Dilson Lages Monteiro Segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017
ECLÉTICA - ELMAR CARVALHO
Eclética
Tamanho da letra A +A

Um cinema só pra mim

Um cinema só pra mim

Elmar Carvalho

Gosto de todas as manifestações culturais e artísticas. Mas, sobretudo, como criador cultivo a literária, em diferentes gêneros, como meus poucos leitores sabem. Agora, tento concluir meu romance Histórias de Évora, cujos capítulos, que vou escrevendo semanalmente, publico em meu blog e em outros sítios internéticos. Acredito que será filho único. Como consumidor, aprecio, de forma preferencial, literatura, música e cinema.

Ontem resolvi assistir, no Teresina Shopping, ao filme Ninguém deseja a noite, classificado como drama. Temendo trânsito intenso e estacionamento lotado saí cedo. Quando me dirigi ao caixa, vi na tela do computador que todas as cadeiras (todas marcadas em verde), estavam disponíveis. Escolhi a cadeira 13, meu autoproclamado número da sorte, da última fila, ou seja, a poltrona assinalada como M13.

Dei uma volta pelo shopping, para fazer um lanche e comprar algumas coisas. Um pouco antes da hora marcada entrei na sala de exibição. Não havia ninguém. Esperei chegasse alguém de pontualidade britânica ou de relógio suíço, mas fiquei frustrado. Tive como certo que algum retardatário ainda chegaria, quando as luzes se apagassem e o filme já estivesse bem iniciado. Mas isso também não ocorreu.

De sorte que fiquei com uma sala comercial de exibição cinematográfica exclusivamente para mim. Tive o privilégio – se é que isso pode ser nomeado como privilégio – que poucos homens do Poder Político ou do poder do dinheiro tiveram. Sozinho, vendo projetada na tela a imensa solidão nevada do Polo Norte, aquele imenso e frígido deserto de gelo, curti a minha própria solidão, que não era triste e nem ao menos melancólica. E não pude deixar de lembrar estes versos, de minha própria autoria: “Judeu errante / e sem remissão / – por sobre desertos de areia e de gelo – / fugindo sempre / de si mesmo.”

Com esta marcante diferença: eu não fugia de ninguém, muito menos de mim mesmo. E a solidão da imensa sala de poltronas vazias não me foi desconfortável. Antes pelo contrário. 

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

22.02.2017 - LEÃO ENJAULADO

13.02.2017 - Paru

09.02.2017 - Morcego

01.02.2017 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Anexo

26.01.2017 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXVIII

19.01.2017 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXVII

17.01.2017 - Uma fotografia antiga

12.01.2017 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXVI

29.12.2016 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXV

25.12.2016 - Um cinema só pra mim

22.12.2016 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXIV

15.12.2016 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXIII

08.12.2016 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXII

01.12.2016 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXI

17.11.2016 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXX

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

26.02.2017 - Carta à Tribuna da Imprensa, 22/7/1998

O que o passado pode ensinar...

26.02.2017 - SOBRE O ECLIPSE SOLAR

SOBRE O ECLIPSE SOLAR

25.02.2017 - SEM DOURAR A PÍLULA

Se dirijo a min ha atenção

25.02.2017 - OH, ABRE ALAS, PARA O CARNAVAL ...

OH, ABRE ALAS, PARA O CARNAVAL ...

23.02.2017 - Pensando o Piauí

O autor apresenta o livro Rodoanel, do intelectual piauiense Magno Pires.

23.02.2017 - OS MISTÉRIOS DE UNS VERSOS

OS MISTÉRIOS DE UNS VERSOS

22.02.2017 - A DANÇA DE BEETHOVEN

A DANÇA DE BEETHOVEN

22.02.2017 - LEÃO ENJAULADO

Após as oitenta primaveras, ficou bastante decrépito, e a saúde já não lhe permitia as libações etílicas, como costumava dizer o popular Pacamão

21.02.2017 - O PRÍNCIPE - PARTE FINAL

O final da história de um dos mais importantes matemáticos da ciência.

20.02.2017 - A PRIMEIRA ESTROFE DE 'LE BATEAU IVRE'

A PRIMEIRA ESTROFE DE 'LE BATEAU IVRE'

19.02.2017 - CASA ABANDONADA

CASA ABANDONADA

18.02.2017 - As vozes narrativas

As vozes narrativas

18.02.2017 - As memórias de Cunha e Silva Filho

Um amigo que tem muitas coisas a contar relata fatos de sua vida.

17.02.2017 - O PIANO, A TARDE

Minha tia Maria José

16.02.2017 - A Filha da Floresta, de Thales Andrade

Assim iniciou a literatura infantil brasileira.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br