Dilson Lages Monteiro Segunda-feira, 25 de maio de 2015
CRÔNICA DE SEMPRE - ROGEL SAMUEL
Rogel Samuel (atualização diária)
Tamanho da letra A +A

Dia da consciência negra: Cruz e Sousa

No dia da consciência negra me debruço a ler o nosso poeta maior, nos sons desses violões. A sonoridade é perfeita, e se ouvem os violões em "velhos vórtices velozes dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas".

Quando os sons dos violões vão soluçando,

Quando os sons dos violões nas cordas gemem,

 

Seus versos expõem os  "oens", lamentos mornos, soluços murmurantes:

 

Ah! plangentes violões dormentes, mornos,

Soluços ao luar, choros ao vento…

Tristes perfis, os mais vagos contornos,

Bocas murmurejantes de lamento.

 

O poeta negro é sofisticadíssimo. Compete com os melhores seus iguais poetas simbolistas franceses. Sabia francês, latim, grego, matemática. Combateu a escravidão – era filho de escravos. Sofreu preconceito racial quando quis ser promotor. Trabalhou na Central do Brasil.

Seus quatro filhos morreram de tuberculose, e ele também.  Ele é o poeta da angústia metafísica, das nuances.   E nada mais Brasil do que esses violões.

 

Noites de além, remotas, que eu recordo,

Noites da solidão, noites remotas

Que nos azuis da Fantasia bordo,

Vou constelando de visões ignotas.

Sutis palpitações a luz da lua,

Anseio dos momentos mais saudosos,

Quando lá choram na deserta rua

As cordas vivas dos violões chorosos.

Quando os sons dos violões vão soluçando,

Quando os sons dos violões nas cordas gemem,

E vão dilacerando e deliciando,

Rasgando as almas que nas sombras tremem.

Harmonias que pungem, que laceram,

Dedos Nervosos e ágeis que percorrem

Cordas e um mundo de dolências geram,

Gemidos, prantos, que no espaço morrem

 

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

24.05.2015 - porta calada (rogel samuel)

24.05.2015 - No Ibrahim Sued

22.05.2015 - Despertar paredes brancas (rogel samuel)

22.05.2015 - LUZ DE MAIO

19.05.2015 - Terremoto de Nepal pone de Relieve los Peligros de las Represas en el Tíbet

17.05.2015 - Felicidade não se compra, mas certamente se treina

13.05.2015 - O DNA do passado

11.05.2015 - Coluna quinzenal de Rogel Samuel

10.05.2015 - LUIS ALBERTO WARAT

10.05.2015 - A escondida

09.05.2015 - SONETO DE PEQUIM

08.05.2015 - Na rua Quintino Cunha

06.05.2015 - O AMANTE DAS AMAZONAS

04.05.2015 - AJUDE O NEPAL

03.05.2015 - No bar

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

24.05.2015 - porta calada (rogel samuel)

porta calada (rogel samuel)

24.05.2015 - HOJE ME DERAM DE LEMBRANÇA: poema de Jefferson Bessa

POEMA

24.05.2015 - CELSO BARROS – TEMPO E MEMÓRIAS POLÍTICAS

Além de ter muito que contar, soube fazê-lo em diamantino e lapidar estilo, de frases elegantes, contudo concisas e claras, em que a beleza muitas vezes se reveste de genuína simplicidade.

24.05.2015 - No Ibrahim Sued

No Ibrahim Sued

24.05.2015 - Na mesma situação do velho Lima

Não sei se o leitor

23.05.2015 - Resenha para "O enigma do automóvel de prata" de Ronnie Wells (Jeronymo Monteiro)

Um dos grandes da ficção fantástica e de aventuras do Brasil, Jeronymo Monteiro deixou copiosa obra.

23.05.2015 - Variações em solo dum rio desta aldeia

Poema de Luiz Filho de OLiveira

23.05.2015 - Mundo em desajuste

É inegável o mérito da civilização ocidental que, mais do que qualquer outra, traçou sua trajetória num mundo de “certezas” e criou valores universais, mas se revelou absolutamente incapaz de transmiti-los

23.05.2015 - Eu, a poesia, o amor e a intrusa gramática

Quando escrevo, tirando a sofrida gramática, a poesia aparece.

22.05.2015 - Despertar paredes brancas (rogel samuel)

Retomar o fio da leitura interrompida

22.05.2015 - LUZ DE MAIO

Você conhece a luz dos dias de maio?

20.05.2015 - Entrevista com Regina Madeira

Entrevista publicada em 25 de abril de 2015 no Recanto das Letras, com a escritora fluminense Regina Madeira.

19.05.2015 - Terremoto de Nepal pone de Relieve los Peligros de las Represas en el Tíbet

El desarrollo hidroeléctrico en el Tíbet está cargado de enormes riesgos por el peligro de grandes terremotos.

18.05.2015 - A PANTERA 4

Chegamos junto, chegamos a uma íngreme pedra de umas grandes árvores cercada, cingida de um pequeno e claro riacho

17.05.2015 - Felicidade não se compra, mas certamente se treina

Bem-estar é questão de prática

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br