Calmaria enganosa
 

   As ondas estão baixas.
   A aragem corre sob um céu nublado.
   Ontem, quando procurei a Lua Cheia entre os galhos
                 do jequitibá, ela ja tinha ido embora.
   No entanto, essa calmaria chega a parecer ameaçadora -
                  ha algo oculto como a Treva Envenenada
   E minha Alma assombrada,
   procura um escape na escuridão.

   Os dias voltarão a surgir,
   mas, me será permitido toca-los
   como esferas iluminadas
   ao comando da Deusa Aurora,
        Deusa de tantas mitologias?

   Guardarei dentro de mim
   o combate entre as Trevas e a Luz
   Não existe Vitoria na Alma do Universo
   Mas o Sorriso do Espirito
               permanece no Misterio do Desconhecido