Dilson Lages Monteiro Segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017
OS MISTÉRIOS DO REAL - CLARICE DE OLIVEIRA
Clarisse de Oliveira
Tamanho da letra A +A

O homem rude

O homem rude, não tem noção dos preambulos romanticos, para conquistar uma mulher.
Por sua vez, a mulher ja ouviu muitos "preambulos romanticos" e o que aconteceu em seguida, não era bem o que a mulher esperava...
Um principe deixa a mulher esperançosa, ansiosa, e uma sensação "depois" de que ficou faltando alguma coisa...
O homem rude, vai levar à mulher, o desejo que está dentro dele.
O homem rude não tem noção de como embrulhar o desejo como arte de presente.
O homem rude não quer dar presente nenhum... ele quer a mulher, impregnar o corpo dele com o calor do corpo da mulher, seu cheiro de fêmea, e a completa satisfação dele.
Pode ser que o homem rude tenha estrupado, em vez de ter "amado" a mulher... mas, que a mulher não está sentindo que falta alguma coisa, não está sentindo nada... tá sentindo até que sobrou muita coisa...
Para certas mulheres, na cama com um pincipe, sempre falta o o corpo de um homem rude.
                                                                                 clarisse

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

02.02.2017 - Discurso de Posse de Guimarães Rosa na Academia Brasileira

30.01.2017 - PARIS

22.01.2017 - NA CASA DE GERARDO MELO MOURÃO - ROGEL SAMUEL

14.01.2017 - O TAO

13.01.2017 - Dylan Thomas

08.01.2017 - POEMA

07.01.2017 - DUGPA RINPOCHÊ

29.12.2016 - MADRUGADA

26.12.2016 - OS AMANTES

20.12.2016 - O METRO ADVERSO

19.12.2016 - AS VAGAS DA ELEGIA DE CAMÕES

18.12.2016 - Duas traduções

15.12.2016 - NA NOITE DE NATAL

15.12.2016 - Olhos que ja podem ver no Espaço‏

14.12.2016 - A árvore da morte

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

19.02.2017 - CASA ABANDONADA

CASA ABANDONADA

18.02.2017 - As vozes narrativas

As vozes narrativas

18.02.2017 - As memórias de Cunha e Silva Filho

Um amigo que tem muitas coisas a contar relata fatos de sua vida.

17.02.2017 - O PIANO, A TARDE

Minha tia Maria José

16.02.2017 - A Filha da Floresta, de Thales Andrade

Assim iniciou a literatura infantil brasileira.

15.02.2017 - ENTREVISTA DE R. SAMUEL A LUIZ ALBERTO MACHADO

Não vi a riqueza de Maurice Samuel

15.02.2017 - CONCEIÇÃO

CONCEIÇÃO

14.02.2017 - Solveig von Schoultz, 1907-1996, Finlândia

Demos-lhe sementes; não muitas,

13.02.2017 - Paru

Filho da estrada e do vento, nunca se soube de onde vi/era, nunca se soube para onde foi.

12.02.2017 - NATUREZA MORTA

Oh, está morto, tudo está congeladamente morto.

11.02.2017 - A Coluna Prestes em Aparecida

O autor narra a passagem da Coluna Prestes na vila a'Aparecida, hoje cidade de Bertolínia, sua terra natal.

11.02.2017 - porta calada

porta calada

10.02.2017 - João Crisóstomo da Rocha Cabral

O autor discorre sobre o jurista e poeta João Cabral e sua obra poética Palimpsestos.

09.02.2017 - UNIVERSOS PARALELOS - CRÔNICA ANTIGA

UNIVERSOS PARALELOS - CRÔNICA ANTIGA

09.02.2017 - Literatura é imagem, cena e metáfora

A literatura brasileira não tem uma grande tradição no tratamento de romances — ou prosa de ficção — metafóricos, sobretudo na questão política, optando, quase sempre pelo documento, a sociologia ou a antropologia e o panfleto.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br