM/PA),

NOV. / 2012:

 

 

"BRT Belém – Apresentação da marca
10
10
2012

Quem mora em Belém já não aguenta mais ouvir a sigla BRT, essas três letrinhas que, juntas, atrapalham a rotina diária de milhares de moradores da região metropolitana da capital paraense, direta ou indiretamente. Mas como este não é um blog jornalístico, político ou algo que o valha, vamos ao que interessa: a apresentação da marca do projeto.

Não quero nem entrar em detalhes do site (até a marca do twitter está sendo utilizada de forma inadequada, de acordo com as regras publicadas pela própria administração da rede social), vou me ater à página de apresentação da marca do projeto. Observem bem na captura de tela abaixo.


Apresentação da marca BRT Belém no site do projeto.
Acompanhem comigo: o texto começa errado porque apresenta erros grosseiros de ortografia, pontuação e concordância. Sim, isso é um recado direto aos profissionais e estudantes de design que não enxergam a importância do domínio da língua portuguesa (ou qual seja a língua utilizada no contexto). Um texto mal redigido, além de não apresentar coerência e fluidez, é capaz de derrubar a boa reputação de um profissional.

Imaginando que o texto estivesse dentro da norma culta adequada para a língua escrita, sua redação ainda não estaria coerente. No item “Sustentabilidade”, por exemplo, o trecho “A cor Azul turqueza está associada ao conceito de sustentabilidade, reduzindo o nível de CO2 atmosfera da cidade de Belém” (sic) nos deixa interpretar que o mero uso da cor na marca traz como consequência a redução do nível de dióxido de carbono emitido, uma informação obviamente incorreta.

Sobre a marca em si, a própria utilização da imagem (hipoícone) do ônibus é questionável. Uma marca não precisa apresentar o que ela representa (seu objeto) figurativamente, como olhos em marcas de clínicas oftalmológicas, ou grandes dentes antropomorfos em clínicas odontológicas. Para uma marca ter pregnância visual, ou seja, para que ela seja facilmente visualizada, interpretada e memorizada, é preciso simplificar o quanto for possível a sua forma (gestalt, um beijo!). Desta forma, se era realmente necessário desenhar o ônibus na marca do projeto, sua representação poderia estar mais simplificada, considerando ainda a dificuldade de visualização dos seus detalhes quando a marca for utilizada em sua forma reduzida.

A representação em perspectiva linear poderia até ser justificada como representação de dinamismo e velocidade, dois conceitos positivos relacionados ao projeto. Mas sua apresentação foi atribuida à “tecnologia que os ônibus da BRT terão ao trafegarem pela cidade” (sic), mais uma vez sugestionando um conceito equivocado (no caso, de que os ônibus adquirem tecnologia ao trafegarem nas vias da cidade).

Por fim, a perspectiva da faixa branca é apresentada como um recurso para “simbolizar de forma subjetiva” (sic) os corredores e canaletas do projeto. Semioticamente falando, não consigo compreender como seria um símbolo não-subjetivo, pois o símbolo, em si, já é um signo que produz uma ideia geral, que vai ser interpretada diferentemente por cada indivíduo. Ou seja, é subjetivo na sua essência! Porém, devemos considerar a possibilidade do uso do termo “simbolizar”  fora do seu conceito semiótico. Neste caso, a expressão é apenas uma forma de utilizar termos técnicos sem muito critério.

E vocês, o que acharam?

***ATUALIZANDO***

Antes da publicação desse texto, fui apresentada a outro site do mesmo projeto, o brtbelem.com.br. O susto? Um leiaute completamente diferente, incluindo a marca do projeto. Estou achando melhor deixar a análise desta outra marca para outro post, concordam?

 

 

05 de novembro – Dia do Designer
5
11
2012

Para marcar o Dia do Designer, resolvi trazer uma listinha criada por Dieter Rams, designer industrial alemão.

 

1. Um bom design é inovador

2. Um bom design torna um produto útil

3. Um bom design é estético

4. Um bom design torna um produto compreensível

5. Um bom design é discreto

6. Um bom design é honesto

7. Um bom design é duradouro

8. Um bom design é completo, até o último detalhe

9. Um bom design é ecologicamente correto

10. Um bom design é o mínimo possível


Nem só de camadas e filtros se faz um bom designer!"
 

(http://interpretanteimediato.wordpress.com/)

 

 

 

 foto: ===livros===

 

http://pos.pucsp.br/eventos/coloquio-internacional-sociossemiotica-na-america-latina-perspectivas-abertas-pela-obra-de-e

 

 

 

O PROF. DR. ROGEL SAMUEL, DA UFRJ, NO SITE

ENTRETEXTOS (COLUNA CRÔNICA DE SEMPRE, 

24.3.2013):

 

"João Cabral de Melo Neto e o Futebol

 

 

João Cabral de Melo Neto e o Futebol

A coluna ‘Deixa Falar: o Megafone do Esporte’ apresenta nesta semana um artigo do cineasta Ney Costa Santos, flamenguista e apoiador da campanha ‘Fora Marin’. Ney discute a obra de um de nossos poetas maiores, João Cabral de Melo Neto, sobre futebol.
Ney Costa Santos

 
O poeta pernambucano João Cabral de Melo Neto, um dos grandes da poesia brasileira, gostava de futebol e chegou a jogar como meio de campo no juvenil do Santa Cruz, onde foi campeão em 1935.

