Obituário: Elmo da Silva Amador, aos 66 anos, defensor da Baía de Guanabara
 

De acordo com o portal Baía de Guanabara ponto org, o geógrafo, geólogo e ambientalista Elmo Amador foi um batalhador aguerrido pela proteção da Baía.

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(http://www.skoob.com.br/livro/57985-baia-de-guanabara-e-ecossistemas-perifer,

onde se pode ler a sinopse da obra:

"Como produto de uma lenta e complexa evolução cósmica-geológica-geomorfológica-ambiental, foram produzidos no planeta Terra, Paraísos Tropicais, nos quais se instalaram ecossistemas altamente produtivos e diversificados biologicamente, que atrairiam, milenarmente, populações de povos coletores e pescadores, que se harmonizavam com os limites da natureza. Um desses paraísos tropicais era a Baía de Guanabara, com seus complexos, diversos e produtivos ecossistemas periféricos. Com o mercantilismo, primeiro estágio do capitalismo, estes paraísos foram (des)cobertos pelos europeus e utilizados no processo de produção e reprodução do capital, baseada na mão de obra escrava e rapinagem dos recursos naturais. Nos diversos estágios do capitalismo, que sucederam a colonização, espaço, natureza e homem foram transformados em objeto de lucro e de acumulação.

Atualmente, a bacia contribuinte à Baía de Guanabara, apesar da importância histórica, econômica, cultural, científica, social e ambiental é um dos ambientes costeiros mais degradados do país, tanto do ponto de vista ambiental, quanto social, sendo exemplo emblemático do caráter predatório da colonização e dominação dos países do Terceiro Mundo.


Há poucos anos da virada do milênio e da 'comemoração' dos 500 anos da invasão e colonização do Brasil (e do desvendamento da Baía de Guanabara para o mundo ocidental), é oportuno que se faça um balanço da história desta dominação.

Com base nos resultados de estudos que vêm sendo realizados, pelo autor, na UFRJ, desde o final da década de 60, sobre a região da Guanabara, são reconstituídos os cenários paleogeográficos mais significativos da história da evolução da baía. Usando os processos históricos e as condicionantes geográficas, como fios condutores, e tendo como ponto de partida o cenário natural reconstituído, são buscadas as origens do atual quadro de degradação ambiental e humana da região da Baía de Guanabara")

 

 

 

 

Elmo da Silva Amador  - Foto: divulgação 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ELMO AMADOR em seu sítio em São Pedro da Serra, Município de
Nova Friburgo, Estado do RJ (Brasil)
(Só a fotografia, sem a legenda acima redigida:
Foto: Jornal Serrano online)
 
 
 
 
 
 
 
 
 

"RIOS DESEMBOCAM NA BAÍA DE GUANABARA LEVANDO 80 T DE LIXO POR DIA 

Foto divulgação Ministério do Turismo 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

Baía recebe 80 toneladas de lixo flutuante por dia

[19.6.2008] As cinco ecobarreiras e os três barcos usados para tentar conter o lixo flutuante da Baía de Guanabara (RJ) retiram da água, com esforço, cerca de sete toneladas de resíduos por dia.

Mas, diante da imensidão de plásticos, garrafas PET, sofás e geladeiras velhas, as iniciativas da Secretaria estadual do Ambiente se comparam a pano que enxuga gelo.

De acordo com o geógrafo Elmo Amador, o volume médio de lixo flutuante expelido pelos rios que desembocam na Baía é de 80 toneladas por dia.

O geógrafo alerta sobre os resíduos que já afundaram e, atualmente, cobrem o fundo da baía: "São pelo menos 20 quilômetros quadrados de fundo completamente perdido, revestido com plástico e outros materiais, a ponto de não existir mais peixe" - O Globo, 19/8, Rio, p.17. Fonte: Manchetes Sociambientais - ISA".
 
 
 
 
 
 
 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(http://projectointeligencia.blogspot.com/)

 

  

 

"(...) [- Elmo,] Toma conta de nós, meu amigo... (...)"

