Dilson Lages Monteiro Sexta-feira, 23 de junho de 2017
LER, PENSAR E REDIGIR
Gabriel Perissé
Tamanho da letra A +A

A gorjeta é anti-ética?

[Gabriel Perissé]

A etimologia não é disciplina da filosofia moral, mas pode lançar alguma luz sobre a questão.

A ideia da gorjeta é a de oferecer um "agrado" em forma de dinheiro para uma pessoa que prestou um serviço, e o fez de modo generoso. Quem a dá tem a intenção de manifestar gratidão e, em geral, fica com a expectativa de que numa próxima oportunidade o "agraciado" terá ainda maior disponibilidade para prestar aquele mesmo serviço.

A palavra se registrava em português no século XVIII na forma de "gurgeta", o que evidencia com mais clareza sua ligação com o latim gurges ("goela", "garganta") e seu parentesco, por exemplo, com "regurgitar" (ato de expelir algo pela garganta).

O sufixo -eta (que forma diminutivos) pode ter a ver com a quantidade daquela gratificação espontânea. A gorjeta é um valor pequeno que serviria apenas para "molhar" a garganta (ou a mão, que ficará mais ágil para fazer alguma coisa) de alguém (do garçom, do entregador de malas, do taxista, do manobrista, do engraxate etc.), "incentivando" um serviço "diferenciado", ou providenciando pequenos privilégios futuros.

Antes de se tornar uma quantia de dinheiro, a gorjeta era um copo d'água ou um gole de café ou de outra bebida, algo feito por generosidade, um gesto de humanidade. Por isso ainda usamos expressões como "cafezinho" ou "cervejinha" para indicar o suposto destino que aquele "dinheirinho" extra terá ou deveria ter. Em francês, gorjeta é pourboire (literalmente, "para beber"); em alemão, é Trinkgeld ("dinheiro ou troco para beber"); em espanhol, é propina (remetendo ao latim propinare, "dar de beber"). A palavra "propina" em nossa língua ganhou conotações negativas. Em italiano, gorjeta é mancia, em referência à manga da túnica que cobria a mão na hora de dar a "caixinha" discretamente, como se fosse uma ação meio vergonhosa.

O fato é que a cultura da gorjeta ganhou espaço e tradição em boa parte do mundo. Muitos já contam com essa "doação", que pode ser incorporada como algo normal (a taxa de serviço nos restaurantes), ajudando o profissional a reforçar o seu salário.

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

18.03.2016 - A gorjeta é anti-ética?

01.01.2016 - Autobiografia a caminho

14.12.2015 - Graciosa Beleza

02.01.2015 - O presente era o futuro

27.06.2014 - O santo que matou o dragão

06.06.2014 - Nas teias do homem aranha

21.04.2014 - A cruz crucial

09.04.2014 - Ansiedade em qualquer idade

23.09.2013 - Desculpe qualquer coisas

05.09.2013 - Notícias de Cuba

10.03.2013 - Entre meteoritos, asteroides e cometas

11.09.2012 - Etimologia encrenqueira

26.07.2012 - Lutar com palavras

10.06.2012 - Lavoura dá trabalho

28.05.2012 - O capim e a capivara

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

21.06.2017 - Uma tarde na Fazenda Não me Deixes

Uma tarde na Fazenda Não me Deixes

20.06.2017 - ROGEL SAMUEL: BREVE MANUAL DE DIDÁTICA GERAL

Por que a didática geral?

19.06.2017 - Vozes da ribanceira

O autor escreve sobre o romance Vozes da ribanceira, do acadêmico Oton Lustosa.

19.06.2017 - Psycho Pass episódio 6: Akane confronta a crueldade humana

Prosseguindo a guia de episódios do seriado de ficção científica "Psycho Pass" chegamos ao chocante sexto episódio, onde Akane enfrenta uma esquartejadora.

19.06.2017 - Lançamento em Parnaíba de Histórias de Évora e A Menina do Bico de Ouro

O SESC convida para o lançamento de Histórias de Évora e A Menina do Bico de Ouro em Parnaíba

18.06.2017 - A REGRA E AS EXCEÇÕES

Alguém, de forma

16.06.2017 - Cruzando os Mares

A Bordo de um Cargueiro

16.06.2017 - Ariano e a estética do Não Foi Bem Assim

Essas coisas são inventadas por heróis picarescos, gente que para fugir da fome tem que remar o dia todo, a vida inteira.

16.06.2017 - Livros e raparigas

Um dia destes, em conversa com a mulher de um jornalista, escritor e (grande) tradutor brasileiro, falávamos de Os Desastres de Sofia e da famosa colecção Biblioteca das Raparigas

16.06.2017 - A gênese de nossa criação literária

A base de nossa criação literária fundamenta-se, portanto, na tentativa de fundir memória, imagem e sensação.

15.06.2017 - HOJE É CORPUS CHRISTI, SIM, SENHOR

Muita gente

15.06.2017 - DOCES FANTASMAS

Doces fantasmas esvoaçam os ares dentro de meu quarto.

14.06.2017 - Miranda, uma família pioneira no povoamento do Piauí.

O autor divulga notas sobre as origens da família Miranda, no Piauí.

13.06.2017 - Literatura piauiense

Na apresentação do livro de Francisco Miguel de Moura, Reginaldo Miranda faz análise da literatura piauiense.

13.06.2017 - Da arte do sol

Da arte do sol

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br