Sua poesia era a das coisas em si. O que o interessava era aquilo de dentro, o interno, o miolo das coisas e, assim falando, falava do mundo, daquilo que nele observava e vivia.

Embora dissesse que o seu interesse por futebol tenha durado dos oito anos até a adolescência, os poemas sobre esse assunto em sua obra revelam o olhar agudo de quem vê o jogo por dentro e não se fixa tão somente às suas exterioridades: o espetáculo, o rumor das torcidas, a plasticidade das jogadas, a fantasia criativa de um gol raro ou decisivo.

No livro Museu de Tudo, publicado em 1975, há quatro poemas sobre o futebol: O torcedor do América F.C.; Ademir da Guia; Ademir Menezes; O Futebol Brasileiro evocado da Europa.

No poema sobre o torcedor do América de Recife, tradicional clube pernambucano ainda em atividade, Cabral desvenda o gosto raro daquele torcedor que não convive com as vitórias, que torce pelo time pequeno nos estádios vazios.


O TORCEDOR DO AMÉRICA F.C

O desábito de vencer
não cria o calo da vitória
não dá à vitória o fio cego
nem lhe cansa as molas nervosas.
Guarda-a sem mofo: coisa fresca,
pele sensível, núbil, nova,
ácida à língua qual cajá,
salto do sol no cais da Aurora.


Os cariocas ao lerem esse poema pensarão logo no América do Rio, matriz dos Américas do Brasil, quase todos padecendo desse “desábito de vencer”. Pessoalmente, penso na saga do América, o “Mequinha”, tão caro às tradições do futebol carioca, time de meus tios-avós tijucanos, um time grande na minha infância, que vi no Maracanã, na arquibancada atrás do gol, aos dez anos, ser campeão carioca de 1960. Cabral fala do América do Recife e de todos os Américas, de todos aqueles que torcem pelos times pequenos e carregam essa paixão machucada pelas várzeas e estadinhos Brasil a fora, sofrendo e ansiando por uma vitória que raramente vem, mas quando chega é saboreada como “coisa fresca, pele sensível, núbil, nova, ácida à língua qual cajá”, tal um sol brilhante e repentino.

Seria essa fruição rara o segredo da persistência da paixão do torcedor pelos clubes sem glórias?

Os dois poemas seguintes são sobre ritmo: Ademir da Guia e À Ademir Menezes. 


ADEMIR DA GUIA

Ademir impõe com seu jogo
o ritmo do chumbo (e o peso),
da lesma, da câmara lenta,
do homem dentro do pesadelo.

Ritmo líquido se infiltrando
no adversário, grosso, de dentro,
impondo-lhe o que ele deseja,
mandando nele, apodrecendo-o.

Ritmo morno, de andar na areia,
de água doente de alagados, 
entorpecendo e então atando
o mais irrequieto adversário.


Ademir da Guia era freqüentemente acusado de lento e de atrasar o jogo. Pura inverdade. Filho do lendário zagueiro Domingos da Guia. Ademir começou no Bangu em 1960, foi para o Palmeiras em 1962 e lá jogou até 1977, participando de times como a célebre Academia.Seu ritmo era diferente,pensado e calibrado,sempre atento às variações e alternâncias do jogo ao qual Ademir ia impondo o seu ritmo.Organizava o meio de campo e a saída de bola. Quando seu time era atacado, ele sabia desarmar o adversário e passar rapidamente da defesa ao ataque. Sempre o pensamento em movimento, a cadencia exata e necessária a cada circunstancia do jogo. Ademir fazia o passe médio e longo, era capaz de correr com a bola dominada, ir à linha de fundo e cruzar com precisão, tinha presença na área para uma cabeçada ou o arremate final. Seu repertório rítmico era variado e por isso se impunha à correria adversária.A alegada lentidão não era a pouca velocidade, mas a capacidade de pensar e alternar a cadencia de jogo, era o ardil e não o espalhafato, futebol inteligente e não ornamental.Ademir da Guia foi um artista sereno e refinado. Quem não o viu jogar ou está cansado de ouvir essa conversa fiada de lentidão, deve ver o documentário “Um Craque chamado Divino”. 


A ADEMIR MENEZES

Você, como outros recifenses,
nascido onde mangues e o frevo,
soube mais que nenhum passar
de um para o outro, sem tropeço.

Recifense e, assim dividido
entre dois climas diferentes,
ambidextro do seco e do úmido
como em geral os recifenses,

como você, ninguém passou
de dentro de um para o outro ritmo
nem soube emergir, punhal, do lento.
secar-se dele, vivo, arisco.


