Dilson Lages Monteiro Domingo, 23 de abril de 2017
ECLÉTICA - ELMAR CARVALHO
Eclética
Tamanho da letra A +A

Um cinema só pra mim

Um cinema só pra mim

Elmar Carvalho

Gosto de todas as manifestações culturais e artísticas. Mas, sobretudo, como criador cultivo a literária, em diferentes gêneros, como meus poucos leitores sabem. Agora, tento concluir meu romance Histórias de Évora, cujos capítulos, que vou escrevendo semanalmente, publico em meu blog e em outros sítios internéticos. Acredito que será filho único. Como consumidor, aprecio, de forma preferencial, literatura, música e cinema.

Ontem resolvi assistir, no Teresina Shopping, ao filme Ninguém deseja a noite, classificado como drama. Temendo trânsito intenso e estacionamento lotado saí cedo. Quando me dirigi ao caixa, vi na tela do computador que todas as cadeiras (todas marcadas em verde), estavam disponíveis. Escolhi a cadeira 13, meu autoproclamado número da sorte, da última fila, ou seja, a poltrona assinalada como M13.

Dei uma volta pelo shopping, para fazer um lanche e comprar algumas coisas. Um pouco antes da hora marcada entrei na sala de exibição. Não havia ninguém. Esperei chegasse alguém de pontualidade britânica ou de relógio suíço, mas fiquei frustrado. Tive como certo que algum retardatário ainda chegaria, quando as luzes se apagassem e o filme já estivesse bem iniciado. Mas isso também não ocorreu.

De sorte que fiquei com uma sala comercial de exibição cinematográfica exclusivamente para mim. Tive o privilégio – se é que isso pode ser nomeado como privilégio – que poucos homens do Poder Político ou do poder do dinheiro tiveram. Sozinho, vendo projetada na tela a imensa solidão nevada do Polo Norte, aquele imenso e frígido deserto de gelo, curti a minha própria solidão, que não era triste e nem ao menos melancólica. E não pude deixar de lembrar estes versos, de minha própria autoria: “Judeu errante / e sem remissão / – por sobre desertos de areia e de gelo – / fugindo sempre / de si mesmo.”

Com esta marcante diferença: eu não fugia de ninguém, muito menos de mim mesmo. E a solidão da imensa sala de poltronas vazias não me foi desconfortável. Antes pelo contrário. 

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

21.04.2017 - C@ARTA AO POETA CHICO MIGUEL

10.04.2017 - Noturno de Oeiras no hotel do SESC

07.04.2017 - VICENTINHO E O ZICO

23.03.2017 - Antenor Rêgo e seu dicionário de “Piauiês”

16.03.2017 - No Cemitério da Ressurreição

09.03.2017 - Nova expedição à Barra do Longá

04.03.2017 - O SHOPINNG, OS ÍNDIOS, A MÚSICA E OS LOBOS

22.02.2017 - LEÃO ENJAULADO

13.02.2017 - Paru

09.02.2017 - Morcego

01.02.2017 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Anexo

26.01.2017 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXVIII

19.01.2017 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXVII

17.01.2017 - Uma fotografia antiga

12.01.2017 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXVI

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

23.04.2017 - A retrospectiva das horas

A retrospectiva das horas

23.04.2017 - O começo do mundo e as sete cidades de pedra

O começo do mundo e as sete cidades de pedra

23.04.2017 - O adeus a Gomes Campos

o autor divulga texto escrito e publicado na imprensa, quando do falecimento do dramaturgo Gomes Campos, um importante intelectual piauiense.

23.04.2017 - Também existe fascismo na esquerda

Quem tem telhado de vidro não joga pedra no do vizinho.

23.04.2017 - A SABEDORIA DO ANDAR

A SABEDORIA DO ANDAR

22.04.2017 - O povoamento do Piauí

O autor faz análise crítica sobre obra historiográfica e sobre a colonização do Piauí

22.04.2017 - Poesia de Hoje

Versos Atuais.

22.04.2017 - O BRASIL QUE VIRÁ

O BRASIL QUE VIRÁ

21.04.2017 - C@ARTA AO POETA CHICO MIGUEL

Diria que o amigo é um poeta do coração e da razão, no perfeito equilíbrio dessas duas vertentes.

21.04.2017 - SOMOS MEMBROS UNS DOS OUTROS

Isto é citado por Laín Entralgo

20.04.2017 - MEUS MORTOS HÃO DE VIR NO FIM DA TARDE

Só dá para ler este belo texto quem o situa na Manaus da década de 50

20.04.2017 - E O CONGRESSO?

Oh, Amigos, não esqueçamos o futuro Congresso.

19.04.2017 - SER BUDISTA

Quando o queriam reprovar, diziam que ele era budista.

18.04.2017 - POR QUE KAFKA ESCREVIA EM ALEMÃO?

POR QUE KAFKA ESCREVIA EM ALEMÃO?

18.04.2017 - CONFLUÊNCIA

CONFLUÊNCIA

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br