No fígado, Éder!

Conta-se que a avó do grande pugilista Éder Jofre, do lado de fora do ringue, ajudava o neto incentivando-o a certeiramente minar o fígado do adversário.

 

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O ex-pugilista e treinador SANTA ROSA, figurado no logo da COPA AMIGOS DO BOXE (dez./2009)

(http://redentor-capoeira.blogspot.com/2009/11/copa-amigos-do-boxe-realizacao-eudes.html)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O então pugilista MANOEL SEVERINO (nasc. em 1936), treinado por SANTA ROSA,

que aparece no segundo plano, de roupa branca

(Só a foto, sem a legenda acima conferida:

http://saia-justa-georgia.blogspot.com/2007/07/manoel-severino-ser-sempre-campeao.html)

 

 

 

"(...) Depois [MEU PAI, MANOEL SEVERINO PEREIRA], se transferiu para a Academia Santa Rosa.

E seu treinador passou a ser José Santa Rosa Lopes. Que o treinou durante muitos anos (...)"
 
(GEÓRGIA, FILHA DO GRANDE EX-PUGILISTA MANOEL SEVERINO, em seu blog,
 
 
 
 
 
 
 
 

"- SEGUNDOS, FORA! " [Senhores treinadores, retirem-se do ringue porque o round vai começar!

 

 

 

LUTA DE DEMONSTRAÇÃO, locução pela TV:

"(...) Quem diria, hein? Quem diria? Éder Jofre [60 anos] de novo

no ringue, enfrentando o super Servílio de Oliveira [48 anos]! (...)  

E, aí, o nosso Servílio! Tentou colocar [um golpe] - olha só... Servílio

sempre tomando a iniciativa, mesmo porque tem melhor

condicionamento físico.  E o  Éder ali. Ó! [Olhe!] Abriu a guarda

e o Servílio entrou com a esquerda num direto no rosto do Éder.

Direita, esquerda: o upper [uppercut] de Éder Jofre!  É o último round

desse combate de demonstração! Mas que 'tá virando um combate 

realmente de verdade, hein?!  (...) Bate na zona hepática, ainda,

Servílio de Oliveira. Tenta bater aí, na linha de cintura. Entrou um

direto mais fraco, passa a direita em branco. Servílio de Oliveira

procura rodar p'ro lado contrário que Éder quer.

[NESTE MOMENTO, VENDO QUE ESTAVA TERMINANDO

O ÚLTIMO ROUND PROFISSIONAL DE SUA EXISTÊNCIA,

ÉDER JOFRE, HERÓI DO BRASIL, UM CAVALHEIRO JÁ DE

SESSENTA ANOS DE IDADE, MANDOU UM SOCO "DE

QUALQUER MANEIRA", VALE DIZER, NÃO-CERTEIRO,

EM SERVÍLIO DE OLIVEIRA, OUTRO HERÓI-PUGILISTA

NACIONAL, que, aos 48 anos de idade, esquivou-se

como se tivesse 20 anos menos...] Uh-ha! Se 'cê [você] visse,

agora!... Esse não é o Éder que eu conheço, hein?... Ele [Éder] rodou

o braço e MANDOU VER. E o Servílio procurando acuar o Éder nas cordas.

O Éder já baixou a guarda e termina o combate!  Termina o combate histórico

os dois, abraçados, são dois  monstros sagrados do boxe do Brasil! 

E o público do [Ginásio do] Ibirapuera [Cidade de São Paulo, Brasil], de pé, 

para aplaudir esse momento."

(O LOCUTOR DA REDE RECORD DE TELEVISÃO, final do 3º round da 

LUTA DE DEMONSTRAÇÃO DE TRÊS ASSALTOS DE DOIS MINUTOS POR

UM DE DESCANSO: ÉDER JOFRE vs. SERVÍLIO DE OLIVEIRA)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(http://www.territorioscuola.com/youtube/index.php?key=Serv%C3%ADlio%20de%20Oliveira)

 

 

 

 

FORREST, um grande campeão, foi abatido a tiros por assaltantes de automóveis, em jul./2009,

crime pavoroso que deixou os admiradores da nobre arte, o pugilismo, muito chocados, não

apenas em seu país natal, os EUA, mas no mundo inteiro; entre os brasileiros que conhecem

alguns fatos relevantes do boxe, quando o tristíssimo fato ocorreu, não foi possível deixar de

lembrar a trágica e absurda morte, em semelhante situação, do ex-lutador, treinador de boxe e

proprietário de academia Sr. Santa Rosa, no Rio de Janeiro,

aos 85 anos de idade,  quando o ancião, que tanto ajudou famílias de trabalhadores-atletas,

[por vezes moradores de comunidades carentes (favelas)], foi morto para que, covardemente, 

lhe fosse arrancado o resultado financeiro honestamente ganho, no dia, em sua academia 

da Rua do Riachuelo, Centro do Rio 

(O SR. SANTA ROSA PROMOVIA TARDES DE BOXE EM CLUBES SOCIAIS - assisti a um evento

no América, do Rio - E FAZIA UM DE SEUS ATLETAS, geralmente o favorito, VESTIR A CAMISA

