Acaba de ser publicado novo número da Revista da Academia Carioca de Letras com o tema A mulher na Literatura Brasileira. Há uma deliciosa entrevista com Nélida Piñon. Aqui um trechinho: "(...) você, para ser contemporânea, tem que ser arcaica. Se você é só contemporânea, você é anacrônica. Ser arcaica é no sentido de estar no início do mundo. Se você não está como autor, a meu ver, no início do mundo, faltam questões fundamentais.Você não faz parte do mundo fundacional. Essa é a minha sensação, tanto que é uma paixão que tenho por Machado de Assis, tenho a sensação e me olho nele um pouco, modestamente, não é? Ele esteve presente com sua obra nos momentos constitutivos da civilização brasileira. É a isso que acho que eu aspiro, é estar presente no mundo. É aí, talvez, que você, sem querer, é atualizado. Eu não estou a serviço da atualidade, a atualidade é que se encaixa em mim de alguma maneira. (...)" - Entrevista realizada por Ana Arruda Callado, Ricardo Cravo Albin, Sérgio Fonta e Godofredo de Oliveira Neto.

(Com informações do prof. Godofredo de Oliveira Neto)