Dilson Lages Monteiro Segunda-feira, 29 de maio de 2017
ECLÉTICA - ELMAR CARVALHO
Eclética
Tamanho da letra A +A

Nova expedição à Barra do Longá

Elmar Carvalho

No sábado de carnaval, resolvi fazer nova excursão fluvial ao povoado Barra do Longá, a bordo do agora super Tremembé. O rio estava cheio, como há muito tempo não o via tão volumoso, embora muito largo por causa do ininterrupto processo de assoreamento e desbarrancamento. As matas ciliares, onde as havia, se mostravam em todo esplendor, ornadas por sinuosos cipós e luxuriante e esmeraldina folhagem.

As coroas de areia, triste sintoma da decadência do rio, haviam desaparecido, com exceção de uma ou outra. Até as grandes pedras, a jusante da ponte do Jandira, estavam submersas, de modo que não as vimos. As rochas a montante, que formavam uma corredeira, entre as quais passamos em viagem anterior, também foram afogadas pelas caudalosas águas de agora.

Como não as enxergávamos, temi algum acidente. Mas o comandante Natim Freitas, coadjuvado pelo imediato Carlos Eduardo Coutinho, foi perito e nada nos aconteceu, de modo que eu, escrivão-mor do Tremembé, aqui estou para fazer este relato ou crônica expedicionária.    

Mais uma vez, numa das curvas do velho Rio Grande dos Tapuias, revi umas casas encarapitadas no alto de um morro. Parecem pertencer a um mesmo grupo familiar. As enquadrei na mira de minha máquina fotográfica à prova d’ água (pois há muitas ondas, por causa do forte vento e da influência da maré, o que causa, às vezes, pequenas pororocas, que nos molham), porquanto, além de escrivão, sou também o repórter fotográfico da viagem.

Sem maiores incidentes, e muito menos acidente, chegamos ao nosso destino, a barra do rio Longá, que passa por vários municípios piauienses, entre os quais Alto Longá, onde nasce, Campo Maior, Barras, Esperantina e Buriti dos Lopes, onde forma uma lagoa e desemboca no Velho Monge. O povoado cresceu muito nos últimos anos. É ligado, desde muitos anos, à sede do município por uma estrada de paralelepípedos. De longe, avistamos as casas e a igrejinha, que compõem um cenário ainda bucólico.

Como o Tremembé é muito arisco, o atracamos com muito cuidado no pequeno cais, e fomos até um pequeno bar onde tomamos duas cervejas comemorativas. Havia alguns pacatos foliões no recinto. Conversamos um pouco, tendo eles nos perguntado de onde vínhamos. Respondemos que da Várzea do Simão. Alguns conheciam essa localidade e os seus antigos proprietários.

O bar e mercearia Comercial Ferreira é uma espécie de sede e quartel general do Liberal Futebol Club. Fomos informados de que ele é o terror da região, e que os times da cidade de Buriti dos Lopes o temem. Vários de seus jogadores já integraram a seleção buritiense. No local estavam expostos vários troféus e taças. Entre os presentes se encontrava o goleiro Figueiredo, que foi, em seu tempo, o melhor golquíper da região. Identifiquei-me como seu colega menor, mas que também tinha seus méritos. O comércio pertence ao senhor Raimundo Ferreira, cartola e mecenas do Liberal.

Da esquerda para a direita (sentido horário): o Didi (D'di), capitão-mor Natim Freitas, imediato Carlos Eduardo, grumete Elmar, Fátima e a Didi

Encerrando nosso périplo turístico, esportivo e cultural, tomamos revigorante e refrescante banho numa das coroas, que ainda não se encontravam totalmente cobertas pelas águas. Fizemos o arremate na Toca do Velho Monge e no Cantinho do Poeta, onde degustamos delicioso peixe. O Tremembé mais uma vez foi bravo, e não deslustrou seus ancestrais homônimos. 

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

22.05.2017 - HISTÓRIAS DE ÉVORA já nas Livrarias de Teresina

18.05.2017 - Juiz Elmar Carvalho lança “Histórias de Évora” neste sábado (20)

16.05.2017 - DISCURSO DE RECEPÇÃO A QUATRO ACADÊMICOS NA APAL

10.05.2017 - APAL EMPOSSARÁ NOVOS MEMBROS NO PRÓXIMO DIA 12 DE MAIO

26.04.2017 - A saga da Capelinha de Palha

21.04.2017 - C@ARTA AO POETA CHICO MIGUEL

10.04.2017 - Noturno de Oeiras no hotel do SESC

07.04.2017 - VICENTINHO E O ZICO

23.03.2017 - Antenor Rêgo e seu dicionário de “Piauiês”

16.03.2017 - No Cemitério da Ressurreição

09.03.2017 - Nova expedição à Barra do Longá

04.03.2017 - O SHOPINNG, OS ÍNDIOS, A MÚSICA E OS LOBOS

22.02.2017 - LEÃO ENJAULADO

13.02.2017 - Paru

09.02.2017 - Morcego

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

28.05.2017 - Incursão à Fazenda Bom Gosto (Século XVIII)

Incursão à Fazenda Bom Gosto (Século XVIII)

28.05.2017 - Versos de Moradora no Harém

Poetisa Amante

28.05.2017 - Palmas para o Tocantins

O autor discorre sobre participação piauiense na Feira Literária Internacional do Tocantins (FLIT), realizada em julho de 2011.

27.05.2017 - A questão da pós-verdade e suas consquências danosas à ética individual e coletiva do mundo globalizado.

O tema escolhido

27.05.2017 - Feitosa, dos Inhamuns

O acadêmico Reginaldo Miranda analisa a obra genealógica do escritor Aécio Feitosa, que escreve sobre a importante família Feitosa, dos Inhamuns.

26.05.2017 - ROGEL SAMUEL: TEORIA DA CRISE

ROGEL SAMUEL: TEORIA DA CRISE

26.05.2017 - POEMA 'ÁGUA FRIA'

poesia

26.05.2017 - O RIO NEGRO

O RIO NEGRO

25.05.2017 - Teresina

O acadêmico Reginaldo Miranda escreve sobre a cidade de Teresina, capital do Piauí, por ocasião da outorga da Comenda Conselheiro Saraiva.

25.05.2017 - A enigmática Etrúria

Desprezada por muitos leitores, a Arqueologia é uma Ciência que vale a pena ser estudada pelos leigos, pois se revela muito interessante.

25.05.2017 - EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

24.05.2017 - O dia em que saí no Ibrahim Sued

Era a sexta-feira do dia 17 de maio de 1985

23.05.2017 - UM AMIGO DE INFÂNCIA

No dia seguinte ao da mudança para a nossa pequena casa dos Campos, em Parnaíba, em 1896, toda ela cheirando ainda a cal

23.05.2017 - Fraternidade Espiritualista Universalista

Em pleno cerrado de Goiás...

22.05.2017 - Um livro infantil de Irá Rodrigues

A literatura infantil é parte importante de nossa cultura, pois devemos estimular nossas crianças ao saudável hábito da leitura.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br