DAQUELE CLUBE QUE SEDIAVA A TARDE OU A NOITE DE BOXE, ANTES DE SUBIR NO RINGUE, 

para que a torcida (QUE NÃO SABIA QUE A ASSOCIAÇÃO CAMISETA-COM-EMBLEMA/CLUBE-

ONDE-SE-REALIZAVA-O-EVENTO ERA HOMENAGEM AOS ASSOCIADOS DO CLUBE) vibrasse

de forma intensa por um dos contendores, sendo os dois lutadores, na verdade,

DA ACADEMIA SANTA ROSA, fato cuja lembrança nos fez chorar quando soubemos,

pela imprensa, do PAVOROSO ASSASSINATO DE SANTA ROSA; O SR. SANTA ROSA foi,

como se vê, um pequeno-empresário-do-proletariado-carioca, ser generoso que ficava

extraordinariamente orgulhoso - mas, sempre, procurando  aparentar modéstia, como a

transmitir a idéia de que o mérito principal cabia ao boxeador-vencedor - quando, 

em grandes eventos do pugilismo brasileiro, acontecidos, por exemplo, em São Paulo, 

algumas vezes via seus atletas enfrentando nomes de expressão do boxe nacional,

treinados em condições muito mais favoráveis

(QUANDO SEUS ATLETAS PERDIAM, JAMAIS SANTA ROSA DEMONSTRAVA ABORRECIMENTO,

EM POSTURA DE VERDADEIRO ESPÍRITO DESPORTIVO, ALTANEIRO); quando filmei,

em bitola amadora super-8 mm, uma dessas lutas de um carioca contra um paulista (ou um

migrante que residia na capital paulista), em São Paulo, ao mostrar o resultado da filmagem

ao saudoso Sr. Santa Rosa, há mais de 30 anos, soube que a delegação carioca tinha seguido

de ônibus interestadual comum a São Paulo - e ali ficado em hotel modesto, pela falta de patrocínio

que afligia o boxe carioca, àquela época [LUTA NO GINÁSIO DO IBIRAPUERA, tendo o carioca

vencido, por pontos, o combate; veja, adiante, no alto do cartaz a seguir reproduzido, desenho

no qual o rosto do Sr. Santa Rosa está representado].

(FOTO DO CAMPEÃO VERNON "THE VIPER" FORREST: http://www.boxingheaven.com/page10.html)

 

 

 

"Terça-feira, 3 de novembro de 2009

Copa dos Amigos homenageia Velho Rosa no Rio

 
Texto de Assessoria de Imprensa





Nos anos de 1998 e 1999, o boxeador Eudes Balbino realizou o evento "AMIGOS DO BOXE", sempre no primeiro sábado de dezembro, em função do aniversário de seu treinador e amigo JOSÉ SANTA ROSA LOPES, o qual foi homenageado juntamente com seus familiares na presença de amigos, ex-alunos e pupilos.
Hoje, após o falecimento do "Velho Rosa", Eudes Balbino, para dar continuidade e firmar a data no calendário esportivo do Boxe e da FBERJ, realizará em Cabo Frio/RJ o 3º evento Amigos do Boxe.
 

(...)

Serviço

Onde: Rua José Maria Gil, nº 01 – Praia das Dunas, no Bairro Braga, Cabo Frio/RJ, Brasil. Em frente à POUSADA BALBINO.

Quando: 05 de dezembro de 2009, sábado.

11:00h Chegada da Comitiva;

13:00h Almoço & Confraternização entre os Convidados;

15:00h Palestra “PREPARAÇÃO FÍSICA PARA BOXEADORES” – Prof. Joel P. Marques (CREF1 22152-G/RJ);

17:00h Inauguração do Salão de Boxe José Santa Rosa Lopes;

19:00h Abertura do Evento: Execução do Hino Nacional Brasileiro, da música “Amigos para Sempre” & Homenagem Póstuma a José Santa Rosa Lopes;
[O GRIFO NÃO ESTAVA NO ORIGINAL]

19:30h Início dos combates entre Amadores;

22:00h Intervalo com apresentação da Capoeira de Cabo Frio/RJ, sob a supervisão da Federação Fluminense de Capoeira;

22:30h Início dos combates entre Profissionais;

00:00h Encerramento do Evento"
(http://cornerdoleao.blogspot.com/2009/11/copa-dos-amigos-homenageia-velho-rosa.html)

 

 

 

horizon casino lake tahoe 

  

 

   

horizon casino resort lake tahoe 

 

 

 

 

 

 

 

"View of Horizon Casino Resort"
 

NÃO FOI NO CASSINO HORIZON QUE MAGUILA

PERDEU A LUTA PARA O LENDÁRIO HOLYFIELD,

mas foi na mesma cidade (Stateline, Nevada) 

que os dois grandões se enfrentaram, em

15 de julho de 1989

(Só as fotos da placa com o logotipo do resort-cassino

e de sua edificação:

http://renoscasinos.com/tahoe/stateline.html)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O LAGO TAHOE, no Estado de Nevada, ESTADOS UNIDOS -

"meca" DE FÃS PRESLEYMANÍACOS E ECOTURISTAS EM GERAL: 

ELVIS PRESLEY APRESENTOU-SE VÁRIAS VEZES NO CASSINO HORIZON

E ADÍLSON MAGUILA E EVANDER HOLYFIELD LUTARAM NO

CAESAR'S LAKE TAHOE

(A legenda acima conferida é desta Coluna "Recontando...",

mas só a foto pode ser localizada, na Web, em:

http://www.destination360.com/north-america/us/nevada/lake-tahoe)

 

  

 

 

(http://www.theboxingexaminer.com/?tag=marvin-sonsona)

 

  

 

(http://www.thespec.com/article/697130)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MIGUEL DE OLIVEIRA ATINGE O ADVERSÁRIO COM UM

PODEROSO CRUZADO DE ESQUERDA NO MAXILAR INFERIOR:

no impacto do DIRETO a cabeça balança para trás,

já no do CRUZADO, a cabeça do atingido vai para o lado,

como acontece nesse caso; outros golpes são o GANCHO

e o UPPERCUT:

"Um amigo meu apostou comigo 5€ em que [um] Uppercut e um gancho (hook) no boxe é a mesma coisa, eu disse que não, um gancho é de lado, para acertar no lado da cabeça, e [um] uppercut, é de baixo para cima para acertar no queixo. (...) Ganhei 5€ ."

