Dilson Lages Monteiro Segunda-feira, 29 de maio de 2017
LETRA VIVA - CUNHA E SILVA FILHO
Cunha e Silva Filho
Tamanho da letra A +A

Tradução de um poema de Félix Maria Samaniego (1745-1801)

 

 

 

                

 

Um poema é relevante não porque seja grande. Um livro tem valor não porque tenha muitas páginas, mas porque diz alguma coisa que implica uma lição de sabedoria e de algo oportuno à vida das pessoas. Eis o poema no original, seguido da minha tradução. Por conseguinte, leitor, não avalie um livro ou um poema porque sejam espessos e pesados. Assim diz o ditado: "Tamanho não é documento."

 

                   La mona

Subió una mona a un nogal,

Y cogiendo uma nuez verde,

En la cáscara la muerde;

Con que la supo muy mal.

Arrojóla el animal,

Y se quedó sin comer,

          Así suele suceder

A quien su empresa abandona

Porque halla como a mona

Al principio qué vencer.

                                                  (Félix Maria Samaniego)

 

                  A macaca

Subiu a uma nogueira uma macaca,

 Uma noz verde colheu.

Ao morder a casca notou

Que ainda madura não estava.

Jogou-a fora.

E a fome.não matou.

    Desta maneira, amiúde acontece

   A quem abandona o que faz

   Porque, tal qual o animal,

   Quer logo antes do tempo se dar bem

                                                                                 (Tradução de Cunha e Silva Filho)

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

27.05.2017 - A questão da pós-verdade e suas consquências danosas à ética individual e coletiva do mundo globalizado.

13.05.2017 - História de Évora: uma ficção de erotismo, amor e saudade

08.05.2017 - Tradução de um poema de Félix Maria Samaniego (1745-1801)

10.04.2017 - A MEDIDA QUE FAZIA FALTA

28.03.2017 - VOLTO AO ASSUNTO: A CRIMINALIDADE BRASILEIRA

22.03.2017 - AVIDEZ PELO DINHEIRO, FALTA DE ÉTICA E SOLUÇÕES VIÁVEIS PARA O BRASIL

15.03.2017 - POR QUE SÓ AGORA?

06.03.2017 - VERDADE E PÓS-VERDADE NA POLÍTICA COM REFLEXOS NAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS E CULTURAIS

01.03.2017 - Tradução de um poema de Auguste Angellier (1848-1911)

25.02.2017 - SEM DOURAR A PÍLULA

25.01.2017 - Aviso aos leitores

23.01.2017 - DIÁLOGO COM TODAS AS COISAS, OBJETOS E SERES: A POESIA DE NATHAN SOUSA

21.01.2017 - SÃO SEBASTIÃO: PADROEIRO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

15.01.2017 - O QUE É O HOMEM BRASILEIRO?

10.01.2017 - O RIO DE JANEIRO PEDE SOCORRO

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

28.05.2017 - Incursão à Fazenda Bom Gosto (Século XVIII)

Incursão à Fazenda Bom Gosto (Século XVIII)

28.05.2017 - Versos de Moradora no Harém

Poetisa Amante

28.05.2017 - Palmas para o Tocantins

O autor discorre sobre participação piauiense na Feira Literária Internacional do Tocantins (FLIT), realizada em julho de 2011.

27.05.2017 - A questão da pós-verdade e suas consquências danosas à ética individual e coletiva do mundo globalizado.

O tema escolhido

27.05.2017 - Feitosa, dos Inhamuns

O acadêmico Reginaldo Miranda analisa a obra genealógica do escritor Aécio Feitosa, que escreve sobre a importante família Feitosa, dos Inhamuns.

26.05.2017 - ROGEL SAMUEL: TEORIA DA CRISE

ROGEL SAMUEL: TEORIA DA CRISE

26.05.2017 - POEMA 'ÁGUA FRIA'

poesia

26.05.2017 - O RIO NEGRO

O RIO NEGRO

25.05.2017 - Teresina

O acadêmico Reginaldo Miranda escreve sobre a cidade de Teresina, capital do Piauí, por ocasião da outorga da Comenda Conselheiro Saraiva.

25.05.2017 - A enigmática Etrúria

Desprezada por muitos leitores, a Arqueologia é uma Ciência que vale a pena ser estudada pelos leigos, pois se revela muito interessante.

25.05.2017 - EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

24.05.2017 - O dia em que saí no Ibrahim Sued

Era a sexta-feira do dia 17 de maio de 1985

23.05.2017 - UM AMIGO DE INFÂNCIA

No dia seguinte ao da mudança para a nossa pequena casa dos Campos, em Parnaíba, em 1896, toda ela cheirando ainda a cal

23.05.2017 - Fraternidade Espiritualista Universalista

Em pleno cerrado de Goiás...

22.05.2017 - Um livro infantil de Irá Rodrigues

A literatura infantil é parte importante de nossa cultura, pois devemos estimular nossas crianças ao saudável hábito da leitura.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br