Dilson Lages Monteiro Domingo, 23 de abril de 2017
LETRA VIVA - CUNHA E SILVA FILHO
Cunha e Silva Filho
Tamanho da letra A +A

VOLTO AO ASSUNTO: A CRIMINALIDADE BRASILEIRA

              CUNHA E SILVA FILHO

             É um truísmo ouvir-se de alguém conhecido ou não, com certo enfado e ojeriza, afirmar que não mais lê seções de jornais sobre crimes, nem assistir a programas na TV filmes que abordem a questão da violência, os horrores de homicídios, latrocínios, assaltos à mão armada, estupros, feminicídio e outras perversidades dos tempos atuais. No meu juízo, pessoas que pensam desta maneira estão erradas visto que, agindo assim, só concorrem para que providências não sejam tomadas para, pelo menos, a sociedade repensar em profundidade as razões pelas quais o nosso país anda atolada na barbárie cotidiana desses males que não escolhem vítimas pelo sexo, pela etnia, por religião, por nível social ,por nada. Matar, roubar, é o objetivo maligno desses indivíduos.

          O caçador selvagem ataca todos sem dó nem piedade Comportam-se como feras e predadores irracionais, prontos a darem o bote fatal e covarde. Poucos brasileiros de todas as idades não foram, um dia, vítimas da sanha desse monstros sociais, alguns psicopatas. Matam trucidam, decapitam e destroem vidas inocentes de quem nunca lhes fez mal. Há muito passou a hora de as autoridades federais, estaduais e municipais se compenetrarem que o mal está tomando proporções titânicas pela altíssima frequência de mortes cruéis em nosso país, tanto nas grandes cidades (Rio de Janeiro, São Paulo, carros-chefe de nossa criminalidade) e quase, senão todas as capitais, quanto nas pequenas cidades e até nas zonas rurais.

          A metástase da criminalidade brasileiros vai destruir o tecido social do país se medidas rígidas e definitivas não forem tomadas. Nem mesmo há tempo de se considerarem componentes religiosos que, por princípios, rejeitam sentenças e condenações mais inflexíveis como a prisão perpétua ou a pena de morte para criminosos de grande periculosidade e para criminosos e assassinos que matam pessoas de forma banal,fria e animalesca.

         A impunidade do sistema penal brasileiro é responsável pelo estado de guerra de bandidos contra a sociedade. As pessoas não mais têm respeito por autoridades que se ocupam da segurança pública uma vez que sabem antecipadamente que o homicida vai preso e logo sai da penitenciária a fim de cometer mais crimes contra os indefesos. Além de desfrutarem de regalias imperdoáveis e insustentáveis como: diminuição da penalidade,indultos, liberdade condicional, bom comportamento e a execranda invenção e implantação da nefanda “prisão domiciliar.” Nem me dei ao trabalho de pesquisar de onde surgiu essa ideias estapafúrdia de prisão domiciliar que a meu ver, só serve para acobertar benesses penais às elites criminosas.

         Assim também é o chamado uso da tornozeleira eletrônica empregada para criminosos. Ora, criminosos é criminosos e o lugar apropriado deles é a prisão, a cadeia, a masmorra, ver o quadrado. Mordomias para detentos ladrões é uma excrescência e um absurdo penal, um erro jurídico imperdoável. A sua continuidade só servirá para exacerbar a escalda de crimes praticado em todo o território nacional.A selvageria criminosa criará sérios problemas para nós todos que nascemos nesta pátria amada e tão esquecida pelos instituições e órgãos responsáveis pela segurança do cidadão que trabalha e concorre para o desenvolvimento do Brasil em todos os setores.

        A violência assim tão entranhada em solo brasileiro configura um crime de lesa-pátria, um caso atípico a ser imediatamente tratado e equacionado e reduzido pelos muitos meios e logística da Segurança Nacional. Há, sim, uma guerra civil às avessas em nosso país: a guerra de criminosos contra uma população irmã, desarmada e refém de todas as brutalidades que se possa imaginar. Só com a eliminação da impunidade criminal é que irá este país afastar bem para longe os escroques, os meliantes, os mafiosos, os grandes gângsteres de “white collars” ou das favelas.

        A Lei Penal deve ser igualitária: não condescender com monstros inimigos da paz social,da alegria do povo, da segurança das famílias deste país. Os crimes crescem tanto que chegará um tempo em que o turismo sofrerá um queda inimaginável por mais que as agências turísticas tentem dourar a pílula. E o turismo é um dos fatores determinante da economia nacional.

     E, para finalizar, a criminalidade em nosso país é algo muito entrelaçado, no imaginário popular, com a violência da politicagem brasileira, notadamente nos últimos quinze anos aproximadamente. Elas, muitas vezes, se embricam e se confundem e por isso se uma não vai bem, a outra igualmente não vai bem, i.e., se a política é mal exercida e é corrupta, a violência tende a ser mais solta e mais perversa.

   Os criminoso da base da pirâmide e de outros  extratos sociais dirão: eles, lá no parlamento, lá nos tribunais fazem muito mal a nós, por que não vamos fazer o mesmo ou pior e, além disso, temos,ao nosso lado, a impunidade, que se torna natural, uma banalidade, um jeitinho brasileiro de tratar os grandes males e perversidades da nossa sociedade. Essa aporia, que nos apresenta dois aspectos da triste e combalida realidade brasileira, deve ser meditada em profundidade pelos homens de bem desta Nação.