(SHEILA MOURA, no blog O GRITO DO BICHO,

http://ogritodobicho.blogspot.com/2010/07/elmo-amador-um-ambientalista-que-tive_02.html;

a mensagem completa encontra-se transcrita

no fim da presente homenagem de saudade)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BRASÃO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, com

dois golfinhos [tursiops truncatus, cetáceos

pertencentes à família Delphinidae], que fazem

evocar um  tempo maravilhoso em que esses 

mamíferos aquáticos inteligentes, alegres e

brincalhões viviam em paz, na infelizmente hoje

muito poluída Baía de Guanabara

(http://rafaeloliveira-rj.blogspot.com/)

  

 

 

Baleia 
(http://www.imagensporfavor.com/tag/1/baleia+e+nome+cientifico.htm)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BAÍA DE GUANABARA (ESTADO DO RIO DE JANEIRO, BRASIL) 

(http://www.saberweb.com.br/praias-do-brasil/baias-do-brasil/baia-de-guanabara.htm)

 

 

 

ilha-do-gato-terra-dos-temiminos-mapa-rj-de-joao-teixeira-albernaz-1624 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
"Ilha do Gato
Terra dos Temiminós
Mapa da baía da Guanabara
João Teixeira Albernaz, 1624"

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NA INTRODUÇÃO DA OBRA MONUMENTAL DO PROF. ELMO,

Baía de Guanabara e Ecossistemas Periféricos: Homem e Natureza,

O CIENTISTA CATARINENSE-CARIOCA LEMBRA QUE

MANADAS DE BALEIAS E GOLFINHOS ERAM VISTAS NA

BAÍA DE GUANABARA, ANTES DO PROCESSO DEVASTADOR

DE COLONIZAÇÃO, que também afastou indígenas de um

habitat  em que seres humanos nadavam com cetáceos

e cardumes de grande diversidade ictiológica (peixes)

(Apenas o quadro de ilustrações, sem a legenda acima

redigida: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/golfinho/golfinho-7.php)

 

 

 

 

 

(http://www.imagensporfavor.com/tag/1/baleia+e+nome+cientifico.htm

 

 

 
 
 

"[1.7.2010] Elmo, guerreiro!

Nesta quarta-feira (30/6), o geógrafo Elmo Amador [1943 - 2010], ex-diretor do Instituto de Geociências (Igeo/UFRJ) nos deixou. Notório defensor do meio-ambiente, sobretudo da revitalização da Baía de Guanabara, fundou a Assembleia Permanente de Entidades em Defesa do Meio Ambiente (Apedema) e o movimento Baía Viva. Como resultado de suas pesquisas e militância política, foram obtidas importantes vitórias, entre as quais a criação da APA de Guapimirim. Elmo deixa muitas saudades".

 (CHICO ALENCAR, deputado federal / PSOL - RJ,

http://www.chicoalencar.com.br/_portal/noticias_do.php?codigo=266

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CHICO ALENCAR (Prof. Francisco Rodrigues de Alencar Filho), do PSOL do RJ,

tendo ao fundo excelentes músicos e mensagens nacionalistas que entusiasmam

os cidadãos patriotas, foi uma das personalidades brasileiras que não tardaram a

se manifestar publicamente sobre a infausta morte de Elmo Amador

(Só a foto, sem a legenda acima engendrada:

http://www.apn.org.br/apn/index.php?Itemid=46&id=406&option=com_content&task=view,

onde se pode ler: "(...) Noca da Portela, Luis Carlos da Vila, Panela di Barro, Edinho Oliveira, Bira da Vila, Márcia Moura, Gilmar Simpatia e Luta Armada Hip Hop, além do poeta Zorro e da Companhia Emergência Teatral, foram os artistas que transformaram a luta em defesa dos recursos naturais brasileiros num verdadeiro show militante. (...)",

"Ato-show contra privatização do petróleo e gás reúne mais de 600 pessoas em auditório do MEC [no Palácio Gustavo Capanema, Centro do Rio, em 12.6.2010]"; fontes: Samuel Tosta / Agência Petroleira de Notícias)

 

 

 

 