(Só a foto, sem a legenda acima redigida:

http://www.lencoisnoticias.com/miguel_oliveira.jpg;

explicação sobre diferença entre HOOK e UPPERCUT:

http://forum.mygames.pt/viewtopic.php?f=9&t=3220)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ADÍLSON "Maguila" RODRIGUES - cujo primeiro treinador foi

Ralf Zumbano -, PESO-PESADO BRASILEIRO QUE ENFRENTOU

CÉLEBRES LUTADORES DO PUGILISMO MUNDIAL, COMO

GEORGE FOREMAN, EVANDER HOLYFIELD, O REV. JAMES

"QuebraossosSMITH [JAMES "Bonecrusher" SMITH] E OUTROS

GRANDES NOMES DA HISTÓRIA DO BOXE MUNDIAL, NO VESTIÁRIO,

PREPARADO PARA ENTRAR NO RINGUE

 

 

 

 O REVERENDO J. SMITH: MAGUILA O ENFRENTOU NO IBIRAPUERA

James 'Bonecrusher' Smith, former heavyweight boxing champion

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 "James 'Bonecrusher' Smith

Reverend James Smith is a native of Magnolia, North Carolina. He was raised on a tobacco farm where he was taught hard working skills early in life. At the age of ten, God told James to start running, and he's been running ever since.

James graduated from James Kenan High School in Warsaw, North Carolina in 1971. He then went on to graduate from James Sprunt Community College in Kenansville, North Carolina in 1973 with an Associate Degree in Business Administration. James went on to earn a Bachelors Degree in Business Administration from Shaw University in Raleigh, North Carolina in 1975.

After graduation, James entered the Army and had tours of duty in the United States and Germany. It was in the Army that James started his amateur boxing career, picking up the nickname "Bonecrusher". (...)".

(http://www.championforkids.org/jbs-bio.html)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EVANDER HOLYFIELD reverencia o

pugilista Vernon Forrest (*), em seu funeral; 

o corpo do ex-campeão foi sepultado no

Cemitério Westview (Atlanta)

Foto: AP / John Bazemore,

http://sports.espn.go.com/sports/boxing/news/story?id=4375012,

com a seguinte legenda:

"Former heavyweight champion

Evander Holyfield second in line,

pays his respects during a funeral

for Vernon Forrest

(*) Vernon Forrest infelizmente foi assassinado aos 38 anos, em 25.7.2009, enquanto perseguia dois homens que tentaram roubar seu automóvel

 

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

   

 

SÉCULO XX - GRANDES ATLETAS DO PUGILISMO DOS EUA E CELEBRIDADES 

MULTIMILIONÁRIAS DO PLANETA TERRA EM GERAL: DA ESQ. PARA A DIR.,

OS EX-CAMPEÕES MUNDIAIS DOS PESOS-PESADOS GEORGE FOREMAN,

JOE FRAZIER E MUHAMMAD ALI: ADÍLSON "MAGUILA" RODRIGUES E

GEORGE FOREMAN LUTARAM EM LAS VEGAS (EUA)

(http://www.sportsmemorabilia.com/sports-products/george-foreman-joe-frazier-muhammad-ali-8x10.html)

 

  

 

"Maguila e George Foreman

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais uma relíquia do meu acervo de vídeo: a histórica luta entre o pugilista brasileiro Adilson "Maguila" Rodrigues e a lenda do boxe americano, George Foreman. Foi em Las Vegas, no Caesar's Palace, em 16 de junho de 1990. A transmissão é do SBT. Maguila foi a nocaute no segundo round. (...)". (EMILIO PACHECO,

http://emiliopacheco.blogspot.com/2008/09/maguila-e-george-foreman.html)

 

 

 


 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
"Tyson no auge / Revista Time"

(http://cornerdoleao.blogspot.com/2009_01_01_archive.html)
 

 

 

 

 

Maurício Dehò/UOL Esporte 

 

 

 

 

 

 

 

O PUGILISTA INDICADO COMO 'PEREIRA', NESSE CARTAZ-GRINGO,

É SERTÃO, NOME DESPORTIVO DE VALDEMIR PEREIRA, o que

significa que esse cartaz não foi produzido no Brasil

(Só a reprodução do cartaz: http://esporte.uol.com.br/lutas/boxe/ultimas-noticias/2010/05/13/aposentado-por-doenca-ex-campeao-sertao-vive-de-futebol-e-domino-no-interior-da-ba.jhtm)

 

 

 

 

 PORTAL RINGUE ponto com - Janeiro de 2006 

"NOTÍCIAS 
SERTÃO VENCE E É CAMPEÃO MUNDIAL
21/1/2006  

O brasileiro Valdemir "Sertão" Pereira (23-0, 15 KOs) derrotou o tailandês Phafrakorb Rakkietgym (51-4, 33 KOs) e tornou-se o quarto brasileiro (os outros são Eder Jofre, Miguel de Oliveira e Acelino Freitas) a ostentar uma versão de título mundial, o primeiro pela IBF.