Ademir Marques de Menezes, craque famoso dos anos 40 e 50, foi artilheiro da Copa de 1950 com nove gols. Jogou a maior parte de sua carreira no Vasco da Gama, no famoso time do Expresso da Vitória.Em 1946 e 1947 jogou no Fluminense, sagrando-se campeão carioca na sua primeira temporada.

Não vi Ademir jogar e as poucas imagens que restam dele são aquelas da Copa de 50. Lembro-me bem de quando era garoto e ouvia as conversas dos mais velhos, que tomavam cervejas nos quintais enquanto as crianças zuniam pela casa nos aniversários. Eles descreviam os rushes de Ademir, arrancadas fulminantes em dribles rápidos, sua capacidade de sair da imobilidade e disparar em direção ao gol adversário. Contavam que era um artilheiro agudo e preciso.

João Cabral, em Ademir Meneses, fala dessa dualidade rítmica, própria dos recifenses. O ritmo do mangue, que ata, e o do frevo, que dispara; a capacidade de passar de um a outro, sem tropeço, tal um punhal “vivo e arisco”.

Nesses dois poemas Cabral fala da beleza que a mescla de habilidade técnica e capacidade de variação rítmica desses jogadores-artistas proporcionava ao espectador. É um olhar para o “dentro” do futebol e não apenas para os seus aspectos externos.


O FUTEBOL BRASILEIRO EVOCADO DA EUROPA

A bola não é a inimiga
como o touro, numa corrida; 
e embora seja um utensílio
caseiro e que se usa sem risco, 
não é o utensílio impessoal, 
sempre manso, de gesto usual:
é um utensílio semivivo
de reações próprias como bicho,
e que, como bicho, é mister
(mais que bicho, como mulher)
usar com malícia e atenção
dando aos pés astúcias de mão.


Há uma expressão entre os boleiros que bem define o perna-de-pau: “Esse não tem intimidade com a bola...” A proximidade carinhosa com ela, a atenção aos seus caprichos, como os de uma mulher, está no DNA do futebol brasileiro. Ao contrário de Lima Barreto e Graciliano Ramos que viram o futebol como um estrangeirismo passageiro, João Cabral percebe o modo original do estilo brasileiro e define poeticamente essa maneira de jogar “com malícia e atenção/dando aos pés astúcias de mão”. Entre essas astúcias estão o passe longo e preciso ao vislumbrar o deslocamento do companheiro, a capacidade de antever a jogada, a fantasia do drible e da resolução rápida, as trajetórias surpreendentes da bola nas cobranças de faltas.

Em um poema do livro Agrestes (1985), João Cabral fala de outra característica do futebol brasileiro clássico. Digo clássico, pois em tempos de ênfase em times de guerreiros, primeiro combate, volantes de contenção e outras expressões de infantaria,a arte do passe parece em decadência.Telê Santana dizia que “o passe é um gesto de amizade”.É por aí.


DE UM JOGADOR BRASILEIRO A UM TÉCNICO ESPANHOL

Não é a bola alguma carta
Que se levar de casa em casa:

é antes telegrama que vai
de onde o atiram ao onde cai.

Parado, o brasileiro a faz
ir onde há-de, sem leva e traz;

com aritméticas de circo
ele a faz ir onde é preciso;

em telegrama, que é sem tempo
ele a faz ir ao mais extremo

Não corre: ele sabe que é a bola,
telegrama, mais que voa.


É uma descrição precisa do que é ou foi a arte do passe no futebol brasileiro. Penso logo em Gerson,Didi,Zico, Ademir da Guia.Talvez hoje no futebol brasileiro apenas Deco e Ronaldinho Gaúcho, quando quer, sejam os herdeiros e praticantes dessa arte requintada.Passe, sim, e não assistência, como quer o jargão do atual jornalismo esportivo que importou o termo do basquete.Assistência lembra sirene, socorro, ambulância...

Na arte do passe brasileiro, o craque faz a bola chegar ao seu destino com cálculo de engenheiro e “aritméticas de circo”. Ciência e fantasia.

Os dois poemas seguintes, publicados em Crime na Calle Relator (1987), tratam da liberdade absoluta em um futebol utópico, livre dos esquemas táticos, um futebol que não mais seria jogo e sim brincadeira absoluta.


BRASIL 4 X ARGENTINA 0

Quebraram a chave da gaiola
e os quadros-negros da escola.

Rebentaram enfim as grades
que os prendiam todas as tardes
Nos fugitivos, é a surpresa,
vendo que tomaram-se as rédeas

(dos técnicos mudos, mas surpresos
brancos, no banco, com medo).

Estão presos os da outra gaiola
que não souberam abrir a porta:

ou não o puderam, contra o jogo
dos que estavam de fora, soltos.

De certo também são capazes
de idênticas libertinagens

uma vez soltos, porém como
se liberar daquele tronco

em que os aprisionaram os táticos
argentinos, também gramáticos.

E enquanto os fugitivos seguem
com a soltura, a sem lei que os regem,

nos bancos é uma a indignação:
dos que vão vencendo e dos que não:

“Voltamos ao futebol de ontem?
Voltou a ser um jogo dos onze

Voltou a ser jogar de pião?
Chegou até cá a subversão?

