Dilson Lages Monteiro Terça-feira, 02 de setembro de 2014
RECONTANDO ESTÓRIAS DO DOMÍNIO PÚBLICO - F. B.
Flávio Bittencourt
Tamanho da letra A +A

O goleiro uruguaio Ladislao Mazurkievski no Atlético Mineiro

O goleiro uruguaio Ladislao Mazurkievski no Atlético Mineiro


[Flávio Bittencourt]

O goleiro uruguaio Ladislao Mazurkievski no Atlético Mineiro

Ele tinha brilhado na seleção do Uruguai, na Copa do Mundo de 1970, no México.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mazurkievski

(http://galodeprata13.blogspot.com.br/2012/01/mazurkiwicz-idolo-alvinegro-e-um-dos.html)

 

 

 

 

 

 

"[...] A Copa de 1970 foi marcada pelos "não-gols" de Pelé.

  • Primeiro não-gol: Brasil X Tchecoslováquia

Pelé percebe que o goleiro tchecoslovaco Ivo Viktor estava adiantado, e dá um chute a 40 metros de distância. Viktor, desesperado, corre para defender, mas, para seu alívio, a bola sai a centímetros do gol.

  • Segundo não-gol: Brasil X Inglaterra

Após receber um cruzamento de Jairzinho, Pelé dá uma forte cabeçada, mas Gordon Banks defende de forma espetacular, tirando a bola de dentro do gol. A defesa de Banks é considerada a melhor defesa de todas as copas.

  • Terceiro não-gol: Brasil X Uruguai

Pelé avança em direção à área do Uruguai. O Rei dribla Mazurkiewicz (sem nem ter tocado na bola), que tenta voltar ao gol, mas desiste. Pelé chuta, o zagueiro Ancheta tenta tirar a bola, mas não consegue. A bola vai para fora, e Pelé lamenta o gol perdido ( como se ele tivesse feito de propósito para o povo lembrar que ele só era humano)

  • Quarto não-gol: Brasil X Uruguai

Mazurkiewicz cobra mal um tiro de meta. Pelé rebate de fora da área com um chute forte, mas o goleiro uruguaio se recupera e segura a bola.

  • Quinto não-gol: Brasil X Itália (final)

No minuto final do primeiro tempo, num lance polêmico, Pelé recebe na área a bola de uma cobrança de falta e marca o gol, porém o gol foi invalidado, pois no momento em que a bola entrou na área o árbitro apitou o final do primeiro tempo. Fato semelhante ocorreu com Zico na copa de 1978 na Argentina, na partida entre Brasil e Suécia na primeira fase.

[...]"

(http://pt.wikipedia.org/wiki/Copa_do_Mundo_FIFA_de_1970; O GRIFO É NOSSO)

 

 

 

 

 

"Piriápolis

Castelo de Piria, em Piriápolis.

Piriápolis é uma cidade-balneário uruguaia localizada ao sul de Punta del Este e a 97 km da capital Montevidéu. Tem seu nome derivado de seu fundador, Dr. Francisco Piria, e tem uma população fixa de cerca de oito mil habitantes, mas a população flutuante é muito maior, principalmente nos meses quentes de verão (dezembro a março), quando recebe muitos visitantes argentinos e uma quantidade crescente de europeus, ainda que o turismo interno seja muito importante, em seus hotéis e cassinos. A vida noturna também é muito ativa nesses meses.

A capela de Santo Antônio, no cerro homônimo, um dos tantos que rodeiam a cidade junto ao Cerro del Toro, oferece uma vista panorâmica. Para viajantes mais intrépidos, existe a possibilidade de escalar o terceiro cerro mais alto do Uruguai, o Pan de Azúcar, nas cercanías da cidade homônima, cerca de 10 km fora do balneário.

Outra atração turísticas de Piriápolis são duas formações rochosas ótimas para pesca no ano todo, assim como a avenida Praia de los Argentinos e as praias de areias brancas, como São Francisco e Praia Formosa."

(http://pt.wikipedia.org/wiki/Piri%C3%A1polis)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(http://futebol-de-mesa.blogspot.com.br/2009_08_01_archive.html)

 

 

"DOS 3 'JOGADORES DE BOTÃO' MOSTRADOS NA FOTO ACIMA

[não exatamente os exibidos, mas remetendo aos mesmos atletas],

TENHO ATÉ HOJE MAZURKIEVSKI (CAIXA DE FÓSFORO COM CHUMBO

DENTRO E FOTO DO ARQUEIRO URUGUAIO POR FORA) E O BEQUE

ANCHETA, NA MINHA SELEÇÃO DOS OUTROS DO MUNDO (COPA 70), QUE

EU CHAMAVA DE "SELEÇÃO DA FIFA", MAS QUEM TINHA ESCOLHIDO

ESSES MELHORES JOGADORES TINHA SIDO EU, MESMO

[O 3º ATLETA REFERIDO É LUIS CUBILLA, IGUALMENTE UM GRANDE

JOGADOR, QUE MARCOU UM GOL NA CÉLEBRE SEMIFINAL - QUANDO

PELÉ NÃO CONSEGUIU MARCAR GOL (*) - E QUE DEPOIS FOI TREINADOR

EM VÁRIOS PAÍSES DA AMÉRICA LATINA - E TAMBÉM NA EUROPA (ESPANHA):

VIDE, POR FAVOR, VERBETE DA WIKIPÉDIA NO FINAL (penúltimo bloco com

texto & imagem) REPRODUZIDO]"

 

[O RESPONSÁVEL POR ESTA COLUNA "Recontando..."]