Sertão venceu por três escores iguais de 118-109, tendo um ponto descontado no décimo round por alegados golpes baixos, o que significa que o brasileiro perdeu apenas um dos doze rounds disputados.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Segundo fontes internacionais (a luta, infelizmente, não foi transmitida pela TV no Brasil nem no sistema pay-per-view), o brasileiro teve uma performance dominadora, tendo deixado por pouco de nocautear o adversário no segundo round. A partir de então, Sertão trabalhou mais que o adversário, não deixando chance de reação.

O ex-campeão dos super-penas (WBO e WBA) e leves (WBA) Acelino "Popó" Freitas trabalhou no córner de Sertão, um bonito gesto de patriotismo e amizade.

Após a luta, disse Sertão: 'Eu sabia que após o Popó ser campeão, seria questão de tempo para que eu também me tornasse um' ".

(http://www.ringue.com.br/noticia_aberta.aspx?id=1415)

 

  

 

'Sempre fui um cara caseiro, mas comecei a entrar na farra e, você sabe, esse negócio de fama, dinheiro e mulher... Eu perdi o foco por causa disso aí', conta Sertão, na casa de sua mãe, que guarda alguns de seus prêmios no boxe. 'Tinha mulher em casa, em São Paulo, mas outras quatro na rua. Não era de beber e usar droga. A minha droga forte era mulher. Elas mexem com a cabeça do cara. E, quando fui tirado da luta (contra o Aiken) [DERROTA DE Sertão QUANDO DEFENDIA O TÍTULO MUNDIAL], foi um desastre.' 

(SERTÃO, quarto pugilista brasileiro a tornar-se campeão mundial de boxe, tendo sido o primeiro ÉDER JOFRE, seguido de MIGUEL DE OLIVEIRA e POPÓ,

http://esporte.uol.com.br/lutas/boxe/ultimas-noticias/2010/05/13/aposentado-por-doenca-ex-campeao-sertao-vive-de-futebol-e-domino-no-interior-da-ba.jhtm)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Antigos campeões de boxe, da esquerda para a direita: Servílio de Oliveira, Miguel de Oliveira e Éder Jofre

(http://www.ligadeboxe.com.br/news_26.htm)

 

 

 

 

"Servílio de Oliveira  (São Paulo, 6 de maio de 1948), filho de Luiz Sebastião de Oliveira e de Nair Santos de Oliveira, é um ex-pugilista brasileiro. Primeiro e único brasileiro a conquistar uma medalha olímpica no boxe. Nos Jogos Olímpicos de Verão de 1968 na Cidade do México, ganhou a medalha de bronze. Iniciou na modalidade em 1960, aos 12 anos de idade, após ver o ídolo Éder Jofre, sagrando-se campeão mundial de boxe, ao vencer o lutador mexicano Eloy Sanches, por nocaute no 6º assalto. (...)". (http://pt.wikipedia.org/wiki/Serv%C3%ADlio_de_Oliveira

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

POPÓ (*) TREINANDO

(http://www.portalibahia.com.br/bahiaesporte/?p=635)

(*) - NOTÍCIA RECENTE SOBRE POPÓ, que não foi o mandante de um homicídio na Bahia:

"Popó livra-se da acusação de assassinato, mas seu irmão, não

// Postado por youPode

O pugilista Acelino Freitas, o Popó, foi inocentado como o mandante da morte de um rapaz na Bahia, que estaria tendo um caso com uma sobrinha sua. Mas seu irmão, Luiz Carlos Freitas não escapou. O Ministério Público ofereceu denúncia contra ele por ter encomendado o crime. Um policial civil e cinco PMs também estão envolvidos. A filha de Luiz Carlos se envolveu com Jonatas dos Santos Dantas, de 22 anos. Ela era menor de idade e o pai não aprovou o namoro. (...)".

(http://youpode.com.br/?p=33323)

 

 

 

 

ÉDER JOFRE TREINANDO

(http://forum.valinor.com.br/showpost.php?p=1704919&postcount=173,

onde se pode ler:

"Cartel:

- 78 lutas
- 72 vitórias
- 50 nocautes
- 4 empates
- 2 derrotas [POR PONTOS] (Em dois contestados combates contra o japonês "Fighting" Harada)

Conquistas:

- Campeão da Forja de Campeões (amador) - 1953
- Campeão Brasileiro dos galos - 1958
- Campeão Sul-americano dos galos - 1960 (Mantido até 1965)
- Campeão Mundial da AMB (Associação Mundial de Boxe) dos galos - 1960
- Campeão Unificado (títulos pelas federações americanas e européias) dos galos - 1962 (Mantido até 1965)
- Campeão Mundial dos penas pelo CMB (Conselho Mundial de Boxe) - 1973

Prêmios e homenagens:

- Melhor "peso galo" do mundo - 1963
- Melhor "peso galo" de todos os tempos Conselho Mundial de Boxe (CMB)
- Melhor na categoria de peso na América Latina - Imprensa da República Dominicana
- Pugilistas que defenderem com sucesso o seu cinturão nos galos ganham o "Troféu Eder Jofre".
- Indicado para o "Hall da Fama" do boxe - 1992.
- Nono melhor pugilista dos últimos cinqüenta anos - Revista norte-americana "The Ring" - 2002")

 

 

 

"Eder Jofre é eleito 36o. melhor boxeador de todos os tempos pela ESPN

O brasileiro Eder Jofre foi considerado o 36o. dentre os 50 melhores pugilistas de todos os tempos pela ESPN, em uma eleição feita recentemente.