"(...) (ELMO DA SILVA AMADOR) Morava na cidade do Rio de Janeiro desde 1950. Em 1974 comprou terras na Bocaina dos Blauts em São Pedro da Serra, onde instalou um sítio e conquistou grande número de amigos. Segundo seus relatos, para vivenciar seus sonhos de infancia com a Natureza.
- “São uns terreninhos legais e a gente vai pra lá, é um lugar precário, longe, o acesso difícil, lá em São Pedro da Serra, o limiar do interior de Friburgo.”.
O primeiro velório foi realizado no cemitério São João Batista, no bairro de Botafogo, cidade do Rio de Janeiro no dia 30 de julho, até às 17h. Por sua vontade e por forte ligação efetiva com a região, seu corpo foi transferido do Rio de Janeiro para a capela de São Pedro, para um segundo velório e sepultado no dia 01 de julho de 2010 no Cemitério Municipal de São Pedro, São Pedro da Serra, vila sede do 7º distrito do municipio de Nova Friburgo
(...)".

(JORNAL SERRANO Online, São Pedro da Serra, 3.7.2010,

http://www.jornalserranonline.com.br/noticia-sao-pedro-da-serra-089.html)

  

 

 

 

 

 

 

                                    Homenageando a memória do saudoso Elmo - cunhado, amigo -,                                 

                                    ao meu tio Pedro Paulo Uchôa Bittencourt, técnico em Administração

                                    do Ministério da Indústria e do Comércio que recortava todas

                                    as notícias e reportagens em que Elmo era citado e as entrevistas

                                    por este último concedidas, colecionando-as organizadamente,

                                    dessa forma facilitando sua consulta - in memoriam -, e à sua senhora, 

                                    tia Noemi Freligh Bittencourt, desejando-lhe saúde e vida longa,

                                    como à minha irmã Zulmira Bittencourt Amador e descendência 

 

  

   

 

 

 

2.7.2010 - Na palestra de apresentação de sua tese de doutoramento, apresentada à UFRJ, onde lecionava, Elmo da Silva Amador homenageou os naturalistas do século XIX, cujas pesquisas podem ser consideradas, segundo o pesquisador, trabalhos de verdadeiros humanistas - Elmo faleceu vitimado por complicações decorrentes de leucemia, no Hospital Espanhol (Centro do Rio), anteontem de madrugada, e ontem, 1º de julho, foi sepultado em São Pedro, localidade próxima a Lumiar, no Estado do Rio, onde - em sítio ecologicamente preservado -, com sua família, cultivava orquídeas, não tendo parado de produzir artigos científicos, nem ações militante-ambientalistas de sucesso, a partir de sua aposentadoria como professor adjunto do Instituto de Geociências da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Elmo foi diretor do citado Instituto, além de ter ocupado relevante função na FEEMA - RJ). Esse estudioso, que militou no Movimento Estudantil contra a Ditadura de 64, tornou-se, anos depois, um dos mais destacados ambientalistas do Brasil, tendo concedido muitas entrevistas à imprensa e participado de grande quantidade de mesas-redondas no rádio e na televisão, nada cobrando por esse trabalho extra-universitário. O ex-ministro do Meio Ambiente Carlos Minc, que foi um dos membros da banca que julgou o mais importante trabalho de Elmo, classificou sua tese, de público, como OBRA MONUMENTAL. No ano seguinte (1997), Elmo fez imprimir, com seus próprios recursos (edição do autor), Baía de Guanabara e Ecossistemas Periféricos: Homem e Natureza, que rapidamente se esgotou. O alentado tomo cujo conteúdo não é outro senão a obra definitiva do cientista catarinense-carioca, construído a partir de sua tese doutoral, é um livro seguidamente utilizado em estudos sobre a Baía de Guanabara. F. A. L. Bittencourt (flabitten@bol.com.br)

 

 

 

 

 

ORQUIDÁRIO NATURAL

(http://acocps.vilabol.uol.com.br/novidades.html)

 

 

 

 

(http://www.arteuniversal.com.br/papel_de_parede/papel_de_parede_orquideas.html)

 

 

 

 

(http://www.arteuniversal.com.br/papel_de_parede/papel_de_parede_orquideas.html)

 

 

 

 

(http://www.arteuniversal.com.br/papel_de_parede/papel_de_parede_orquideas.html)

 

 

 

 

 

PORTAL DA BAÍA DE GUANABARA / NOTÍCIAS 

"Notícias da Baía                                                                     

Faleceu Dr. Elmo Amador

Estudioso da Baía de Guanabara e batalhador aguerrido pela sua proteção.

