Dilson Lages Monteiro Sábado, 29 de abril de 2017
RECONTANDO ESTÓRIAS DO DOMÍNIO PÚBLICO - F. B.
Flávio Bittencourt
Tamanho da letra A +A

Contos de Mamãe Gansa

 

[Flávio Bittencourt]

Contos de Mamãe Gansa

Resenha

 

 

 

 

 

 

Gansa e galinha disputam a maternidade de um filhote

 

 

 

 

 

 

8.8.2014 -             F.

 

 

"18/10/2012

Resenha - Contos de Mamãe Gansa

 

 

Nome: Contos de Mamãe Gansa
No Original: Contes De Ma Mère L'oye
Autor (a): Charles Perrault
Páginas: 160
Editora: LP&M
Comprar: Travessa - Siciliano - Saraiva - Cultura
Sinopse: O nome de Charles Perrault, 1628-1703, está intimamente ligado a algumas das histórias mais conhecidas do mundo inteiro, como a de Chapeuzinho Vermelho, da Gata Borralheira e do Pequeno Polegar. Originalmente de cunho popular e oral, sem autoria conhecida, esses e outros contos foram recolhidos e registrados pelo autor entre 1691 e 1697, e adaptados aos mais variados formatos para os mais diversos públicos. Frequentemente transformados em histórias infantis, os Contos de Mamãe Gansa encontram-se aqui restituídos à forma dada por Perrault, em que o humor e o fantástico dão o tom principal, sem deixar de lado um verdadeiro retrato da sociedade da época, contendo ainda uma visão de mundo muitas vezes traduzida por “morais da história” irreverentes e maliciosas. A presente edição, com nova tradução, disponibiliza este tesouro da língua e da cultura francesa a leitores de todas as idades, em toda sua riqueza e elegância originais.

 

Quando vi que a LP&M tinha lançado essa coleção de contos fiquei bastante interessada porque aqui no Brasil é a coisa mais difícil encontrar coletâneas tradicionais do tipo, seja as antigas dos próprios irmãos Grimm ou organizações posteriores. A maioria aqui sabe que sou fã de uma boa fantasia assim como de contos. E é com muito prazer que li alguns dos contos coletados por Perrault na França diretamente do povo e que fez sucesso naquela época em todos os círculos sociais.

Logo na introdução do livro temos um relato sobre Perrault, o caráter popular dos contos e a discussão que ele causou na época. O mais interessante é que todos os contos possuem duas morais. Uma popular e outra escrita pelo autor. "A Bela Adormecida no Bosque", "Chapeuzinho Vermelho", "Barba-Azul", "Gato de Botas", "As Fadas", "Pequeno Polegar", "A Bela Adormecida no Bosque" são alguns dos contos com morais mais interessantes e que ganharam uma conotação mais universal e menos infantil. As morais do autor são de certas formas antigas, mas se você pensa pelo contexto da época que o livro foi lançado fazem muito sentido quando se observa o fato de elas terem sido destinadas ao público feminino. Por ai você já imagina o tom machista de algumas. Conselhos que falam desde modéstia, a submissão, doçura, bom casamento e outros temas pertinentes às mulheres daquela época.

Para quem gosta de contos e principalmente de ler obras fantásticas mais tradicionais é um deleite. Desde o astuto e inteligente Gato de Botas ao grande e assustador Ogro, comedor de crianças que mata a própria filha. Perfeito para quem só conhece as versões imortalizadas pela Disney, afinal esses contos populares que veem de séculos atrás na sua origem eram sombrios. Como é o caso da Chapeuzinho Vermelho que termina na barriga do lobo e entra a moral de belas donzelas não confiar em qualquer "lobo". Ri com alguns, fiquei surpresa com outros e terminei as 160 páginas conhecendo um pouco mais a versão francesa popular de histórias que sempre quis ler, mas nunca tive a chance. Agora falta o tradicional de contos dos irmãos Grimm.

A edição da LP&M está ótima, com índice, uma capa condizente e uma introdução que situa melhor o leitor. Perfeito para quem nunca teve a oportunidade de conhecer histórias conhecidas em outro contexto. Que refletia diretamente uma época e um país. Só dei quatro estrelas porque gostaria que fossem mais contos, a versão completa. Recomendo a todos na verdade. Desde jovens a adultos. São belas histórias com duas morais que interessam para dar uma visão da época. Leiam e se divirtam com contos que saíram diretamente do contado popular para o papel e que agradaram até os nobres da França. Até mais!"
 
(http://www.cultivandoaleitura.com/2012/10/resenha-contos-de-mamae-gansa.html)
 
 
 
 
 

 

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

28.03.2015 - História de Rosa Branca e Rosa Vermelha

11.03.2015 - A menina do giz

07.03.2015 - As 7 maravilhas naturais do novo mundo

14.01.2015 - Livro de Pedro Lucas Lindoso

05.12.2014 - CHÁ E CAFÉ: O QUE É INFUSÃO?

28.11.2014 - O Bloco carnavalesco Chave de Ouro

24.11.2014 - Os feijões mexicanos que saltam

19.11.2014 - O Mausoléu de Halicarnasso

13.10.2014 - Site educacional de qualidade

22.08.2014 - As 7 maravilhas do mundo antigo

19.08.2014 - O monstro da mitologia fenícia

16.08.2014 - A lenda do Pão de Açúcar

08.08.2014 - Contos de Mamãe Gansa

05.08.2014 - BRICS

05.07.2014 - A lenda das Cataratas do Iguaçu

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

26.04.2017 - Afrânio Nunes

O autor traça o perfil biográfico de um importante político piauiense.

26.04.2017 - O manto de diamantes das estrelas

O manto de diamantes das estrelas

26.04.2017 - A saga da Capelinha de Palha

Seu pai, o senhor Daniel, comovido, ao ver a dedicação e o esforço da esposa em exercitar sua fé e religiosidade em local improvisado e sem conforto, por vezes sujeito a sol ou a chuva, resolveu erguer no local uma pequena capela de taipa.

24.04.2017 - Eliseu de Sousa Martins

O autor traça o perfil biográfico de um importante do político brasileiro, que atuou no tempo do Império.

24.04.2017 - O ódio inventado pelos bonzinhos

Por que o mundo todo pode viver e resolver seus conflitos, e nós não?

24.04.2017 - O fascínio dos nomes

Há uns anos, mandaram um fotógrafo do jornal Público para me fotografar (já nem me recordo bem a que propósito) e, quando lhe perguntei como se chamava, respondeu-me: Miguel Manso.

24.04.2017 - Aspas simples por ironia vale?

--- Tenho notado em vários textos o uso da ' (aspa simples), mesmo fora das

24.04.2017 - Dez verdades inteiras e uma mentira parcial

Está rolando este desafio no Facebook, e resolvi contribuir com os meus episódios.

23.04.2017 - A retrospectiva das horas

Alceu Amoroso Lima escrevia uma linha no fim do dia.

23.04.2017 - O começo do mundo e as sete cidades de pedra

O começo do mundo e as sete cidades de pedra

23.04.2017 - O adeus a Gomes Campos

o autor divulga texto escrito e publicado na imprensa, quando do falecimento do dramaturgo Gomes Campos, um importante intelectual piauiense.

23.04.2017 - Também existe fascismo na esquerda

Quem tem telhado de vidro não joga pedra no do vizinho.

23.04.2017 - A SABEDORIA DO ANDAR

A SABEDORIA DO ANDAR

22.04.2017 - O povoamento do Piauí

O autor faz análise crítica sobre obra historiográfica e sobre a colonização do Piauí

22.04.2017 - Poesia de Hoje

Versos Atuais.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br