Por volta de 15 anos atrás, o brasileiro havia sido eleito o nono melhor pugilista dos últimos 50 anos, pela revista norte-americana The Ring.

Embora gere muita controvérsia, este tipo de eleição é sempre interessante. Algo que certamente prejudicou o ranqueamento do brasileiro na eleição da ESPN diz respeito ao fato dele ter feito poucas lutas nos EUA em sua carreira, apenas três do seu total de 78 combates.

Eder Jofre, porém, mesmo neste novo ranking da ESPN, ficou à frente de boxeadores fenomenais, como Thomas Hearns, Larry Holmes, Oscar De La Hoya, Evander Holyfield, Carlos Monzon, Roy Jones Jr e Mike Tyson. O fato é ainda mais relevante se observarmos que as categorias mais leves, como a dos galos, na qual o brasileiro se destacou, nunca recebeu o merecido destaque na América.

Campeão dos galos entre 1960-1965 e dos penas entre 1973-1974, o Galo de Ouro merece estar ranqueado entre os melhores de todos os tempos. Tinha uma técnica perfeita, movimentos de grandeza, um dos maiores ganchos de esquerda já vistos, além de uma excelente defesa.

Os primeiros colocados não foram surpresa. Sugar Ray Robinson ficou em primeiro, Muhammad Ali em segundo, Henry Armstrong em terceiro, Joe Louis em quarto e Wilie Pep em quinto. O primeiro boxeador de fora dos EUA na lista é o panamenho Roberto Duran, que ficou em sexto lugar.

Veja abaixo a lista completa da ESPN:

1. Sugar Ray Robinson
2. Muhammad Ali
3. Henry Armstrong
4. Joe Louis
5. Willie Pep
6. Roberto Duran
7. Benny Leonard
8. Jack Johnson
9. Jack Dempsey
10. Sam Langford
11. Joe Gans
12. Sugar Ray Leonard
13. Harry Greb
14. Rocky Marciano
15. Jimmy Wilde
16. Gene Tunney
17. Mickey Walker
18. Archie Moore
19. Stanley Ketchel
20. George Foreman
21. Tony Canzoneri
22. Barney Ross
23. Jimmy McLarnin
24. Julio Cesar Chavez
25. Marcel Cerdan
26. Joe Frazier
27. Ezzard Charles
28. Jake LaMotta
29. Sandy Saddler
30. Terry McGovern
31. Billy Conn
32. Jose Napoles
33. Ruben Olivares
34. Emile Griffith
35. Marvin Hagler
36. EDER JOFRE
37. Thomas Hearns
38. Larry Holmes
39. Oscar De La Hoya
40. Evander Holyfield
41. Ted "Kid" Lewis
42. Alexis Arguello
43. Marco Antonio Barrera
44. Pernell Whitaker
45. Carlos Monzon
46. Roy Jones Jr.
47. Bernard Hopkins
48. Floyd Mayweather Jr.
49. Erik Morales
50. Mike Tyson
http://www.ringue.net/content/view/718/3/"

(http://forum.portaldovt.com.br/forum/index.php?showtopic=57885)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(http://www.carlafreitas.com.br/index.asp?bm=3&ba=2009)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(http://img2.mlstatic.com/jm/img?s=MLB&f=139355549_9304.jpg&v=O)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Claudio de Barros cantando para Kid Jofre (de camisa branca e olhando para Claudio), Claudio Toneli Boxeur, Gibi, Luizão, Ralf  Zumbano e Éder Jofre (abaixado) no começo da carreira" (MILTON NEVES,

http://antigo.miltonneves.com.br/QFL/Conteudo.aspx?ID=60327)

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

"Éder Jofre, nosso maior boxeador, comemora um dos importantes cinturões de sua carreira. Atrás de sua luva direita está Kid Jofre, seu amado pai e treinador" (MILTON NEVES,
 

http://antigo.miltonneves.com.br/QFL/Conteudo.aspx?ID=60327)

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ÉDER JOFRE, SEU PAI KID JOFRE E O ENTÃO JORNALISTA

BENEDITO RUY BARBOSA, QUE ATUALMENTE É UM DOS

MAIS RESPEITADOS AUTORES DA DRAMATURGIA TELEVISIVA

DO BRASIL

(http://terceirotempo.ig.com.br/quefimlevou_interna.php?id=1186&sessao=f)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

HOMENAGEM EM SANTOS;

foto apresentada no Portal Várzea Santista ponto com

(http://www.varzeasantista.com/noticias/eder-jofre-homenageado-em-santos/)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ÉDER CAMPEÃO MUNDIAL DE BOXE

(http://www.guiasjp.com/opcoes.php?option=5&id_noticia=38724&id_canal=0)

 

 

 

"(...) Minha tia tinha um circo e alguns lutadores se apresentavam em exibições. Um dia ela me convidou para lhe ajudar, fazendo uma exibição. Eu fui. Durante este período, eu ainda treinava 3 vezes por semana, mas não corria. Lutei e me senti um leão. (...)

(ÉDER JOFRE, em entrevista, adiante reproduzida, a José Elias Flores Jr.)

