Dilson Lages Monteiro Sábado, 27 de maio de 2017
ESTUDOS & LITERATURAS - ANTÔNIO CARLOS ROCHA
Antônio Carlos Rocha
Tamanho da letra A +A

Fraternidade Espiritualista Universalista

Campo Limpo

 

Antonio Rocha

 

Quem vai pela Estrada Brasília Anápoles, logo chega no Município de Santo Antonio do Rio Descoberto, mas em 1966, quando eu andava por lá, ainda não tinha esse município.

 

Chegávamos em uma localidade chamada Cidade Eclética, que vem a ser a Fraternidade Espiritualista, criada no Rio de Janeiro, nos anos 1950.

 

O fundador era chamado de Mestre Yokanaam e com a mudança da capital da República para Goiás, ele conseguiu com o presidente Juscelino, umas terras lá por aquelas paragens. E fez ali o seu recanto.

 

Vestia-se de branco como um antigo profeta, tinha cabelos e barbas longas e apoiava-se em um cajado. Morava em uma cabana, perto de uma torre de transmissão de rádio telegrafia. Ele era radio-telegrafista. Os demais membros da fraternidade moravam em casas comuns de alvenaria, mas bem distante de onde os visitantes passavam.

 

Os espiritualistas da época chamávamos de Campo Limpo, talvez por ser a proposta do lugar e limparmos os nossos campos astrais, isto é, a aura magnética em torno de nossos corpos físicos.

 

A rua principal tinha um pequeno hospital, uma delegacia, o templo, um armazém onde comíamos os quitutes. Mais adiante tinha uma cerca isolando a região dos moradores, onde visitantes não entravam.

 

Fui lá algumas vezes, numa dessas, assisti um diálogo interessante no templo. Um médium já idoso dava consultas, tinha outros médiuns e outras pessoas fazendo consultas. Mas vou me fixar nesse caso curioso:

 

O homem que ia iniciar a consulta estendeu as mãos para que o médium lesse as linhas e logo exclamou:

 

- Mas essas mãos estão sujas de sangue !

 

Visivelmente contrariado o visitante respondeu:

 

- E que eu sou policial aposentado e era essa a minha profissão.

 

- Mas não precisava matar, era só prender – respondeu o médium.

 

Então fiquei sabendo da história: o policial aposentado estava sendo atormentado pelos Espíritos de dois meliantes que ele matara, muitos anos atrás. E agora, na velhice, os espíritos o encontraram e estavam obsidiando o idoso, juntamente com uma gang de espíritos malévolos.

 

Acredite se quiser. Digamos, os Espíritos estavam se vingando e tornando a vida do velho aposentado em um inferno.

 

- Mas eu só cumpri a minha missão, eu pensava que matando eu estava agindo em nome da Lei.

 

- Mil vezes não, você deveria ter tentado uma outra solução – declarou o médium.

 

- Eu não tenho medo de morrer, sou espírita a vida toda, mas tenho essas duas manchas em meu currículo.

 

- Pois é, e agora temos que fazer um longo trabalho de doutrinação desses dois espíritos que chegam acompanhados de uma triste falange. Haja desobsessão.

 

- Na verdade, eu fico preocupado quando eu morrer, eles carregarem meu espírito e me aprisionarem na cidadela deles, os do mal, nas trevas.

 

- Você terá de vir aqui, durante muitos meses, uma sessão por semana.

 

A característica desses espíritas é que eles não cobram nada, Cada um paga uma taxa mensal, se puder, para a manutenção da cidadezinha.

 

Tinham um jornal mensal, que circulou durante décadas. Eu cheguei a escrever alguns artigos budistas. Falando da proximidade entre budistas e espíritas. O veículo chamava-se “O Nosso”.

 

Depois fui embora com a minha carona e assim não acompanhei o final do diálogo, mas fiquei pensativo.

 

Outro dia li na web que, muitos policiais na velhice tem inúmeros problemas em função dos espíritos negativos que eles prenderam ou mataram. Esses espíritos voltam para se vingar, das mais diversas formas. Pode-se pensar que são problemas psicólogos, existem sim, mas estou falando de uma dimensão que mais adiante será abordada.

 

Mais adiante a Ciência aceitará as enfermidades de natureza “oculta”. Que o Espiritismo já vem falando há muito tempo.

 

Ninguém é obrigado a aceitar, nem acreditar... o tempo é a melhor escola.

 

http://santoantoniododescoberto.go.gov.br/index.php/fraternidade-comemora-59-anos-da-cidade-ecletica/

 

 

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

23.05.2017 - Fraternidade Espiritualista Universalista

16.05.2017 - Versos Religiosos Madrilenhos

22.04.2017 - Poesia de Hoje

15.04.2017 - Poesia atual

10.12.2016 - A Pança dos Formosos

03.12.2016 - Lendo e Comentando as palavras de Buddha.

28.11.2016 - Comunismo Espiritual Antiquíssimo !

18.11.2016 - Homenagem ao Pavilhão Pátrio

05.11.2016 - Literatura do Grande Veículo

29.10.2016 - O Alimento do Mundo

22.10.2016 - Texto dedicado à Amithaba, o Buda das Águas

16.10.2016 - Bodhisatva Leve e Suave

03.10.2016 - Bodhisatva Receptáculo Digno de Virtudes

26.09.2016 - Os Veneráveis Nomes do Sutra Lótus

17.09.2016 - Discipulogia Dármica

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

26.05.2017 - ROGEL SAMUEL: TEORIA DA CRISE

ROGEL SAMUEL: TEORIA DA CRISE

26.05.2017 - POEMA 'ÁGUA FRIA'

poesia

26.05.2017 - O RIO NEGRO

O RIO NEGRO

25.05.2017 - Teresina

O acadêmico Reginaldo Miranda escreve sobre a cidade de Teresina, capital do Piauí, por ocasião da outorga da Comenda Conselheiro Saraiva.

25.05.2017 - A enigmática Etrúria

Desprezada por muitos leitores, a Arqueologia é uma Ciência que vale a pena ser estudada pelos leigos, pois se revela muito interessante.

25.05.2017 - EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

24.05.2017 - O dia em que saí no Ibrahim Sued

Era a sexta-feira do dia 17 de maio de 1985

23.05.2017 - UM AMIGO DE INFÂNCIA

No dia seguinte ao da mudança para a nossa pequena casa dos Campos, em Parnaíba, em 1896, toda ela cheirando ainda a cal

23.05.2017 - Fraternidade Espiritualista Universalista

Em pleno cerrado de Goiás...

22.05.2017 - Um livro infantil de Irá Rodrigues

A literatura infantil é parte importante de nossa cultura, pois devemos estimular nossas crianças ao saudável hábito da leitura.

22.05.2017 - As formas simples

Surfando pelos saites de revistas literárias encontrei um artigo da Los Angeles Review of Books

22.05.2017 - Viagem com livros

Quando viajo, seja de avião, seja de comboio, levo sempre um livro comigo.

22.05.2017 - HISTÓRIAS DE ÉVORA já nas Livrarias de Teresina

O romance Histórias de Évora, de Elmar Carvalho, já se encontra à venda nas livrarias Entrelivros, Anchieta e Mons. Melo (UFPI), pelo módico preço de R$ 20,00.

22.05.2017 - O PRIMEIRO TURNO DA PRIMAVERA

Difícil é dizer da guerra no Iraque, do dólar, da miséria, da fome.

21.05.2017 - Odilon Nunes e a construção de nossa história.

O acadêmico Reginaldo Miranda analisa a obra historiográfica de Odilon Nunes, um dos mais acreditados historiadores brasileiros.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br