Compartilhar em redes sociais

Comentários (2)

Meu caro Miguel Carqueija: V. é um dos raros interlocutores meus neste site e essa condição me conforta porque, em muitas questões, penso igual a V. uito bom que meu artigo tenha suscitado essas afirmações acerca da s terríveis dificuldade pelas quais nós brasileiros estamos passando diante desse vendaval de crimes e de mortes perpetradas por facínoras incuráveis ou por bandidos que nem estão aí para a prisão de vez que esta, na realidade, para muitos deles não passa de uma encenação entre os órgãos de segurança e os criminosos.Se mantivermos essa apaatia diante do agravamento da criminalidade, teremos sérios percalços de ordem pública.Não deixemos a peteca cair e continuemos nesta interlocução que só nos torna cada vez mais preparados para enfrentar com a nossa escrita os descaminhos e as mazelas de nosso país. Um forte abraço do Cunha e Silva Filho

Cunha e SilvaFilho
postado:
29-03-2017 17:26:09

Cunha, é por isso que eu defendo, que em vez de reforma previdenciária, como o Temer está teimando, tem que haver reforma jurídico-penal pous não entra na minha cabeça que criminosos de sangue sejam condenados (quando são, é claro) a longas penas e cumpram um sexto das mesmas. Isso nõ adianta, deveriam cumprir integralmente. Também sou a favor da pena de morte em casos extremos ou da prisão perpétua. Há indivíduos que, como Satanás, ultrapassaram uma linha divisória e não voltarão atrás, por mais que o s liberais vivam repetindo que todo ser humano é recuperável. E sou a favor da pena de castração para estupradores, principalmente os de crianças e os que matam. E veja bem, não a castração química que andam propalando, mas a cirúrgica mesmo. Disseram-me que isso não pode porque a Constituição brasileira proíbe penas cruéis. Mas, isso não é pena cruel. Cruel é estuprar e com requintes de crueldade. É justo desarmar esses monstros. Seu artigo é lúcido e sábio, você tem razão, se a coisa continuar desse jeito vai acabar a civilização no Brasil e pelo mundo afora. Um grande abraço.

Miguel Carqueija
postado:
28-03-2017 14:55:22

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

10.04.2017 - A MEDIDA QUE FAZIA FALTA

28.03.2017 - VOLTO AO ASSUNTO: A CRIMINALIDADE BRASILEIRA

22.03.2017 - AVIDEZ PELO DINHEIRO, FALTA DE ÉTICA E SOLUÇÕES VIÁVEIS PARA O BRASIL

15.03.2017 - POR QUE SÓ AGORA?

06.03.2017 - VERDADE E PÓS-VERDADE NA POLÍTICA COM REFLEXOS NAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS E CULTURAIS

01.03.2017 - Tradução de um poema de Auguste Angellier (1848-1911)

25.02.2017 - SEM DOURAR A PÍLULA

25.01.2017 - Aviso aos leitores

23.01.2017 - DIÁLOGO COM TODAS AS COISAS, OBJETOS E SERES: A POESIA DE NATHAN SOUSA

21.01.2017 - SÃO SEBASTIÃO: PADROEIRO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

15.01.2017 - O QUE É O HOMEM BRASILEIRO?

10.01.2017 - O RIO DE JANEIRO PEDE SOCORRO

06.01.2017 - CUNHA E SILVA FILHO:ESCRITOR E CRÍTICO LITERÁRIO

29.12.2016 - DESPEDIDA DO ANO DE 2016

24.12.2016 - JOSÉ RIBAMAR GARCIA: O FICCIONISTA, A LINGUAGEM E UM PASSO ADIANTE

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

22.04.2017 - O povoamento do Piauí

O autor faz análise crítica sobre obra historiográfica e sobre a colonização do Piauí

22.04.2017 - Poesia de Hoje

Versos Atuais.

22.04.2017 - O BRASIL QUE VIRÁ

O BRASIL QUE VIRÁ

21.04.2017 - C@ARTA AO POETA CHICO MIGUEL

Diria que o amigo é um poeta do coração e da razão, no perfeito equilíbrio dessas duas vertentes.

21.04.2017 - SOMOS MEMBROS UNS DOS OUTROS

Isto é citado por Laín Entralgo

20.04.2017 - MEUS MORTOS HÃO DE VIR NO FIM DA TARDE

Só dá para ler este belo texto quem o situa na Manaus da década de 50

20.04.2017 - E O CONGRESSO?

Oh, Amigos, não esqueçamos o futuro Congresso.

19.04.2017 - SER BUDISTA

Quando o queriam reprovar, diziam que ele era budista.

18.04.2017 - POR QUE KAFKA ESCREVIA EM ALEMÃO?

POR QUE KAFKA ESCREVIA EM ALEMÃO?

18.04.2017 - CONFLUÊNCIA

CONFLUÊNCIA

18.04.2017 - Sobre a liberdade

Sobre a liberdade

17.04.2017 - A palavra editor

É uma das palavras mais ambíguas do nosso mercado literário

16.04.2017 - Auto de Natal em Copacabana

Auto de Natal em Copacabana

15.04.2017 - A MÁSCARA DE CRISTO

Impossível saber se era moreno como um palestino

15.04.2017 - Poesia atual

Plataforma Póetica Popular

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br