Dilson Lages Monteiro Domingo, 23 de abril de 2017
ESTUDOS & LITERATURAS - ANTÔNIO CARLOS ROCHA
Antônio Carlos Rocha
Tamanho da letra A +A

Comunismo Espiritual Antiquíssimo !

Via Pacifista Restauradora

 

Antonio Carlos Rocha

 

Não tem nada a ver com ditaduras e muito menos com as chamadas “esquerdas brasileiras”. Está no plano das Utopias e como tal insere-se no âmbito das Filosofias, Religiões Saudáveis, Artes, Literaturas (entendendo-se por tal, ficções).

 

O jornalista Carlos Newton foi muito feliz em seu artigo de domingo, 27/11/16, na Tribuna da Internet, ao afirmar que, desde Krishna, todos os grandes mestres da Humanidade praticaram em seus ensinamentos este Comunismo Religioso, que eu chamei de CN – Comunismo Neohumanista, Comunismo Neorreligioso, Comunismo Neopacifista, homenageando a sigla do nome do editor do referido blog.

 

Na verdade, de novo não tem nada, é antiqüíssimo e se perde na noite dos tempos.

 

No livro “O Caminho da Perfeição”, do filósofo indiano Prabhupada (1896-1977) editora Iskon, divulgador da Consciência de Krishna no Ocidente, ele afirma que na antiga Academia de Ciências da URSS, os cientistas estavam estudando o Pensamento de Krishna, pois identificaram semelhanças entre a proposta Comunista Primitiva e os ensinamentos védicos de 5 mil anos antes de Cristo, na Índia. Ele diz mesmo que é uma forma de “comunismo espiritual”.

 

Muitos autores espiritualistas já falaram em “comunismo espiritual” e o texto que melhor apresenta Krishna é o livro Bhagavad Gita.

 

Em português temos várias traduções da “Bhagavad Gita = A Canção do Senhor”, uma que eu destaco hoje é da editora Shakti, de São Paulo, 1994, com uma bela introdução do escritor inglês Aldous Husley (1894-1963).

 

À página 135, a encarnação divina Krishna é chamado de “meu camarada”. E esta obra, depois da Bíblia é a mais traduzida no mundo, informa o editor.

 

“Notável Literatura”, a Bhagavad Gita faz parte da Filosofia Perene, diz-nos Aldous:

 

“Mais de vinte e cinco séculos passaram-se desde que a chamada Filosofia Perene foi posta no papel; e, no curso destes séculos, encontrou expressão repetidamente, ora parcial, ora completa, ora nesta forma, ora naquela. Na Vedanta e na profecia Hebraica, no Tao Te King e nos diálogos Platônicos, nos Evangelhos segundo São João e na teologia do Budismo Mahayana, em Plotinus e no Aeropagita, entre os Sufis Persas e os místicos Cristãos da Idade Média e da Renascença – a Filosofia Perene falou quase todas as línguas da Ásia e da Europa e fez uso da terminologia e tradições de cada uma das religiões mais elevadas”.

 

Huxley é autor do livro “A Filosofia Perene”, 448 páginas, editora Globo. O prefácio é do professor da USP, Janine Ribeiro, que foi Ministro da Educação de Dilma, diz ele:

“A Filosofia Perene é um cerne comum a várias religiões e sociedades que nos permite superar os males deste mundo”.

 

O termo “Filosofia Perene” foi usado pelo filósofo alemão Gottfried Leibniz (1646-1716), mas na multimilenar Índia já era conhecido como Sanatana Dharma = Verdade Eterna.

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

22.04.2017 - Poesia de Hoje

15.04.2017 - Poesia atual

10.12.2016 - A Pança dos Formosos

03.12.2016 - Lendo e Comentando as palavras de Buddha.

28.11.2016 - Comunismo Espiritual Antiquíssimo !

18.11.2016 - Homenagem ao Pavilhão Pátrio

05.11.2016 - Literatura do Grande Veículo

29.10.2016 - O Alimento do Mundo

22.10.2016 - Texto dedicado à Amithaba, o Buda das Águas

16.10.2016 - Bodhisatva Leve e Suave

03.10.2016 - Bodhisatva Receptáculo Digno de Virtudes

26.09.2016 - Os Veneráveis Nomes do Sutra Lótus

17.09.2016 - Discipulogia Dármica

09.09.2016 - Supremo Texto Búdico

20.08.2016 - Padroeira e Protetoa dos Ciganos.

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

22.04.2017 - O povoamento do Piauí

O autor faz análise crítica sobre obra historiográfica e sobre a colonização do Piauí

22.04.2017 - Poesia de Hoje

Versos Atuais.

22.04.2017 - O BRASIL QUE VIRÁ

O BRASIL QUE VIRÁ

21.04.2017 - C@ARTA AO POETA CHICO MIGUEL

Diria que o amigo é um poeta do coração e da razão, no perfeito equilíbrio dessas duas vertentes.

21.04.2017 - SOMOS MEMBROS UNS DOS OUTROS

Isto é citado por Laín Entralgo

20.04.2017 - MEUS MORTOS HÃO DE VIR NO FIM DA TARDE

Só dá para ler este belo texto quem o situa na Manaus da década de 50

20.04.2017 - E O CONGRESSO?

Oh, Amigos, não esqueçamos o futuro Congresso.

19.04.2017 - SER BUDISTA

Quando o queriam reprovar, diziam que ele era budista.

18.04.2017 - POR QUE KAFKA ESCREVIA EM ALEMÃO?

POR QUE KAFKA ESCREVIA EM ALEMÃO?

18.04.2017 - CONFLUÊNCIA

CONFLUÊNCIA

18.04.2017 - Sobre a liberdade

Sobre a liberdade

17.04.2017 - A palavra editor

É uma das palavras mais ambíguas do nosso mercado literário

16.04.2017 - Auto de Natal em Copacabana

Auto de Natal em Copacabana

15.04.2017 - A MÁSCARA DE CRISTO

Impossível saber se era moreno como um palestino

15.04.2017 - Poesia atual

Plataforma Póetica Popular

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br