 

  

 

 

                                                         A Éder Jofre, herói da nacionalidade brasileira,

                                                         aos membros do clã Jofre-Zumbano - os ainda vivos

                                                         e os infelizmente já desaparecidos -, a Carla Freitas, 

                                                         Benedito Ruy Barbosa, Milton Neves, Emilio Pacheco,

                                                         Cláudio de Barros, Kid Jofre, Claudio Jofre Tonelli, Gibi,

                                                         Luizão, Ralf  Zumbano, Carabina, Jair Siqueira, Sacy, Dico,

                                                         Manoel Severino, Geórgia Pereira, Servílio de Oliveira, 

                                                        Adílson "Maguila" Rodrigues, Valdemir "Sertão" Pereira, 

                                                        Miguel de Oliveira, Acelino "Popó" Freitas,

                                                        Evander Holyfield, George Foreman, Joe Frazier, Muhammad Ali,

                                                        Rev. James Smith, Mike Tyson, agradecendo a José Elias Flores Jr.

                                                        pela autorização para transcrição da entrevista por Éder concedida -

                                                        e à memória de VERNON "THE VIPER" FORREST, 

                                                        que foi assassinado por covardes assaltantes, em 2009 a ao

                                                        eminente treinador de pugilismo e ex-lutador, vitorioso,

                                                        JOSÉ SANTA ROSA LOPES, morto aos 85 anos quando trabalhava

                                                        ajudando no treinamento de boxeurs abastados ou "remediados"

                                                        (de quem cobrava pela preparação física e técnica, na

                                                        Academia Santa Rosa) e de atletas economicamente carentes

                                                        (dos quais nada cobrava, além

                                                        do intenso treinamento que ajudava os pugilistas e, em consequência

                                                        da seriedade daquele trabalho, indiretamente, suas famílias), alunos

                                                        e profissionais do boxe do Rio de Janeiro, exigindo-se, sempre,

                                                       JUSTIÇA

                                 

  

 

15.5.2010 - O patriotismo da idosa senhora misturava-se com a torcida pelo neto, sentimento que é cem por cento legítimo, já que grande legião de brasileiros não-parentes de Éder Jofre torcia pelo campeão de boxe de forma igualmente fanática - Bem, como Eder Jofre serviu a seus compatriotas, também, na vida pública, tornando-se vereador (São Paulo-SP), pode-se afirmar que sua importância na História do Brasil equipara-se àquela dos grandes vultos da construção de nossa nacionalidade. Confira a entrevista que Éder Jofre concedeu a José Elias Flores Jr., em 2006. F. A. L. Bittencourt (flabitten@bol.com.br)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ÉDER JOFRE E CARLA FREITAS: foto histórica;

CARLA FREITAS É CAMPEÃ BAIANA E BRASILEIRA

NA CATEGORIA MEIO MÉDIO LIGEIRO E SEU ORGULHO AO

POSAR PARA A POSTERIDADE AO LADO DE ÉDER JOFRE

TRADUZ  O SENTIMENTO DE MILHÕES DE BRASILEIROS

(http://www.carlafreitas.com.br/index.asp?bm=11&ba=2007)

 

 

"Entrevista: Eder Jofre      
Escrito por José Elias Flores Jr.   
MON, 04 de SEPTEMBER de 2006 22:31

Image

NOTA: Entrevista concedida para José Elias Flores Jr. em setembro de 2003.

Quando falamos em ídolos, temos a tendência de mitificá-los como se fossem super-homens, seres muito acima de nós.

Confesso que eu tinha também esta percepção até conhecer pessoalmente Eder Jofre, 67. Ou melhor, rever, já que o conhecera uma vez, quando tinha apenas 11 anos. Foi numa disputa de título brasileiro dos penas, entre Valdevino Monteiro e Danilo Batista. Lembro bem que Eder foi extremamente cortês comigo e com meu pai e desde este dia passei a me interessar mais e mais por boxe.

Eder chegou antes da hora marcada para a nossa entrevista. Na verdade, chegou antes de mim, e estava conversando animadamente com um senhor quando eu me aproximei ao local, uma lanchonete na esquina da Avenida Paulista com Alameda Casabranca em São Paulo.

Vê-lo pessoalmente foi uma grande emoção, e as próximas 2 horas reservavam mais momentos de balançar o coração. Conversamos animadamente durante este tempo, no qual Eder respondeu todas as perguntas com interesse e olhando nos olhos, de uma forma que impressiona. Ele também brincou com todos os que dele se aproximam, deixando-os bem à vontade.

Poucas vezes fomos interrompidos, embora o local fosse de um movimento assustador. A não ser por 3 pessoas que queriam trocar algumas palavras, no mais falamos por 2 horas sobre a vida e a carreira do maior peso galo de todos os tempos.

RINGUE: Eder, você é oriundo de uma família de pugilistas e pessoas vinculadas ao boxe. Isto influenciou sua decisão em tornar-se boxeador?

EDER JOFRE: Sem dúvida. Quase toda a família tinha algum tipo de vinculação com o boxe. Lembro que quando eu tinha por volta de 4 anos, meus tios me seguravam no colo para que eu batesse no saco de pancadas. Com 8 anos, lembro que fiz uma exibição com minha irmã e lutei com um menino chamado Padial. E eu sempre gostei daquelas histórias de heróis de quadrinhos. Acho que isto me inspirou a ser boxeador. No fundo eu queria ser um herói também, queria ser admirado.

RINGUE: Você foi para a Olimpíada de Melbourne, em 1956 e perdeu na 3ª. luta. O que você lembra disto?