Como é possível haver xadrez
Sem gramática, bispos, reis?”


Nesse Brasil e Argentina as gaiolas das táticas e estratégias foram abertas e jogou-se sem gramática, bispos e reis, um anti-xadrez, um jogo de invenção e criatividade permanente, tão destituído de qualquer calculo ou planejamento, que nem a múmia que vivia na Capelinha da Jaqueira precisou ser convocada.


A MÚMIA

Na Capelinha da Jaqueira
uma múmia sobrevivera.

A de Bento José da Costa
ou de alguma amante preposta?

Ela não fazia fantasma:
era mais bem alma gorada,

ovo encruado, infermentação,
que nunca pode assombração.

*

Caminho do Campo do América
se ensaiavam dribles em sua pedra.

Se imitavam chutes sem bola
na pedra anônima em que mora.

E fosse de dia ou de noite
nunca foi de acenar a foice,

nem com gesto armado de morte
acenar-se sequer, de chofre.


*

Na Capelinha da Jaqueira,
a múmia, amiga e companheira,

punha-se acima de quem joga:
nunca envergou a negra toga,

ridícula, de juiz de futebol,
de calças curtas como um sol

castrado, já antes do apito
epilético; é Meritíssimo.

*

Talvez porque a múmia era cega?
Nunca ela torceu pelo América.

Também nunca acendemos vela
para que ela, com suas trelas,

driblasse a defesa contrária,
o juiz, e até as arquibancadas,

e entrasse só no gol do Esporte, 
num “gol de chapéu”, com a Morte.


Talvez só Garrincha, algum dia, tenha jogado esse futebol da ludicidade absoluta, o prazer de jogar uma doce pelada cósmica.
*Ney Costa Santos é Flamengo, Mestre em Comunicação Social e Professor da PUC-Rio. Cineasta, dirigiu os filmes Heleno e Garrincha,Meu Glorioso São Cristovão, O Pulo do Gato,Cinema Interior,Cole in Rio e Padre-Mestre. Nesta semana, é um convidado especial do Megafone que certamente passará a ser membro efetivo. Apóia enfaticamente “Fora Marin”.

Três toques do Megafone

1) Como disse o autor sobre Ademir da Guia, “quem não o viu jogar ou está cansado de ouvir essa conversa fiada de lentidão, deve ver o documentário Um Craque chamado Divino.” No link o trailer do filme. Um colírio para os admiradores do futebol arte:http://www.youtube.com/watch?v=SplZHzOUEDY

2) João Cabral de Melo Neto teve seu poema Morte e Vida Severina, musicado por Chico Buarque de Hollanda, a pedido de Roberto Freire, diretor do teatro TUCA da PUC de São Paulo. A peça encenada em 1966 se tornou um sucesso, recebendo premiação no festival universitário de Nancy, na França. João Cabral foi o poeta brasileiro que mais se dedicou ao futebol.

No link você pode ver a força e a beleza do poema( parte 8) de João Cabral musicado por Chico:http://www.youtube.com/watch?v=uL9cDmQxMwo

3) Ney Costa Santos voltará em breve ao Megafone com o artigo Heleno e Garrincha, tema de um de seus filmes.

Deixa Falar: o Megafone do Esporte: criação e edição de Raul Milliet Filho.
 
[Comentário]
Grande Mestre colega-colunista Rogel: "Talvez só Garrincha, algum dia, tenha jogado esse futebol da ludicidade absoluta, o prazer de jogar uma doce pelada cósmica". Não sabia que o diretor de cinema e professor Ney Costa Santos Filho é também um excelente frasista. Para falar de um lendário jogador do passado, só mesmo sendo um verdadeiro escritor do presente. Todavia, o Prof. Ney, com essa frase (que é claramente metafísica) dialoga também com o que ainda não aconteceu: poesia de todos jogos, em qualquer tempo, desde que seja no dia de um jogo futuro. Eu poderia, então, evocando o poema de Jorge Tufic, sugerir, como ilustração verbal desse pensamento: Garrincha / campo / frincha. Parabéns por divulgar essa matéria de interesse mundial! Flávio Bittencourt)"
 

 

(http://www.portalentretextos.com.br/colunas/cronica-de-sempre/joao-cabral-de-melo-neto-e-o-futebol,189,8771.html) 

 

 

 

 

 

 

POESIA:

 

História natural
 

No fim, já não se sabe
se ainda é vegetal
ou se a planta se fez
formação mineral

à força de querer
permanecer tal qual
na permanência aguda
que é própria do cristal,

que só não pode ser
o imóvel mais cabal
mas que ao estar imóvel
está aceso e atual.

