Dilson Lages Monteiro Quarta-feira, 26 de abril de 2017
Tamanho da letra A +A

Ovídio Saraiva

AMOSTRAGEM

SONETO XXIII

 

No sombrio painel da noite escura

Fiel te debuxei, Sendália bela,

Pintei-te as faces, que minha alma anela,

Com suco de jasmins, de rosa pura.

 

Teus olhos divinais em que fulgura

O mágico esplendor da Cípria estrela,

Quis também debuxar, mas oh! Que a tela

Indigna se julgou de tal pintura.

 

Teus lábios virginais dos Céus retrato,

Da papoula pintei co’as rubras cores,

Teus dentes, tuas mãos pintei sensato.

 

Quis teu peito pintar... porém, ó dores!

Nem tintas encontrei, nem pincel grato.

Próprio ao desenho desse horror de horrores.

 

 



Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Mais escritores

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br