EDER JOFRE: Lembro que eu vinha muito bem na competição, até que, em uma sessão de sparring com o Celestino Pinto, ele me acertou o nariz. Meu septo foi fraturado e tive que lutar 2 dias depois. Isto foi fatal e acabei perdendo por pontos. Depois disso, eu e meu pai decidimos que eu deveria lutar como profissional, porque não havia mais nada a fazer no boxe amador.

RINGUE: No início de sua carreira, você empatou duas vezes consecutivas com o argentino Ernesto Miranda...

EDER JOFRE: O Ernesto Miranda era muito bom, um cara inteligente, que confundia e pegava duro. Foram lutas difíceis.

RINGUE: E o combate com Joe Medel em 1960? Foi dureza, né?

EDER JOFRE: Foi pauleira o tempo todo. Uma luta franca. No 6º. round ele quase me nocauteou com um golpe no fígado. Ele viu que eu estava sentindo, por que eu dei um gemido quando este golpe dele entrou. Fiquei quase pendurado nas cordas, mas não caí. Reagi e o nocauteei no 10º. round. Era uma eliminatória da disputa de título mundial e quem ganhasse enfrentaria o Eloy Sanchez pela coroa. Esta luta com o Medel foi a mais difícil. Depois desta, considero a luta com o Tony Jamito.

RINGUE: E a emoção de conquistar o título?

EDER JOFRE: Nunca esqueço do meu irmão gritando após eu ter nocauteado o Sanchez. Ele dizia: “Sou irmão do campeão do mundo! Sou irmão do campeão do mundo!” Só aí é que me dei conta do que estava acontecendo. Na volta ao Brasil, tinha me transformado em um ídolo nacional. O assédio era enorme. Seria rigorosamente impossível fazer esta entrevista neste local naquela época. Teria uma multidão nos cercando aqui agora [neste momento, Eder faz uma pausa e reflete]. Meu pai era demais. Mesmo quando eu estava no auge, ele sempre me lembrava que aquela fama, aquele assédio, tudo acabaria um dia. Ele era muito sábio.

RINGUE: Lembra da luta com o Piero Rollo?

EDER JOFRE: Lembro! Na verdade, eu o demoli. Bati muito mesmo. Abri os dois supercílios, quebrei todo o cara e ele não desistia. Finalmente o nocauteei, mas aí ele já estava quadrado.

RINGUE: Você fez 8 defesas com sucesso do título mundial dos galos, ganhando todas por nocaute. Em 1965, aconteceu sua 1ª. derrota, contra o japonês Masahiko “Fighting” Harada. Como foi ser derrotado pela 1ª. vez?

EDER JOFRE: Bem, a verdade é que eu estava muito fraco. Ele [Harada] estava em cima de mim o tempo todo, e eu já vinha há algum tempo com dificuldades para fazer o limite dos galos. Fiquei 12 horas sem colocar uma gota d’água na boca. Estava desidratado e cansei muito.

RINGUE: Você acha que o resultado seria diferente se os jurados fossem neutros?

EDER JOFRE: Acho que sim.

RINGUE: E a revanche?

EDER JOFRE: Me foi dado diurético antes desta luta para não ter problemas com o peso, mas isto me enfraqueceu. Além disto, mesmo depois de já estar no peso, o diurético não foi suspenso e eu acabei pesando quase 1 quilo abaixo do limite. Estava quase como peso mosca. Novamente estava fraco demais e perdi.

RINGUE: Aí você se afastou por 3 anos. Você estava duvidando de sua capacidade de ainda ser vitorioso?

EDER JOFRE: Não. Estava de saco cheio mesmo desta rotina de fazer peso, passar fome, treinar. Queria aproveitar a vida, ficar com a família, comer à vontade. Tirei 3 anos de férias. Você sabia que este negócio de passar fome e não tomar água me deixou anos depois com pedras nos rins? Algumas pessoas me achavam arrogante, porque me convidavam a sentar com elas e tomar um refrigerante ou comer alguma coisa e eu nunca aceitava. Na verdade, eu não podia.

RINGUE: O que lhe fez voltar após as “férias”?

EDER JOFRE: Minha tia tinha um circo e alguns lutadores se apresentavam em exibições. Um dia ela me convidou para lhe ajudar, fazendo uma exibição. Eu fui. Durante este período, eu ainda treinava 3 vezes por semana, mas não corria. Lutei e me senti um leão. Estava bem mesmo. Aí, algumas pessoas começaram a me incentivar a voltar e eu resolvi tentar como peso pena.

RINGUE: Eder, qual foi a maior emoção, ganhar o título dos galos em 1960 aos 21 anos, ou o dos penas em 1973, aos 37?

EDER JOFRE: Ah, foi o dos galos, sem dúvida. Mas quando eu lutei com o José Legra pelo título dos penas, eu queria ganhar por nocaute. Queria fazer isto pelo meu pai, que estava com câncer.

RINGUE: Sua relação com seu pai era muito próxima...

EDER JOFRE: Meu pai foi meu maior ídolo. Ele conversava tudo comigo e com meus irmãos e sempre foi muito aberto conosco. Veja bem, nos idos de 50 ou 60, meu pai já recomendava que eu usasse camisinha. Ele “filtrava” o assédio, que era muito grande, e sempre me deixava à vontade para que eu tomasse as decisões. Mas, na época da luta com Legra, ele já estava muito doente, com câncer no pulmão. Peço que tu coloques isto na matéria: o que matou meu pai foi o cigarro. Mas na época ele também estava sofrendo muito com a doença do meu irmão, Dogalberto. Quando tinha apenas uns 6 anos, meu irmão caiu de bicicleta e bateu o abdômen. Isto depois se transformou num câncer e ele faleceu antes dos 40 anos, logo depois da morte do meu pai.