João Cabral (1979: 144)


(Katz, Helena. Um, dois, três. A dança é o pensamento do corpo. Belo Horizonte: FID Editorial, 2005. 1 ed. p. 41,

http://aincerteza.wordpress.com/)

 
 

 

 

 

 

HUMOR:



(http://motoristapaciente.wordpress.com/2011/01/20/respeite-as-placas/) 

 

 

 

 

 

NÃO-PALAVRAS CRUZADAS:

 

Em Lvov, na Ucrânia, esse prédio tornou-se atração turística da cidade:



http://needesign.com/tag/add-new-tag/

 

 

 

 



 

 

 

O Cristograma com uma coroa de flores simbolizando a vitória da Ressurreição:



http://pt.wikipedia.org/wiki/Igreja_Cat%C3%B3lica

 

 

 

 

EMBLEMA DA PUC DE SÃO PAULO:

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

http://www.pucsp.br/

 

 

 

 

NOTÍCIA EMBLEMÁTICA: DIVULGADO O BRASÃO

DO PAPA FRANCISCO:

 

http://fratresinunum.com/2013/03/page/3/ 

 

 

 

 

 

APOIO CULTURAL:

 

 

 

  

  

 

 

 

OS MELHORES LICORES E BISCOITOS DA

AMAZÔNIA VOCÊ PODE ENCONTRAR, AOS DOMINGOS,

NA FEIRA DA AV. EDUARDO RIBEIRO, CENTRO MANAUS

(uma avenida central da capital amazonense, que

permanece fechada na parte da manhã e da tarde,

para que funcione a referida feira, ONDE ATÉ

MESMO LIVROS RAROS DE ESCRITORES AMAZONENSES

SÃO VENDIDOS EM OUTRO QUIOSQUE-LIVRARIA),

 NO QUIOSQUE DE 

BISCOITO REGIONAL FAZENDA AYAPUÁ

 

 

 

 

 

 

LIVRARIA DO CHIQUINHO (NO CAMPUS DA UnB / MINHOCÃO):

Mariana Costa/UnB Agência

 
[http://www.unb.br/noticias/unbagencia/unbagencia.php?id=5148]
 

 

 

 

 

 

 

COLLECIONE LTDA.

Venda e compra de moedas, cédulas, selos,

medalhas comemorativas, militares e honoríficas,

cauris [proto-moedas conchas] e miniaturas 

Edifício Brasília Rádio Center - Sobreloja - Brasília - DF / Asa Norte

Atendimento: Lucicleide / Júnior

E-mail: [email protected]

www.collecione.com

 

 Atendimento Collecione.com
(61) 3327-3643 / 9219-8243 / 9256-8125

Nosso Endereço: SRTVN 701 BLOCO "P" Sobreloja 09/74 - Collecione.com

 

 

 

 

 

 

 

CIA DO SOM

Caixinhas de som mini-auto e mini-aerocaça - instrumentos musicais -

artigos musicais - pen-drives - acessórios para celulares - brinquedos

Fone: (61) 3632-1021

Estação Rodoviária

Formosa - GO

 

(FOTO ILUSTRATIVA DE PRODUTO SEMELHANTE AO QUAL DISPOMOS - DEVIDO À ROTATIVIDADE DOS ESTOQUES, CONSULTE-NOS SOBRE O MODELO QUE TEMOS NA LOJA)

STUNT CAR TOY - MUSIC CAR - REMOTE CONTROL

(Caixa de som com entrada para pen-drive)

 

 

 

 

 

 

Revista O Pioneiro
 

"Nossa Revista "O Pioneiro" conta com uma linha editorial de excelente padrão, com relevantes matérias buscando sempre o desenvolvimento e a cultura do nosso País e em particular da nossa Capital. A Revista é distribuida a todos nossos associados, Congresso Nacional, Universidades, Autarquias, Órgãos Federais, GDF, Entidades de Classe, Comércio e Industria e Embaixadas.

 

             
                
        
           
          
           
              
                
    

 
(http://www.clubedospioneiros.org.br/revista.html)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ARTESANATO GOIANO: ENCOMENDE PELA

INTERNET E RECEBA A ENCOMENDA

PELO CORREIO!

BENGALAS, PORTA-TOALHAS E OUTROS

UTENSÍLIOS DOMÉSTICOS E MOLDURAS

RÚSTICAS FORMOSENSES

("A sua bengala, única no mundo!

Ofereça uma a quem você ama e precisa!"):

GRAVAMOS O SEU NOME NO PUNHO;

APOIO DA PONTA: BORRACHA NATURAL;

A ALTURA É CUSTOMIZADA PELO CLIENTE;

MADEIRA DE ELEVADA DURABILIDADE;

PUNHOS ESPECIAIS PARA A BENGALA QUE VOCE JÁ TEM;

PERSONALIZAMOS O PRODUTO: GRAVAMOS

NOMES, DESENHOS SIMPLES (bengala rústica),

MENSAGENS, ESCUDOS E LOGOTIPOS NO PUNHO:

BRINQUEDOS: BENGALINHAS DE MADEIRA

PARA CRIANÇAS;

PORTA-BENGALAS RÚSTICO;

BENGALAS NOVAS E DE SEGUNDA MÃO

[PREÇO DA BENGALA RÚSTICA USADA: 30 REAIS]

MOLDURAS RÚSTICAS, DE MADEIRA;

AZULEJOS EMOLDURADOS;

"Emoldure o seu ajulejo raro ou

do seu clube do coração! Temos alguns azulejos

de time de futebol em estoque!"