Autor do livro Baía de Guanabara e Ecossistemas Periféricos: Homem e Natureza, publicado em 1997, referência para os que pesquisam o assunto e para todos os que trabalham pela recuperação da Baía, Dr. Elmo Amador era um dos maiores conhecedores dela.

Participou das negociações que resultaram em importantes vitórias para a Baía de Guanabara, entre as quais: Criação da APA do Guapimirim; inclusão da Baía de Guanabara na Constituição Estadual como Area de Preservação Permanente  e de Relevante Interesse Ecológico; redução dos aterros previstos no Projeto Rio; Ação Popular (a primeira no Brasil contra crime ambiental) que impediu o loteamento do espelho dágua da Lagoa de Itaipu; declaração da Baía de Guanabara como Patrimonio da Humanidade pelo Forum Global durante a Rio 92; tombamento da orla de Botafogo e inclusão do assoreamento como problema ambiental da Baía de Guanabara.

A Baía de Guanabara sentirá a sua falta. 



Autor: Dora

Publicado no site em 30/06/2010".

 

(http://www.portalbaiadeguanabara.org.br/portal/noticias_int.asp?idnoticia=148)

 

 

 

===

 

 

 

UM PROFISSIONAL DO AMOR ÁS ÁGUAS,

como consta no Blog da Tecelã

 

 

"Quinta-feira, 1 de julho de 2010

ELMO AMADOR, UM PROFISSIONAL DO AMOR ÀS ÁGUAS

 

A internet me traz uma notícia triste: morreu Elmo Amador. Há exatos quatro anos, junho de 2006, concluí um curso livre de Jornalismo Ambiental na ABI (Associação Brasileira de Imprensa), com a jornalista Zilda Ferreira (de vermelho na foto). Uma das lembranças – e ensinamentos – mais fortes que ficaram daqueles encontros no charmoso prédio da Rua Araújo Porto Alegre foi a visita/aula do geógrafo Elmo Amador.

Naquela época sua figura já denotava uma saúde debilitada, mas sua disposição para defender o meio ambiente, especialmente a Baía de Guanabara, superava qualquer fragilidade física. Nascido em agosto de 1943 em Itajaí-SC, o Professor Elmo fundou e militou em diversos órgãos de proteção ao meio ambiente. E em seus textos transbordava não apenas os conhecimentos científicos, mas um grande amor pela natureza.

Em sua homenagem, transcrevo aqui alguns trechos de textos que ele generosamente nos enviou por e-mail, com essas palavras de carinho: “Prezados amigos, Envio atachados 3 textos sobre a nossa querida Baía de Guanabara. Beijos e abraços. Elmo Amador”.


.BAÍA DE GUANABARA E ECOSSISTEMAS PERIFÉRICOS - HOMEM E NATUREZA:

Trava-se atualmente em torno do Programa de Despoluição da Baía de Guanabara, que envolve diversos projetos, um embate de concepções. Acompanhados por uma espetacular propaganda na mídia, vultosos recursos nacionais e internacionais estão empregados para a execução de obras de saneamento prioritárias, como estações de tratamento e redes de coleta de esgoto. A maioria destas estações, no entanto, terão tratamento apenas primário e o efluente será lançado no interior da baía através de emissários submarinos. Algumas estações de tratamento de esgoto estão sendo construídas por sobre manguezais. Por outro lado, grandes obras de drenagem e dragagem vêm sendo realizadas na baixada, através da SERLA, com notórios impactos na sedimentação da baía. Simultaneamente, novos aterros oficiais continuam roubando áreas da baía, enquanto junto a já altamente poluidora Refinaria de Caxias instala-se se o “polo do gás”. Enfim mesmo depois da Rio-92, do propalado “desenvolvimento sustentado” e da suposta consciência ecológica, o poder público continua sendo o principal agressor da baía”.