RINGUE: Você perdeu o título dos penas no tapetão. Como foi?

EDER JOFRE: Houve uma briga entre meus empresários. Se eu lutasse para um, teria que indenizar o outro, e vice-versa. Não lutaria de graça e acabei sendo destituído. Não guardo mágoa de ninguém, hoje até me dou bem com eles. Mas na época eu fui prejudicado. No fim da minha carreira, meu empresário foi o Kaled Curi. Ganhei mais dinheiro nesta época do que antes. O Kaled foi muito bom para mim.

RINGUE: Você acha que ainda hoje os pugilistas são explorados pelos empresários?

EDER JOFRE: Olha, estou meio de fora, mas pelo que vejo a relação entre empresários e boxeadores melhorou.

RINGUE: Eder, depois de você, quem é o maior pugilista de todos os tempos?

EDER JOFRE: Puxa, é difícil dizer só um. Tiveram tantos pugilistas bons no Brasil. Tivemos o Paulo de Jesus, Milton Rosa, Ralph Zumbano. O Luis Faustino Pires, que quebrou o braço numa luta com o Foreman, mas não caiu. O próprio Maguila foi bom, fez ótimas lutas.

RINGUE: Por que você não quis continuar vinculado ao boxe após o fim da sua carreira como empresário, promotor ou mesmo treinador?

EDER JOFRE: Olha, vivi até os 40 anos dentro do boxe. Isto cansa. Queria e consegui fazer outras coisas. Mas ainda hoje eu gosto de assistir boxe na TV, acompanho sempre as lutas de 3ª. feira e de 6ª. feira [na ESPN].

RINGUE: E o que você acha do Acelino “Popó” Freitas?

EDER JOFRE: O Popó é bom. Infelizmente não vi esta última luta dele.

RINGUE: Depois de algumas legislaturas como vereador em São Paulo, você está fora da política. Não pensa em voltar?

EDER JOFRE: [Demonstrando desilusão]. Não. O povo decidiu [em não reelegê-lo]. Durante o tempo que estive na Câmara, fiz mais de 80 projetos e aprovei 26. Tem uma Lei minha que tira as crianças da rua para que façam esporte. Ela está aprovada há mais de 10 anos, mas não é cumprida. Uma coisa eu posso lhe dizer: sempre fui honesto. E sabemos que não é todo mundo lá que é, certo? Daí vem um jornalista e coloca na imprensa um monte de inverdades, dizendo que eu não fazia falta na Câmara. Infelizmente, o povo acreditou e não votou em mim. Fiquei muito chateado.

Já no final da entrevista, uma garçonete aproximou-se de nós e ordenou: “Vocês têm que sair daqui, colocar a mesa pra lá. Daqui a pouco o patrão chega e vai reclamar!” Fiquei perplexo, mas Eder não se incomodou: “Onde nós temos que colocá-la, querida?”

Percebi que ela não tinha idéia de que ali sentava um ídolo brasileiro, uma lenda viva. Na verdade, também não podíamos culpá-la. Percebi que Eder já se acostumou com o relativo anonimato, apesar da carreira vitoriosa de duas décadas como pugilista e de 4 legislaturas como vereador em São Paulo.

Prometi que enviaria para sua casa um mosaico de fotos que montei de sua carreira e que pedi que autografasse para mim e para alguns amigos ao redor do mundo. Também prometi enviar algumas reportagens em inglês que tenho de revistas internacionais. Eder não as conhece.

Entrevistar Eder Jofre foi uma experiência inesquecível. Despedi-me do “Galo de Ouro”, que já estava atrasado para outro compromisso. Depois de um abraço apertado, Eder atravessou a Alameda Casabranca e correu (muito!) pela Avenida Paulista, para chegar a tempo no outro compromisso. Fiquei observando até perdê-lo de vista.

Por um momento, pareceu que o tempo não havia passado. E que Eder corria para preparar-se para seu próximo combate, nos idos dos anos 60 ou 70".

(http://www.ringue.net/site/index.php?option=com_content&view=article&catid=4%3Ajoslias-flores-jr&id=21%3Aentrevista-eder-jofre&Itemid=7

 

 

 

Maurício Dehò/UOL Esporte

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Alegre e receptivo, Sertão mostra a casa, que tem destaque claro para

seu cinturão, sobre a televisão"

(http://esporte.uol.com.br/lutas/boxe/ultimas-noticias/2010/05/13/aposentado-por-doenca-ex-campeao-sertao-vive-de-futebol-e-domino-no-interior-da-ba.jhtm)

 

 

Image
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Foto: John Spink, Associated Press
 
onde se pode ler, sobre o assaltante sobre quem
pesa a acusação de assassinato de Forrest
:"Demario Ware, 20, right, makes his first appearance in court Wednesday at the Fulton County jail in Atlanta, Ga. Ware is charged with murder, aggravated assault and armed robbery in the shooting death of boxer Vernon Forrest. Ware's attorney, Curtis Hubbard, is at left.")
 

  

 

 

 

(http://asinosevive.wordpress.com/2009/)

 

 

 

===   
 
 
 
 

 

ROMANCE DE DÍLSON LAGES MONTEIRO, editor deste Entre-textos

 

 

compre O morro da casa-grande

                            20,00 R$

                                    Pedidos também pelo e-mail dilsonlages@uol.com.br