(PREÇO: 80 REAIS, INCLUÍDA A REMESSA PELO CORREIO

- PREÇO DA BENGALA COMUM EM MADEIRA, SEM PINTURA,

BENGALA ENVERNIZADA: 60 REAIS, MAIS A REMESSA);

telefone: (61) 9870-2007;

não possuo e-mail, mas, se o tel. estiver inativo

provisoriamente, você pode mandar e-mail de

recados para: secretaria.a[email protected],

a/c Sr. Cláudio Ramalho



 

 

 

 

 

 

 

 

DESENHO DE UM PORTA-BENGALAS: ENCOMENDE O SEU COM O

DESENHO E O NOME OU FRASES QUE VOCÊ PREFERIR 

 

 

 

 

 

DUAS ANTIGAS BENGALAS, ELEGANTES, E

UMA (TAMBÉM ELEGANTE) COM DESIGN ATUAL,

USADA GERALMENTE POR PESSOAS JOVENS

QUE SE CONTUNDEM, POR EXEMPLO, NA PRÁTICA

DE ESPORTES RADICAIS E QUEDAS "COMUNS"

[As bengalas a seguir mostradas não estão à venda e 

impressionaram-nos por sua classe e elegância]:





 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



The Walking Stick

The walking stick of Major Reuben Webster Millsaps has a gold knob handle inscribed "Major R.W. Millsaps from W.B. Jones." Jones was a prominent minister in the Mississippi Methodist Conference, serving 15 years as secretary of the conference and 50 years as a pastor and a presiding elder. A member of the College's third graduating class in 1897, Jones was awarded the Founders Medal. Mrs. Webster Millsaps Buie, Jr. donated the walking stick to the Millsaps College Archives in 2002.

 

(http://www.portalentretextos.com.br/colunas/recontando-estorias-do-dominio-publico/bengala-com-cabo-de-ouro,236,8582.html) 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

SE VOCÊ QUISER ALGO AINDA RÚSTICO, MAS MAIOR, COM

PEÇAS DE MAIOR REQUINTE E MÓVEIS GRANDES, VISITE:

http://artesanatorustico.com.br/ (ARTESANATO RÚSTICO

ESTRADA REAL, em Belo Horizonte/MG,

"Fundado em 2011, por Wenceslau Moreira Magalhães e sua esposa, Lucimeire de Araújo Paulo Magalhães, e por um artesão, amigo do casal, o Artesanato Rústico Estrada Real, estabeleceu-se numa propriedade rural, que fica situada no sopé de uma linda montanha, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, no Estado de Minas Gerais, propriedade esta que se encontra localizada às margens da Estrada Real, a qual foi utilizada, no passado, como parada de tropeiros, na época da corrida e exploração das pedras preciosas de Minas Gerais por parte dos bandeirantes e de outros desbravadores.

 

O Artesanato Rústico Estrada Real produz e comercializa artesanato e móveis rústicos de madeira nobre, de demolição, oriunda do casarão, do paiol, e do engenho antigo que compunha a antiga sede de uma Fazenda, bem como mediante a aquisição de madeira de demolição de outras propriedades da região.

 

Com o decorrer do tempo, o Artesanato Rústico Estrada Real planeja abrir lojas de “show room” nas cidades de Caeté e de Itabira, em Minas Gerais, buscando, assim, facilitar o acesso dos consumidores aos seus produtos e melhorar o atendimento à sua clientela.

 

O Artesanato Rústico Estrada Real preocupa-se em contribuir com o meio ambiente, uma vez que toda matéria prima utilizada na fabricação de suas peças – artesanato e móveis rústicos de madeira – provém de antigos casarões, silos, paiol, galpões e engenhos da região, reduzindo o desmatamento de nossas florestas, tão agredidas pelo homem, de há muito.

 

Nosso artesanato é composto por peças únicas, exclusivas, singulares e sem similar no mercado, o que caracteriza e distingue nossas peças, tornando-as mais um atrativo personalizado para sua casa, apartamento, fazenda, sítio, chácara, ou para o seu ambiente profissional;

localização:

O Artesanato Rústico Estrada Real está estabelecido numa propriedade rural, situada no sopé de uma linda montanha, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, propriedade rural que está localizada às margens da “Estrada Real”, a qual foi utilizada, no passado, como parada de tropeiros, na época da corrida e exploração das pedras preciosas de Minas Gerais por parte dos bandeirantes e outros desbravadores,

PRODUTOS:


Confira, abaixo, alguns dos produtos que o Artesanato Rústico Estrada Real faz, de forma bem artesanal:

- Aparadores

- Arcazes
- Armários
- Aves (arara, gavião, tucano, dentre outros)
- Bancos
- Baús
- Bichos (galo, coelho, raposa, dentre outros)
- Cabideiros
- Cadeiras
- Camas
- Carros de boi
- Cômodas
- Criados
- Cristaleiras
- Escrivaninhas
- Espreguiçadeiras
- Fruteiras
- Gamelas
- Mesas
- Molduras
- Placas (para Fazendas, Sítios, Chácaras e outros aplicativos)
- Porta papel higiênico
- Porta toalhas
- Quadros
- Variedades diversas
 
Também desenvolvemos artigos personalizados, entre em contato e faça um orçamento.")

