Dilson Lages Monteiro Segunda-feira, 21 de abril de 2014
CRÔNICA DE SEMPRE - ROGEL SAMUEL
Rogel Samuel (atualização diária)
Tamanho da letra A +A

Dia da consciência negra: Cruz e Sousa

No dia da consciência negra me debruço a ler o nosso poeta maior, nos sons desses violões. A sonoridade é perfeita, e se ouvem os violões em "velhos vórtices velozes dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas".

Quando os sons dos violões vão soluçando,

Quando os sons dos violões nas cordas gemem,

 

Seus versos expõem os  "oens", lamentos mornos, soluços murmurantes:

 

Ah! plangentes violões dormentes, mornos,

Soluços ao luar, choros ao vento…

Tristes perfis, os mais vagos contornos,

Bocas murmurejantes de lamento.

 

O poeta negro é sofisticadíssimo. Compete com os melhores seus iguais poetas simbolistas franceses. Sabia francês, latim, grego, matemática. Combateu a escravidão – era filho de escravos. Sofreu preconceito racial quando quis ser promotor. Trabalhou na Central do Brasil.

Seus quatro filhos morreram de tuberculose, e ele também.  Ele é o poeta da angústia metafísica, das nuances.   E nada mais Brasil do que esses violões.

 

Noites de além, remotas, que eu recordo,

Noites da solidão, noites remotas

Que nos azuis da Fantasia bordo,

Vou constelando de visões ignotas.

Sutis palpitações a luz da lua,

Anseio dos momentos mais saudosos,

Quando lá choram na deserta rua

As cordas vivas dos violões chorosos.

Quando os sons dos violões vão soluçando,

Quando os sons dos violões nas cordas gemem,

E vão dilacerando e deliciando,

Rasgando as almas que nas sombras tremem.

Harmonias que pungem, que laceram,

Dedos Nervosos e ágeis que percorrem

Cordas e um mundo de dolências geram,

Gemidos, prantos, que no espaço morrem

 

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

17.04.2014 - GABRIEL GARCIAL MARQUEZ

16.04.2014 - SIGILISUTTAM - Discurso sobre Isigili

11.04.2014 - Inéditos revelam Fernando Pessoa como adolescente indignado

08.04.2014 - VOCÊ RECONHECE UM STRADIVARIUS? VEJA O TESTE:

07.04.2014 - De longe no rio surgem palavras

05.04.2014 - Rogel Samuel: CRÍTICA DA ESCRITA

03.04.2014 - Rogel Samuel: CRÍTICA DA ESCRITA

02.04.2014 - CRÍTICA DA ESCRITA

01.04.2014 - SENTIDO

30.03.2014 - AS FLORESTAS ESTÃO MORRENDO

27.03.2014 - A luz das coisas ocultas

26.03.2014 - Poços de luz

25.03.2014 - O dom mantém-se na superfície

23.03.2014 - Cabeça de elefante: As provas da grande inteligência desse animal

21.03.2014 - Os Relógios

Ver mais
Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Dílson Lages em entrevista para Rosaly Senra


Valdemir Miranda: Enlace de famílias


Listar todos
Livraria online
Últimas matérias

21.04.2014 - O IGARAPÉ DO INFERNO, 4

O IGARAPÉ DO INFERNO, 4

20.04.2014 - A SELVA

Uma parte da crítica estrangeira enfatiza a grande capacidade da obra de evocar o exotismo da natureza amazônica. Em prefácio escrito em 1932 para a tradução alemã , o tradutor Richard Bermann refere-se à selva como o inferno verde

20.04.2014 - A ESTRADA

Porque uma Estrada não tem começo nem fim?

20.04.2014 - O IGARAPÉ DO INFERNO, 3

Eu passei a vida toda de palavras. Eu passei a vida toda de palavras de nada. É a mesma estória!

20.04.2014 - Pátrias divididas

O exemplo da Ucrânia

19.04.2014 - O IGARAPÉ DO INFERNO, 2

Zequinha, não. Não e não! Relações exclusivas: Maria Caxinauá e o bugre Paxiúba, o Mulo. Você ri? Ri?

19.04.2014 - Do futuro das cidades

Estamos já em plena distopia e piorando a cada dia.

18.04.2014 - O IGARAPÉ DO INFERNO, 1

– Vou contar. O quê? Você quer que eu continue? Não, não, meu menino, dos líquidos do corpo, o pus, a gosma, a saliva, o muco, as palavras ingratas

18.04.2014 - Fragamentos de hoje (ontem

A TV informa que Gabriel

17.04.2014 - GABRIEL GARCIAL MARQUEZ

GABRIEL GARCIAL MARQUEZ

17.04.2014 - PERSONALIDADES HOMENAGEADAS COM O "DIPLOMA DO MÉRITO CULTURAL COMBATENTES HERÓIS LAGOA DO JACARÉ"

PERSONALIDADES HOMENAGEADAS COM O "DIPLOMA DO MÉRITO CULTURAL COMBATENTES HERÓIS LAGOA DO JACARÉ"

17.04.2014 - VIAGEM

Passamos do Farol de Acaraú ainda dentro daquele porão e paramos em Amarração para largar um cadáver, o preso e dois passageiros cobertos de varíola.

16.04.2014 - O PALÁCIO

Lembro-me de que, naquele Igarapé do Inferno, mas logo mais abaixo na última linha que riscava o horizonte daquela tarde

16.04.2014 - SIGILISUTTAM - Discurso sobre Isigili

SIGILISUTTAM - Discurso sobre Isigili

16.04.2014 - EU, A CIDADE E O RIO PARNAÍBA

E também me trouxe muitas recordações, que ainda me trazem acridoces saudades. Muitas evoquei em meus “Tempos Ribeirenses”, em que narrei alguns fatos de minha vida profissional, literária e social, todos ligados à encantadora urbe.

LABORATÓRIO DE REDAÇÃO PROF. DÍLSON LAGES
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br