Dilson Lages Monteiro Segunda-feira, 02 de maio de 2016
CRÔNICA DE SEMPRE - ROGEL SAMUEL
Rogel Samuel (atualização diária)
Tamanho da letra A +A

Dia da consciência negra: Cruz e Sousa

No dia da consciência negra me debruço a ler o nosso poeta maior, nos sons desses violões. A sonoridade é perfeita, e se ouvem os violões em "velhos vórtices velozes dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas".

Quando os sons dos violões vão soluçando,

Quando os sons dos violões nas cordas gemem,

 

Seus versos expõem os  "oens", lamentos mornos, soluços murmurantes:

 

Ah! plangentes violões dormentes, mornos,

Soluços ao luar, choros ao vento…

Tristes perfis, os mais vagos contornos,

Bocas murmurejantes de lamento.

 

O poeta negro é sofisticadíssimo. Compete com os melhores seus iguais poetas simbolistas franceses. Sabia francês, latim, grego, matemática. Combateu a escravidão – era filho de escravos. Sofreu preconceito racial quando quis ser promotor. Trabalhou na Central do Brasil.

Seus quatro filhos morreram de tuberculose, e ele também.  Ele é o poeta da angústia metafísica, das nuances.   E nada mais Brasil do que esses violões.

 

Noites de além, remotas, que eu recordo,

Noites da solidão, noites remotas

Que nos azuis da Fantasia bordo,

Vou constelando de visões ignotas.

Sutis palpitações a luz da lua,

Anseio dos momentos mais saudosos,

Quando lá choram na deserta rua

As cordas vivas dos violões chorosos.

Quando os sons dos violões vão soluçando,

Quando os sons dos violões nas cordas gemem,

E vão dilacerando e deliciando,

Rasgando as almas que nas sombras tremem.

Harmonias que pungem, que laceram,

Dedos Nervosos e ágeis que percorrem

Cordas e um mundo de dolências geram,

Gemidos, prantos, que no espaço morrem

 

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

05.04.2016 - CENTENÁRIO DE ULYSSES BITTENCOURT

04.04.2016 - Octávio Ianni

28.03.2016 - CELSO FURTADO

17.03.2016 - A água canta

14.03.2016 - Laranja Mecânica

14.03.2016 - A FOTO DO DIA...

14.03.2016 - Considerações Vãs

13.03.2016 - Casa tomada

12.03.2016 - LUTO

12.03.2016 - QUE IMPORTA O AREAL E A MORTE E A DESVENTURA?

09.03.2016 - A vitória rápida

08.03.2016 - O AMANTE DAS AMAZONAS

02.03.2016 - DOGEN2

01.03.2016 - Dogen

24.02.2016 - MARILENA CHAUÍ - ANÁLISE DA VIOLÊNCIA

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

01.05.2016 - À BAHIA: POEMA DE GREGÓRIO DE MATOS

poesia

01.05.2016 - O lírico e telúrico em Elmar Carvalho

No caso de Elmar Carvalho, temos uma poesia lírica, elaborada com rara sensibilidade, sem esquecer o drama social.

30.04.2016 - Viagem de Graciliano

Um livro póstumo de Graciliano Ramos, contando sua visita à Checoslováquia e à União Soviética em 1952.

30.04.2016 - Concordância: um substantivo e dois adjetivos

-- Está certa a concordância do substantivo com os adjetivos na frase:...âmbito de competência dos recursos especial e extraordinário...? Desde já agradeço. N.R. Brasília/DF

30.04.2016 - Amadeo e não só

Um dos maiores pintores portugueses

30.04.2016 - Tudo o que você falar, escrever, agir, publicar, volta para sua vida, para sua casa, para seu trabalho

STK - Supremo Tribunal Kármico, não aceita recurso, nem barganha, muito menos negociação. É Matemático.

29.04.2016 - AS AVENTURAS PROSOPOPAICAS DE DIANNA VALENTE - 6

Ao monte distante

29.04.2016 - O TEMPLO DO TEMPO

O TEMPLO DO TEMPO

28.04.2016 - SOMOS TODOS ANÔNIMOS

No decorrer do tempo

28.04.2016 - HISTÓRIAS DE ÉVORA - Capítulo III

Desse modo, os jovens se iniciavam no sexo com as raparigas, como eram designadas as prostitutas. Algumas tinham foro de professoras, e várias gerações de “alunos” passaram pelo seu tirocínio pedagógico.

27.04.2016 - Relendo Bráulio Tavares

Resenha do ensaio

26.04.2016 - O RIO DE JANEIRO NÃO VAI BEM

A cidade maravilhosa, se não tivere

24.04.2016 - A verdade sobre a Guerra do Vietnam

A sociedade tem memória curta, por isso tantos equívocos...

24.04.2016 - Dois novos comentários sobre Histórias de Évora

Com o avanço dos estudos teórico-críticos, cada vez mais se compreende o quanto o leitor é relevante na interpretação de uma obra literária.

23.04.2016 - A ida e a volta em "O burrinho pedrês"

Comemorar, às vezes, implica reler.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br