 


 
 

 

 

 

 ESTRADA REAL [ESTADO DE MINAS GERAIS, BRASIL]

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O MELHOR RESTAURANTE DE FORMOSA/GO:


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

HOSPEDE-SE NO

ABC PALACE HOTEL

MELHOR OPÇÃO EM FORMOSA!

Venha se hospedar em nosso hotel. São 45 apartamentos para sua acomodação.
ABC Palace Hotel é como sua casa com as comodidades dos serviços do
melhor hotel de Formosa.
 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TAP PORTUGAL (APOIO À PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS),

A MAIOR EXPORTADORA DE PRODUTOS PORTUGUESES:



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

JORNAL DA TAP:

http://jornal.tap.pt/Pages/Default.aspx

 

 

 

 

 

 

 

 

PORTAL ENTRETEXTOS:

 
 
 
 
 
 
Dilson Lages MonteiroSábado, 02 de março de 2013
 

 

 

 

 

 

 



A COLUNA "RECONTANDO ESTÓRIAS DO DOMÍNIO PÚBLICO", DO SITE ENTRETEXTOS, QUE É SUB-EDITADA PELO TIO-AVÔ DA LUANA, NA FOTO QUE SE PODE SEMIOTICAMENTE LER EM:

http://www.portalentretextos.com.br/colunas/recontando-estorias-do-dominio-publico/o-colunista-com-duas-luanas-e-uma-canoa-igarape-em-manaus,236,8675.html

["O colunista com duas Luanas e uma canoa (igarapé em Manaus)" 26.2.2013]

 

 

 

 

 

IASS-AIS:


(UM DOS MEMBROS DA DELEGAÇÃO BRASILEIRA JUNTO À

DIRETORIA DA IASS-IAS:

PROF. DR. EUFRÁSIO PRATES, PhD EM ARTES PELO IDA/UnB,

EX-PRESIDENTE DA ABSB)

 

 

 

 

REGIONAL RECORTE/FORMOSA/GO, Seção Municipal da ASSOC. RECORTE

 

 



ASSOCIAÇÃO RECORTE (Regional Centro-Oeste/Norte) DR. G. DORFLES

 

ABSB (ASSOCIAÇÃO BRASILIENSE DE COMUNICAÇÃO E SEMIÓTICA), filiada à IASS-AIS

 

[DIVULGAMOS TAMBÉM OS EVENTOS DA ABES (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS SEMIÓTICOS) E DO CISC (http://www.cisc.org.br/portal/index.php);

A ABS/RECORTE ainda não se filiou ABES, o que pretende fazer na próximo Encontro Nacional dessa Instituição científica;

foi declarada extinta a ABS, com a fundação da ABES; 

AGRADECEMOS À TAP PELO APOIO A EVENTOS CIENTÍFICOS NA EUROPA -

trechos a partir de Lisboa ou de volta à capital portuguesa]

   

 

 

 

----------------------------------------------------------------------------------------------------
 

 

 

  

FORMOSA/GO, COM FOTOS DA FORMATURA EM DIREITO DA

FILHA DO SÓCIO DA RECORTE FLÁVIO BITTENCOURT, A

SRTA. LUCIANA (MARÇO DE 2013):

 

A FARTURA DA REGIÃO CENTRO-OESTE DO BRASIL -

FORMOSA:



 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 






 

 

 

 



 

Elizabeth Taylor - Thing of Beauty,
Youtube:



Enviado em 01/12/2009   - poeticjustice2345

This is my love letter to the wonderful, amazing and beautiful Dame Elizabeth Rosemond Taylor.
 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

John Lennon - Stand by me,
Youtube:



 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 



 

 

 

 

 












 

 









 

 

 

 

 

 

 


HOMENAGEM AO PREFEITO DO

MUNICÍPIO DE FORMOSA/GOIÁS

ITAMAR BARRETO (PSD)

 

[com aprox. 98 mil habitantes, situado a 75 km de Brasília,

possui sítios arqueológicos (inscrições rupestres) 

protegidos pelo IPHAN - GO, ginásio esportivo, estádio

de futebol, Fundação Museu Couros de Formosa,

oficinas de artesanato, hotéis, UEG e faculdades

particulares, restaurantes de cozinha goiana (comida

caseira, gastronomia requintada, pizzarias, sorveterias,

pamonharias etc.) e o Salto do Itiquira (ecoatração

[protegida pelo IBAMA - GO] internacional, como

também a (bela) Lagoa Feia, com diversos bares em sua orla)]:

 



 

 

 

 

 

 

EVENTOS DESTACADOS 

DO ANO ANTERIOR (2012) /

JÁ ENCERRADOS:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

HOMENAGEM PÓSTUMA:

