Dilson Lages Monteiro Terça-feira, 24 de maio de 2016
NÃO TROPECE NA LÍNGUA - M. T. PIACENTINI
M. T. Piacentini
Tamanho da letra A +A

De hífens, pontos, abreviaturas etc (II)

[M. T. Piacentini]

--- Escrevendo-se de forma manuscrita deve-se ou não cortar o número 7 (sete)? José C. M. Pereira, Londrina/PR


A convenção no Brasil é que, manuscrito, o número 7 deve ser cortado, para não ser confundido com o número 1 (diferentemente dos EUA, por exemplo, em que o 1 manuscrito é só um traço).


--- Quando se quer dizer que um elemento tem as propriedades de duas ou mais coisas, como aromática e cromoterápica, eu diria que é aromocromoterápico ou aromo-cromoterápico? Geraldo L.S. Jardim, Santo Amaro da Imperatriz/SC
 

A grafia correta é sem hífen, mesmo quando aromo (ou aroma) é o primeiro dos elementos de  composição:  aromoterapia + cromoterapia =aromocromoterapia aromocromoterápico.  Caso análogo: antropomorfográfico.


--- Nosso Projeto de Resolução está sendo corrigido e surgiu dúvida quanto ao plural da  seguinte palavra composta que está neste  inciso: I - planejar, organizar, dirigir, coordenar e supervisionar projetos e atividades-fim (ou atividades-fins) do órgão e seus resultados.
 S. M. Gattringer, Florianópolis/SC


Fica a seu critério o uso. As duas formas de plural estão corretas: atividades-fim ou atividades-fins, mas a primeira forma parece ter mais aceitação, assim como atividades-meio, horas-aula, datas-limite, palavras-chave, cartas-convite, vales-transporte, seguros-desemprego e outras composições de dois substantivos em que o segundo funciona como determinante do primeiro.  Mais sobre o assunto na coluna Não Tropece na Língua nº 197 – De pau-brasil a decreto-lei – plural dos compostos.
 

--- Por que na frase “quer-lhe-ia apresentar meus votos de pronto restabelecimento”, o pronome oblíquo está mal empregado? Jaciene Nascimento, Nilópolis/RJ


Se a frase começar com o verbo querer, não se dirá que o pronome oblíquo está mal colocado, isto é, não se encontra aí nenhum erro gramatical. Seria considerada má colocação pronominal se houvesse uma palavra atrativa antes do verbo, situação que não admite a mesóclise: “Informei na recepção que queria lhe apresentar meus votos de pronto restabelecimento” (ou que queria apresentar-lhe ou ainda que lhe queria apresentar).


A outra face da questão é que ninguém no Brasil falaria assim, e poucos escreveriam “quer-lhe-ia”, com o uso da mesóclise por causa do futuro do pretérito, a não ser no início de frase de um texto formal. As formas usuais são as seguintes:  
 

Queria lhe apresentar meus votos de felicidade e saúde.

Gostaria de lhe desejar boa sorte.

Queria apresentar-lhe minhas felicitações.

Queremos apresentar-lhe nossos cumprimentos.


--- Gostaria de saber se ao dizer “nome da razão social” eu não estou sendo redundante. Claudia, Rio de Janeiro/RJ


Fica redundante, sim. No sentido de "firma", basta dizer "a razão social", "qual é a razão social?", pois aí já se trata do nome usado pelo comerciante ou industrial no exercício de suas atividades.

 


 

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

20.05.2016 - Substativos abstratos e concretos

30.04.2016 - Concordância: um substantivo e dois adjetivos

23.04.2016 - Concordância nominal: é proibido, é preciso.

05.04.2016 - Concordância nominal: é proibido... é preciso...

17.03.2016 - Profa., antes de mais nada, na verdade é correto

12.02.2016 - Lítero-musical, infanto-juvenil e espaço-temporal

01.01.2016 - Mais-que-perfeito e o pronome relativo quem

14.12.2015 - O ano recém-findo

02.12.2015 - Por um lado e por outro

10.11.2015 - Onde usar onde (1)

27.09.2015 - Um dos que sofre ou sofrem?

02.09.2015 - Onde usar onde (1)

18.07.2015 - Uso da vírgula em caso de verbo subentendido

09.06.2015 - Isso a gente já sabe - concordância

01.05.2015 - Socorro! Pontuação em excesso

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

23.05.2016 - O AMANTE DAS AMAZONAS DE ROGEL SAMUEL

Um obscuro deus dorme

21.05.2016 - O vice no ostracismo

Ao menos nesse ponto Temer está coberto de razão. Vamos ver agora como ele se sairá... e que Deus o ilumine.

20.05.2016 - Substativos abstratos e concretos

--- Muita gente me pergunta o seguinte: calor, frio e vento são substantivos concretos ou abstratos? O que responder?

20.05.2016 - LEMBRANÇAS DE RUI BARBOSA

Não sou especialisa das obras de Rui Barbosa

19.05.2016 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo VI

Com invulgar atenção leu Tomei um Ita no Norte, do escritor parnaibano Renato Castelo Branco, que num estilo elegante, conciso e cristalino contou muitos fatos interessantes e pitorescos da pequenina Parnaíba de sua meninice

16.05.2016 - QUE NÃO VENHA MAIS UMA TRAGICOMÉDIA NACIONAL

É claro que a permanência

16.05.2016 - A máscara de Sailor Vênus

Resenha do primeiro dos dois célebres mangás da Sailor Vênus, criada por Naoko Takeushi.

15.05.2016 - ENGAJAMENTO E POLIFONIA DE VOZES EM “FILHOS DA MÃE GENTIL”, de José Ribamar Garcia

O livro de José Ribamar Garcia, “Filhos da mãe Gentil”, longe de ameaçar o poder e as instituições, inscreve em suas páginas a mensagem de um escritor engajado, sob a visão sartreana

15.05.2016 - A representação da violência em Teresina

O livro Sabor de Vingança, de autoria do escritor Milton Borges, reúne 28 contos, narrados em 3ª pessoa

14.05.2016 - SEM PAI, NEM MÃE

Sem pai nem mãe, nem parente algum de que tivesse notícia”

12.05.2016 - TAO TE CHING

TAO TE CHING

12.05.2016 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo V

Contudo, algo inusitado aconteceu. Doralice, em dado momento, estrebuchou e escaramuçou agoniada; gemeu muito, e pronunciou sons ininteligíveis, que mais pareciam grunhidos, como se fosse morrer.

10.05.2016 - A Bela dos Diários

O leitor é capturado pelos dramas, carências e desejos de cada personagem ou sorri de situações que a literatura, como a vida, revela-nos inesperadamente.

10.05.2016 - MAIS UM GOLPE BAIXO DO GOVERNO SÍRIO

Este artigo procura discutir

08.05.2016 - RETRATO DE MÃE DE JORGE TUFIC

Numa tarde opressiva de domingo

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br