Dilson Lages Monteiro Terça-feira, 27 de junho de 2017
RECONTANDO ESTÓRIAS DO DOMÍNIO PÚBLICO - F. B.
Flávio Bittencourt
Tamanho da letra A +A

Os feijões mexicanos que saltam


[Flávio Bittencourt]

Os feijões mexicanos que saltam

É verdade.

 

 


24.11.014 -           F.

 

"Qual o segredo dos feijões mexicanos saltitantes? É verdade que o feijão “pula” sozinho?

 

“Os feijões saltitantes pulam mesmo? Qual o segredo?”

Ótima dúvida! (...) Qual seria o segredo dos feijões mexicanos saltitantes? Hoje vou revelar um grande mistério. Para quem nunca ouviu falar, os feijões mexicanos saltitantes são vendidos em loja de souvenir ou por vendedores ambulantes nas fronteiras do México, uma febre nos Estados Unidos. E quem não ficaria encantado com feijões que se pulam e rolam sozinhos?

Bem, o feijão saltitante não é bem um feijão e tão pouco um grão. Na verdade, trata-se da semente de um arbusto decíduo (Sebastiana pavoniana) que cresce principalmente no deserto selvagem do México. Essa sementinha tem três partes e cada uma dessas partes pode ser um “feijão saltitante”. Mas como assim?

Tudo é culpa de uma mariposa. Isso mesmo! Dentro de algumas das partes da semente deste arbusto, tem uma larva de mariposa de uma grande família das borboletas (Olethreutidae) que são pragas agrícolas. Ela é a verdadeira saltadora da história. Durante a primavera e o verão, a fêmea coloca seus ovos sobre as flores femininas do arbusto, exatamente no ovário imaturo. Quando os ovos eclodem, as larvas começam a comer todo o conteúdo do que se tornaria um semente. Assim, elas vão crescendo ali e construindo uma espécie de “forro” no interior da semente com os fios de seda produzidos pelas glândulas salivares. Esse forro, seria uma espécie de casulo (como os de borboletas). O movimento da larvinha para a construção do seu casulo dentro da semente, acaba causando os “pulos do feijão”.

O ciclo de vida da mariposa responsável pelos pulinhos dos “feijões saltitantes mexicanos”! Foto: Reprodução/subdivx

Os saltos do feijão seguem seus movimentos e vibrações durante semanas ou meses. Com o tempo os saltos deixarão de acontecer, a larva se torna uma pupa e então sofre metamorfose. Até seis meses depois, adultos mariposas surgirão a partir do “feijão” e certamente irão a procura de mais flores para colocar seus ovinhos. Esse é o segredo dos feijões mexicanos saltitantes!

_original

Com o tempo os saltos deixarão de acontecer, a larva se torna uma pupa e então sofre metamorfose.

FONTE:HOWSTUFFSWORK,BEANSJUMPING

" ( http://diariodebiologia.com/2009/06/qual-o-segredo-dos-feijoes-mexicanos-saltitantes-e-verdade-que-o-feijao-pula-sozinho/#.VHOozMmF_t1)

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

28.03.2015 - História de Rosa Branca e Rosa Vermelha

11.03.2015 - A menina do giz

07.03.2015 - As 7 maravilhas naturais do novo mundo

14.01.2015 - Livro de Pedro Lucas Lindoso

05.12.2014 - CHÁ E CAFÉ: O QUE É INFUSÃO?

28.11.2014 - O Bloco carnavalesco Chave de Ouro

24.11.2014 - Os feijões mexicanos que saltam

19.11.2014 - O Mausoléu de Halicarnasso

13.10.2014 - Site educacional de qualidade

22.08.2014 - As 7 maravilhas do mundo antigo

19.08.2014 - O monstro da mitologia fenícia

16.08.2014 - A lenda do Pão de Açúcar

08.08.2014 - Contos de Mamãe Gansa

05.08.2014 - BRICS

05.07.2014 - A lenda das Cataratas do Iguaçu

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

27.06.2017 - Consciência de Classe - György Lukács - Capítulo V

Consciência de Classe - György Lukács - Capítulo V

25.06.2017 - Histórias de Évora em dois bilhetes internéticos

vc me fez reviver um passado bem parecido, cheio de brincadeiras, namoricos, cachaçadas, festas, incursões aos saudosos lupanares e demais entretenimentos de nossos tempos de antanho.

25.06.2017 - A DIMENSÃO DO MAR

A DIMENSÃO DO MAR

24.06.2017 - Encontro com Sophia de Mello Breyner

Encontro com Sophia de Mello Breyner

23.06.2017 - ONDE LOCALIZAR A CRISE BRASILEIRA?

Fala-se, em toda

21.06.2017 - Uma tarde na Fazenda Não me Deixes

Uma tarde na Fazenda Não me Deixes

20.06.2017 - ROGEL SAMUEL: BREVE MANUAL DE DIDÁTICA GERAL

Por que a didática geral?

19.06.2017 - Vozes da ribanceira

O autor escreve sobre o romance Vozes da ribanceira, do acadêmico Oton Lustosa.

19.06.2017 - Psycho Pass episódio 6: Akane confronta a crueldade humana

Prosseguindo a guia de episódios do seriado de ficção científica "Psycho Pass" chegamos ao chocante sexto episódio, onde Akane enfrenta uma esquartejadora.

19.06.2017 - Lançamento em Parnaíba de Histórias de Évora e A Menina do Bico de Ouro

O SESC convida para o lançamento de Histórias de Évora e A Menina do Bico de Ouro em Parnaíba

18.06.2017 - A REGRA E AS EXCEÇÕES

Alguém, de forma

16.06.2017 - Cruzando os Mares

A Bordo de um Cargueiro

16.06.2017 - Ariano e a estética do Não Foi Bem Assim

Essas coisas são inventadas por heróis picarescos, gente que para fugir da fome tem que remar o dia todo, a vida inteira.

16.06.2017 - Livros e raparigas

Um dia destes, em conversa com a mulher de um jornalista, escritor e (grande) tradutor brasileiro, falávamos de Os Desastres de Sofia e da famosa colecção Biblioteca das Raparigas

16.06.2017 - A gênese de nossa criação literária

A base de nossa criação literária fundamenta-se, portanto, na tentativa de fundir memória, imagem e sensação.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br