Dilson Lages Monteiro Terça-feira, 27 de junho de 2017
Tamanho da letra A +A

Coleção Centenário

Coleção Centenário

[Reginaldo Miranda - da Academia Piauiense de Letras]

A Academia Piauiense de Letras foi fundada em 30 de dezembro de 1917, por uma plêiade de intelectuais conscientes de seu papel na sociedade e com o objetivo de cultivar o idioma pátrio e promover o desenvolvimento da literatura piauiense.

Este sodalício, ao longo de sua trajetória, nunca se afastou do ideal dos fundadores, atuando como protagonista da história cultural do Estado. As melhores iniciativas culturais que aqui se desenvolveram, contaram sempre com a participação efetiva da assim cognominada “Casa de Lucídio Freitas”.

Revista, que começou a circular em junho de 1918, constitui-se hoje na mais antiga publicação cultural do Estado, primando sempre pela divulgação de matérias de cunho histórico e literário.

Porém, a Academia não se fugiu a outras iniciativas de monta. A fundação da antiga Faculdade de Direito(1931) ou da Faculdade de Filosofia(1957), que serviram de base para a criação da Universidade Federal do Piauí em 1971, foram iniciativas protagonizadas por ilustres membros da Academia, bastando citar os nomes de Higino Cunha, Crommwel Barbosa de Carvalho, Avelar Brandão Vilela, Raimundo José Airemoraes Soares, M. Paulo Nunes e José Camilo da Silveira Filho, entre outros.

A edição de livros tem sido uma preocupação constante da “Casa de Lucídio Freitas”. Nos dias de ontem foram publicadas obras avulsas, sem falar na participação decisiva, em conjunto com o Estado, em dois momentos culturais de alta relevância, a criação e execução do Plano Editorial do Estado, na primeira metade da década de setenta, e do Projeto Petrônio Portella, no início dos anos oitenta.

Hoje, ao aproximar-se do primeiro século de fundação, a Academia implementa um ousado plano editorial, contando com a participação de importantes parceiros: Senado Federal, Governo do Estado, Prefeitura de Teresina e Universidade Federal do Piauí. Obras relevantes, sob o selo daColeção Centenário, têm sido (re)editadas, outras estão em fase de gestação. O público brasileiro, e especialmente do Piauí, está tendo acesso a obras como: Memórias: traços autobiográficos, de Higino Cunha; Em roda dos fatos e Vultos piauienses: apontamentos biográficos, de Clodoaldo Freitas;Apontamentos biográficos de alguns piauienses ilustres e de outras pessoas notáveis que ocuparam cargos importantes na província do Piauí, de Miguel de Sousa Borges Leal Castelo Branco; Conversas com M. Paulo Nunes, organizado pela acadêmica Teresinha Queiroz; São Gonçalo da Regeneração – marchas e contramarchas de uma comunidade sertaneja: da aldeia indígena aos tempos atuais, Aldeamento dos Acoroás e Piauí em foco, de Reginaldo Miranda; Estudos de História do Piauí, O Piauí na história eDepoimentos históricos, de Odilon Nunes; Nebulosas, de Antonio Chaves;Poesias, de Celso Pinheiro; Poesia e prosa, de Jônathas Batista; O santíssimo milagre, de Leonardo das Dores Castelo Branco; Literatura piauiense – escorço histórico, de João Pinheiro; Caatingas e chapadões, de Francisco de Assis Iglésias; Diálogo e circunstância, de Celso Barros Coelho; Vozes imortais, de Édson Cunha, etc.

É, pois, um ousado plano editorial, o maior de que se tem notícia entre nós, visando comemorar o centenário de nossa instituição cultural. E quem ganha é o público leitor, com acesso a uma coleção literária que marcará época. Que Deus nos abençoe, e que essa iniciativa possa perdurar. Boa leitura.  

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas notícias

22.06.2017 - Rabugens de pessimismo

É essa profissão que me dá a satisfação de, quase todos os anos, ler e reler

18.06.2017 - O fazer literário de Renato Barros de Castro

Ele é autor, entre outros, de O mistério de Frida Zeiden

16.06.2017 - A gênese de nossa criação literária

A literatura é, afinal, uma grande resposta que nos leva a uma certeza: há sempre o que perguntar.

16.06.2017 - Lançamento: Contos de viagem, de Nelson Nery

Ele notabilizou-se pela produção de obra jurídica e historiográfica

15.06.2017 - Armas e anjos

Resenha sobre Olhos de Carvão de Afonso Borges

15.06.2017 - Como revisar um livro infantil

Você sabe o que faz um revisor?

05.06.2017 - Coleção Centenário

A edição de livros tem sido uma preocupação constante da “Casa de Lucídio Freitas”.

Listar mais

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br