. SUGESTÕES DE ROTEIROS A SEREM PERCORRIDOS POR EMBARCAÇÃO NA BAÍA DE GUANABARA - PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO PDBG:

“Navegar na Guanabara é mergulhar num passado mágico. É cruzar as mesmas águas singradas pelos Tupinambás e seus ancestrais, que em suas frágeis canoas e ubás, estabeleceram uma relação harmoniosa de sustentabilidade com a Guanabara. É percorrer os mesmos percursos feitos pelos galeões e caravelas e pelas chaluas impulsionadas pelos sofridos e fortes braços escravos. Em suas águas penetraram corsários e piratas saqueadores, travaram-se batalhas pela conquista das terras. Em suas águas frequentemente grandes manadas de baleias pariam seus filhotes no inverno. No interior e margens da baía lentamente se instalaram diversos ecossistemas periféricos que asseguravam uma elevadíssima produtividade biológica, que sustentou os povos, que acompanharam as graduais modificações ambientais sofridas pela baía desde sua formação. Navegar pela Guanabara é ter a mesma emoção de êxtase dos visitantes naturalistas que a conheceram e a decantaram em prosa e verso.

As qualidades da Guanabara foram também a sua perdição. A água abrigada, a facilidade de acesso ao interior através de suas águas e rios e as riquezas de suas matas atraíram a cobiça dos europeus que aqui se instalaram e construíram uma cidade colonial, que para se desenvolver soterrou brejos, lagunas, manguezais, restingas e matas, arrasou morros, modificou a geografia e finalmente envenenou as suas águas”.

Amador no nome – por amar e não em oposição a profissional - já vejo o Elmo, tranquilo, às margens daquela linda baía do século XVI, sorrindo amorosamente. Um beijo fraterno, Elmo.
 
 
 
  
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

  

===

 

 

 

MANIFESTAÇÃO DE PESAR, via e-mail, DO DR. OLAF MALM

[ex-colega de ginásio, final dos anos 1960, início dos anos 1970,

Colégio Andrews, Rio], ESPECIALISTA EM QUALIDADE DAS ÁGUAS,

PROFESSOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO, ATUAL

DIRETOR DO IBCCF - Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho / UFRJ

 

"Caro Flávio,
De fato o Elmo foi pioneiro na militância ambiental. Conheci-o em 1984
e o admirava. Em 1986 foi da banca em meu mestrado. Felizmente formou
e influenciou muitos.
Nossos sentimentos!
Olaf 

 

A SEGUIR, IMAGENS DA POSSE DO PROF. DR. OLAF MALM

[CUJA ESPECIALIZAÇÃO ACADÊMICA VINCULA-SE AO

ESTUDO CIENTÍFICO DA QUALIDADE DAS ÁGUAS, também

dos rios, igarapés, paranás, furos e lagos amazônicos], NO

CARGO DE DIRETOR DO IBCCF

(Fotos: Juliano Barbosa Pires / UFRJ,

http://www.olharvital.ufrj.br/2006/index.php?id_edicao=071&codigo=1)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

===

 

 

 

MENSAGEM DE SHEILA MOURA, no blog O GRITO DO BICHO

 

"Sexta-feira, 2 de julho de 2010

ELMO AMADOR, UM AMBIENTALISTA QUE TIVE A HONRA DE SER AMIGA

 
PERDI UM GRANDE AMIGO... ELMO AMADOR, UM AMBIENTALISTA DAQUELES QUE NÃO FAZEM MAIS.... ME CHAMAVA DE SHEILINHA... GRANDE SHEILINHA....

FOI COM ELE QUE TIVE MINHA PRIMEIRA DISCUSSÃO SOBRE EXCESSO DE POPULAÇÃO HUMANA... ELE ACHAVA QUE ISTO NÃO EXISTIA... DEPOIS, MUITOS ANOS DEPOIS, DISSE QUE EU ESTAVA COM A RAZÃO...

AH, QUERIDO AMIGO, AS BAÍAS DO ESTADO QUE VOCÊ TANTO DEFENDIA, ESTÃO VAZANDO SUAS ÁGUAS DE SAUDADES....

A ULTIMA VEZ QUE NOS FALAMOS FOI RECENTEMENTE QUANDO PEDIU QUE INSCREVESSE O E-MAIL DA FILHA PARA RECEBER NOSSOS BOLETINS... ESTÁ GUARDADO, MAS, NÃO TIVE CORAGEM DE IR VER NOS MEUS ARQUIVOS...

TÁ DOENDO SABER QUE ELE NÃO ESTÁ MAIS AQUI....

TOMA CONTA DE NÓS, MEU AMIGO....