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Magalhães, Aloísio (1927 - 1982)         



Biografia
Aloísio Barbosa Magalhães (Recife PE 1927 - Pádua, Itália 1982). Pintor, designer, gravador, cenógrafo, figurinista. Forma-se em direito pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em 1950. Nessa época, participa do Teatro do Estudante de Pernambuco (TEP), onde exerce as funções de cenógrafo e figurinista, além de ser responsável pelo teatro de bonecos. Com bolsa do governo francês, estuda museologia em Paris, entre 1951 e 1953, também frequenta o Atelier 17, um centro de divulgação de técnicas de gravura, onde é aluno do gravador Stanley William Hayter (1901-1988). Volta ao Brasil em 1953. Em 1956, com bolsa concedida pelo governo americano, viaja aos Estados Unidos, onde se dedica às artes gráficas e à programação visual. Publica, com Eugene Feldman, os livros Doorway to Portuguese e Doorway to Brasília, e leciona na Philadelphia Museum School of Art. Em 1960, volta ao Brasil e abre um escritório voltado à comunicação visual, campo no qual é um dos pioneiros no país, e realiza projetos para empresas e órgãos públicos. Em 1963, colabora na criação da Escola Superior de Desenho Industrial (Esdi), onde leciona comunicação visual. Cria, em 1964, o símbolo do 4º Centenário do Rio de Janeiro, seu primeiro trabalho de grande repercussão pública e, no ano seguinte, desenha o símbolo para a Fundação Bienal de São Paulo. Desde 1966, desenvolve desenhos para notas e moedas brasileiras. Em 1979, é nomeado diretor do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e, no ano seguinte, presidente da Fundação Nacional Pró-Memória, quando inicia campanha pela preservação do patrimônio histórico brasileiro. Em sua homenagem, a Galeria Metropolitana de Arte do Recife passa a denominar-se Galeria Metropolitana de Arte Aloísio Magalhães, em 1982. Em 1997, o nome da instituição é alterado para Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Mamam).



Atualizado em 17/03/2011"

 

(http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enciclopedia_IC/index.cfm?fuseaction=artistas_biografia&cd_verbete=543&cd_idioma=28555)

 

 

 

 

 

ACSRDrGD / Reg. Formosa - ASSOCIAÇÃO RECORTE / Regional Formosa

 

 

 

FFBT ["FFBT 1"]

 

 

IGHAAAA (EMBLEMMMM)

 

 

 

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

 


O RIO DE JANEIRO CONTINUA LINDO...


[Uma homenagem aos 448 anos de fundação da cidade do Rio de Janeiro, do Prof. Feijó]

O BLOG DO PROFESSOR FEIJÓ

(http://professorfeijo.blogspot.com.br/) E A

A LIVRARIA VIRTUAL PARA AQUISIÇÃO DE LIVROS DO

PROFESSOR FEIJÓ (DA UFF E PÓS EM LINGUÍSTICA

APLICADA DA UERJ) SOBRE FUTEBOL, EXPRESSÕES

DE NARRAÇÕES DESPORTIVAS E SEMIOLOGIA:

[email protected] ou

[email protected]

 


 

 

A ACS/RCO-NDrGDorfles / Reg. Formosa (ASSOCIAÇÃO DE C. & .S RECORTE Dr. G. DORFLES / Regional Formosa)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ABSB, filiada à IASS / AIS - ASSOCIAÇÃO BRASILIENSE DE COMUNICAÇÃO E SEMIÓTICA

  
&&&&&&&&&&

===em edição===

(fora de lugar: são os 1ºs, os seguintes)

 

 


 

O LABORATÓRIO DE REDAÇÃO

PROF. DÍLSON LAGES,

DE TTTTTT-PI



 

 

 

 

 

 

 

 

A LOJA MAIS DIESEL, DE FORMOSA-GO



 

 


 

 

O CURSO DE ALEMÃO TEUTO, DE SÃO PAULO-SP 

 
 

 

 


 

  

 

A ABSB - ASSSS

 

  


 



 

 

 IGHA

 

 

 

 

 

 

 &&&&&&&&&&&

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

O ARTESÃO FORMOSENSE "FFBT" (artesanato rústico)

 

 

 

 

 

===

===

===

 

 

POST RECENTE DESTA COLUNA DO SITE ENTRETEXTOS:

 

 [autorama - trem elétrico em miniatura]

 

 "Em vez de autorama, tive um trem elétrico em miniatura: é um estilo.  Tudo bem, mas agora os carrinhos para crianças dirigirem são cada vez mais populares.  Haverá trem da mesma proporção para quem prefere trem a automóvel?"

(O RESPONSÁVEL POR ESTA C. R...

 

 

link:  ===em edição===

http://www.portalentretextos.com.br/colunas/recontando-estorias-do-dominio-publico/carros-da-toyota-para-criancas,236,8799.html

 

 

 

 

BARCAÇA AMERICANA, TENDO A MEGALÓPOLE POR DETRÁS

(COM SEUS TOTENS DE CONCRETO):