Dilson Lages Monteiro Quinta-feira, 30 de março de 2017
ECLÉTICA - ELMAR CARVALHO
Eclética
Tamanho da letra A +A

Antenor Rêgo e seu dicionário de “Piauiês”

Elmar Carvalho

 

 

Logo no início de seu prefácio, o escritor Ribamar Garcia consigna: “Há uma lei estadual, de iniciativa da ex-deputada Margarete Coelho, que instituiu o ‘Piauiês’ como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado do Piauí. E o define como sendo a pronúncia característica do falar do piauiense, ‘bem como as palavras e expressões típicas do estado’”. A obra em comento é uma maneira de preservar e difundir esse patrimônio. A autora da lei foi minha colega no curso de Direito (UFPI) e é a atual vice-governadora de nosso estado.

Antenor Rêgo Filho é autor de vários e importantes livros. Foi um dos fundadores da Academia de Letras do Vale do Longá – ALVAL, da qual foi presidente em mais de um mandato. Numa de suas gestões a entidade obteve a sua sede própria, em cuja inauguração festiva estive presente. Já tive o ensejo de me pronunciar sobre “Barras – histórias e saudades”, notável obra de sua autoria sobre a história barrense, suas “coisas”, seus prédios, logradouros e seus costumes.

Em seu Dicionário do Piauí – a língua piauiense, de 160 páginas, estão catalogados em forma de verbetes, conforme consta na capa, o linguajar, as expressões, as sabenças, os falares, os costumes e as curiosidades de nosso povo. Segundo ele próprio me informou, passou vários anos à cata desses vocábulos, expressões e ditados regionalistas, notadamente de nosso estado. Quando em conversa com amigos e diferentes pessoas, anotava as palavras e expressões que lhe interessavam. De outras ia à procura, em livros e em indagações pessoais.

Muitas são bem conhecidas, mas algumas são quase inauditas, mesmo para um leitor atento e curioso como eu. Nos verbetes, quando é o caso, ele indica os seus sinônimos ou o seu significado, muitas vezes exemplificando com frases entre aspas, que facilitam a exata compreensão. Em outros casos, explica a origem da expressão que se tornou popular. Termina contando fatos interessantes e pitorescos de forma sucinta, como convém a um dicionário.

Não raras vezes somos surpreendidos pela explicação ou interpretação de certos ditados, que, vez ou outra, diferem de nossa própria interpretação ou conhecimento. Mesmo quando isso acontece, aceitamos a explanação, porque ela segue uma lógica, e, sem dúvida, não se afasta do que é razoável, crível ou pelo menos verossímil. Não significa dizer que a nossa interpretação também não fosse razoável ou pautada por um raciocínio aguçado. É que o dicionarista perquiriu a etimologia do regionalismo ou o que deu origem à expressão ou ditado, de que muitas vezes não temos conhecimento.

Algumas expressões, embora tenham sido muito usadas no passado, hoje estão quase em desuso, e por isso são pouco conhecidas. Soam como um estranho ou exótico anacronismo que nos remete ao passado. E por isso aviventam as lembranças e as saudades, trazendo-nos emoções dos tempos de outrora, que pensávamos esquecidas. Umas têm um fundo moralista, no bom sentido da palavra, ou podem nos servir de advertência; outras, têm algo de humor ou de evidente jocosidade.

É um livro de grande importância, não só para os filólogos e os doutos, mas para todos que amam o Piauí, a sua cultura, o seu linguajar e costumes, e lhe seguem os usos e fusos, pois, como sabemos, “cada terra com seu uso, cada roca com seu fuso”.

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

23.03.2017 - Antenor Rêgo e seu dicionário de “Piauiês”

16.03.2017 - No Cemitério da Ressurreição

09.03.2017 - Nova expedição à Barra do Longá

04.03.2017 - O SHOPINNG, OS ÍNDIOS, A MÚSICA E OS LOBOS

22.02.2017 - LEÃO ENJAULADO

13.02.2017 - Paru

09.02.2017 - Morcego

01.02.2017 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Anexo

26.01.2017 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXVIII

19.01.2017 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXVII

17.01.2017 - Uma fotografia antiga

12.01.2017 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXVI

29.12.2016 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXV

25.12.2016 - Um cinema só pra mim

22.12.2016 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XXXIV

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

30.03.2017 - Depois de procelosa tempestade

Depois de procelosa tempestade

29.03.2017 - CELSO FURTADO

CELSO FURTADO

28.03.2017 - A peleja entre Deus e o diabo nos sertões do Piauhy

Uma incursão à antiga Vila do Mocha

28.03.2017 - Anti-homenagem

Hoje eu anti-homenageio o Governador do Rio de Janeiro, Sr. Pezão

28.03.2017 - VOLTO AO ASSUNTO: A CRIMINALIDADE BRASILEIRA

É um truísmo

27.03.2017 - Agrônomo Francisco Parentes

O acadêmico Reginaldo Miranda reconstitui a trajetória do pioneiro da agronomia no Piauí e fundador do Estabelecimento Rural São Pedro de Alcântara.

27.03.2017 - Guardem as cinzas - Esta é a novela de Andrea Ferraz

Uma novela na linhagem das tragédias gregas e universais

23.03.2017 - Antenor Rêgo e seu dicionário de “Piauiês”

Em seu Dicionário do Piauí – a língua piauiense, de 160 páginas, estão catalogados em forma de verbetes, conforme consta na capa, o linguajar, as expressões, as sabenças, os falares, os costumes e as curiosidades de nosso povo.

22.03.2017 - AVIDEZ PELO DINHEIRO, FALTA DE ÉTICA E SOLUÇÕES VIÁVEIS PARA O BRASIL

Tudo que se fez para desmoralizar a imagem do Brasil tem uma origem comum

20.03.2017 - A PEDRO COSTA

Dizem que ninguém é insubstituível. Tal premissa terá uma chance de se provar verdadeira, a partir de agora, com a partida prematura e inesperada de Pedro Costa, em relação aos seus empreendimentos, sonhos, anseios e desejos

19.03.2017 - Poema de Heinrich Heine

poesia

18.03.2017 - Anísio Brito

O acadêmico Reginaldo Miranda traça o perfil biográfico de um professor e historiador piauiense.

18.03.2017 - José Antonio Reguffe

A mídia pouco fala desse homem de comportamento exemplar entre os políticos!

17.03.2017 - BANDEIRAS DE FERRO

Somos todos devedores dos ares que vêm de lá

16.03.2017 - A ELIZETH

Recebo um presente rico.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br