(*) - RESULTADO: BRASIL 3 X 0 URUGUAI:

"17 de junho de 1970 Brasil Brasil 3–1 Flag of Uruguay.svg Uruguai Guadalajara, Estádio Jalisco
Árbitro: Mendibil (Espanha)
Público: 51 000
  Clodoaldo 45'
Jairzinho 76'
Rivelino 90'  "
  Luis Cubilla 19'

(http://pt.wikipedia.org/wiki/Copa_do_Mundo_FIFA_de_1970)

 

 

 

 

 

Jogos para sempre: Brasil e Uruguai copa do mundo de 1970 1/4,

Youtube:

 

 

2/4:

 

 

3/4:

"Enviado em 25/09/2010

 Episódio da série jogos para sempre sobre o jogo entre Brasil e Uruguai na copa do mundo de 1970

comentários

Apenas 9 exibições para esse épico?? Esse jogo me traz lágrimas ao olhos. Hoje em dia está na moda o clássico contra a Argentina. Isso porque o Uruguai definhou no futebol, mas a nossa grande rivalidade sempre foi contra os uruguaios. Ganhar deles é um deleite. Numa semi-final de Copa com o futebol mais bonito já visto na face da Terra... Me traz as lágrimas..."

 

 

 

 

 

 

(http://galodeprata13.blogspot.com.br/2012/01/mazurkiwicz-idolo-alvinegro-e-um-dos.html)

 

 

 

 

 

 Guará, do Galo - Ex-atacante do Atlético Mineiro

No Atlético-MG

Guará, em sua rápida passagem pelo Galo, nos anos 70. E pé: Bibi, Vanderlei Paiva, Mazurkievski, Grapete, Vantuir e Oldair. Agachados: Guará, Humberto Ramos, Dadá Maravilha, Hamilton Melo e Serginho

(http://terceirotempo.bol.uol.com.br/quefimlevou/qfl/foto/guara-do-galo/no-atletico-mg-46312.html)

 

 

 

 

MILTON NEVES ESCREVE SOBRE

OUTRO GOLEIRO URUGUAIO,

MAIDANA, ONDE LEMBRA QUE

MAZURKIEVSKI FOI UM DOS GRANDES

NOMES DA ÉPOCA ROMÂNTICA

DO FUTEBOL:

 

"Maidana
Ex-goleiro do Peñarol e Palmeiras

por Milton Neves
Luís Maria Maidana Silveira, o célebre goleiro Maidana da Seleção Uruguaia, do Clube Atlético Peñarol e do Palmeiras nos anos 50 e 60 continua morando na sua Montevidéu, no Uruguai, obviamente aposentado do futebol e como empresário.

Em 2011 treinava seu neto - também Maidana e goleiro - nos juvenis do Clube Atlético Peñarol, na ocasião com 15 anos.

Maidana é um dos nomes míticos da época romântica do futebol, ao lado dos argentinos Carrizo, Domingues e Roma, dos brasileiros Gylmar, Manga e Valdir Joaquim de Moraes, do soviético Iashin, do mexicano Carbajal, do chileno Escutti e dos uruguaios Máspoli e Ladislao Mazurkievski
.

Pelo Peñarol atuou por 15 anos e ganhou muitos títulos, com destaque para duas Libertadores da América: a primeira edição do torneio, em 1960, e  também a  de 1961, derrotando o Olímpia (Paraguai) e o Palmeiras, respectivamente.

Ele foi o titular do melhor Peñarol da história, como se verifica na galeria de fotos.

Já pelo Palmeiras, o grande Maidana jogou em 30 partidas, entre 1965 e 1966 e também em 1968.
 
 
 
(http://terceirotempo.bol.uol.com.br/quefimlevou/qfl/sobre/maidana-4778.html, O GRIFO É NOSSO)
 
 
 
 
 
 
 
 
                      
 
                                   HOMENAGEANDO O POVO DA CIDADE DE PIRIÁPOLIS, URUGUAI,
                                   JOÃO  SALDANHA - in memoriam -,
                                   O PESQUISADOR DA HISTÓRIA DO FUTEBOL MINEIRO
                                   DILSON BRAGA,
                                   LUÍS MAIDANA,
                                   CARLOS ALBERTO TORRES,
                                   ATÍLIO ANCHETA,
                                   LUIS CUBILLA,
                            JUCA KFOURI,
                                   TÚLIO VELHO BARRETO,
                          MILTON NEVES E
                                   LADISLAO MAZURKIEVSKI,
                                   LENDÁRIO GOLEIRO URUGUAIO QUE MOROU E TRABALHOU EM
                                   BELO HORIZONTE, DESEJANDO A ESSES GRANDES PROFISSIONAIS
                                   MUITA SAÚDE, VIDA LONGA, ALEGRIAS E