Dilson Lages Monteiro Sexta-feira, 01 de julho de 2016
CRÔNICA DE SEMPRE - ROGEL SAMUEL
Rogel Samuel (atualização diária)
Tamanho da letra A +A

Dia da consciência negra: Cruz e Sousa

No dia da consciência negra me debruço a ler o nosso poeta maior, nos sons desses violões. A sonoridade é perfeita, e se ouvem os violões em "velhos vórtices velozes dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas".

Quando os sons dos violões vão soluçando,

Quando os sons dos violões nas cordas gemem,

 

Seus versos expõem os  "oens", lamentos mornos, soluços murmurantes:

 

Ah! plangentes violões dormentes, mornos,

Soluços ao luar, choros ao vento…

Tristes perfis, os mais vagos contornos,

Bocas murmurejantes de lamento.

 

O poeta negro é sofisticadíssimo. Compete com os melhores seus iguais poetas simbolistas franceses. Sabia francês, latim, grego, matemática. Combateu a escravidão – era filho de escravos. Sofreu preconceito racial quando quis ser promotor. Trabalhou na Central do Brasil.

Seus quatro filhos morreram de tuberculose, e ele também.  Ele é o poeta da angústia metafísica, das nuances.   E nada mais Brasil do que esses violões.

 

Noites de além, remotas, que eu recordo,

Noites da solidão, noites remotas

Que nos azuis da Fantasia bordo,

Vou constelando de visões ignotas.

Sutis palpitações a luz da lua,

Anseio dos momentos mais saudosos,

Quando lá choram na deserta rua

As cordas vivas dos violões chorosos.

Quando os sons dos violões vão soluçando,

Quando os sons dos violões nas cordas gemem,

E vão dilacerando e deliciando,

Rasgando as almas que nas sombras tremem.

Harmonias que pungem, que laceram,

Dedos Nervosos e ágeis que percorrem

Cordas e um mundo de dolências geram,

Gemidos, prantos, que no espaço morrem

 

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

29.06.2016 - A lógica do quintal

17.06.2016 - NOITE

16.06.2016 - CARTAGO FUI EU - JORGE TUFIC

15.06.2016 - Discurso de Posse de Guimarães Rosa na Academia Brasileira

14.06.2016 - A leitura

11.06.2016 - A luz das coisas ocultas

11.06.2016 - A luz das coisas ocultas

08.06.2016 - ESPLENDOR E DECADÊNCIA DO IMPÉRIO AMAZÔNICO

05.06.2016 - NOVO MANUAL DE TEORIA LITERÁRIA

05.06.2016 - NOVO MANUAL DE TEORIA LITERÁRIA

05.06.2016 - NOVO MANUAL DE TEORIA LITERÁRIA

05.06.2016 - NOVO MANUAL DE TEORIA LITERÁRIA

05.06.2016 - NOVO MANUAL DE TEORIA LITERÁRIA

05.06.2016 - NOVO MANUAL DE TEORIA LITERÁRIA

05.06.2016 - NOVO MANUAL DE TEORIA LITERÁRIA

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

30.06.2016 - ALGUNS AUTORES SÓ QUEREM ELOGIOS, NÃO A CRÍTICA

O locus da crítica

30.06.2016 - Infinitivo e pronome se inútil

Eis um assunto difícil, talvez impossível de abordar numa só lição.

30.06.2016 - Um "Divertimento" de Cortázar

Escrito, ou pelo menos finalizado, no carnaval de 1949

30.06.2016 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XII

... após promessa dos rapazes de que guardariam sigilo de sua conversa, resolveu contar os motivos que o levaram à separação.

29.06.2016 - A lógica do quintal

Tem o verão sua lógica própria.

29.06.2016 - O TRÁGICO NÃO VEM A CONTA-GOTAS

047

28.06.2016 - REDUNDÂNCIA NECESSÁRIA

Estou ciente de que estou

26.06.2016 - HÁ SETE ANOS: A morte de um ícone

Senti a morte do cantor. Porque muito me recordo dos tempos daquele menino Michael Jackson cantando tristemente.

25.06.2016 - Ciganologia e Linguística

Memórias de um Acampamento Cigano

23.06.2016 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo XI

Diferentemente de Marcel, o famoso narrador proustiano, a minha madeleine não foi o bolinho embebido no chá; foram os sons e as músicas que mais me marcaram em minha meninice e juventude.

22.06.2016 - O QUE É A AMIZADE?

Eis algo que está

22.06.2016 - China orders demolition

China orders demolition of half of world’s largest Tibetan Buddhist institute BY LILLY GREENBLATT| JUNE 16, 2016

21.06.2016 - ESPLENDOR E DECADÊNCIA

ESPLENDOR E DECADÊNCIA

21.06.2016 - A RAINHA DO EGITO

A RAINHA DO EGITO

20.06.2016 - "Bernardo de Carvalho, o fundador de Bitorocara" à venda na livraria da UFPI

O livro contém, no anexo, vários textos sobre o patrimônio natural, arquitetônico e histórico de Campo Maior.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br