Dilson Lages Monteiro Sexta-feira, 24 de março de 2017
CRÔNICA DE SEMPRE - ROGEL SAMUEL
Rogel Samuel (atualização diária)
Tamanho da letra A +A

O PIANO, A TARDE

  


ROGEL SAMUEL

Minha tia Maria José dispunha os frascos de perfume sobre um aparador de cor escura e tampo de mármore rosa. Os nomes insinuantes, sensuais, Tabu, Coty, Maja, poemas de amor. Ela nos recebia à tarde para servir café com brevidades. No fim de seus dias estava sempre sentada na poltrona. Não se levantava, dormia ali mesmo, o rádio ainda ligado no programa nenhum, só ruído neutro de seus sonhos de mulher solteira. Lembro-me do seu programa preferido: ' um piano ao cair da tarde' . O som não chegava em acordes completos porque o rádio era apenas um radinho RCA Victor de poucos recursos, mas ela sonhava com seus invisíveis amantes. Ao cair da tarde seu leque se misturava com o leque das cores do sol que recebia o piano, cujas valsas se alçavam no ar fino, cobriam casas e vilas. E se subíssemos pelas janelas da rua Barroso poderíamos ver os gradis da Igreja de Sta Rita e o vão escuro do que tinha sido o igarapé que anos atrás passava por ali, com suas ar aras e serpentes venenosas. Olhando-se um pouco mais acima estavam os pássaros tardios que partiam para o anoitecer de tudo, para noite do mundo, para o outro mundo, do outro lado do universo, no oceanos dos rios de nossos medos, signos e ansiedades. Os pássaros eram de um rendilhado fino e tinham nos seus bicos gotas de rubis reluzentes, mergulhavam no ouro do por do sol finalmente afastado. E um piano, ao cair da tarde.
 

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

17.03.2017 - BANDEIRAS DE FERRO

16.03.2017 - A ELIZETH

15.03.2017 - A APARIÇÃO NA ALAMEDA DE MALLARMÉ

15.03.2017 - A APARIÇÃO NA ALAMEDA DE MALLARMÉ

14.03.2017 - A água canta

13.03.2017 - Ojos de perro azul

11.03.2017 - ESCREVER

10.03.2017 - A beleza pesa como a morte

08.03.2017 - AS MULHERES

08.03.2017 - O PAPEL DA MULHER NA ESPIRITUALIDADE

06.03.2017 - O PLANTADOR DE NAUS A HAVER

05.03.2017 - OS SONHOS COMO PRINCÍPIO DAS ESPERANÇAS ÀS VEZES PERDIDAS

04.03.2017 - E SOMENTE A NOITE COMPREENDIA AS SUAS PALAVRAS

03.03.2017 - FALA INICIAL

02.03.2017 - A obra póstuma

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

23.03.2017 - Antenor Rêgo e seu dicionário de “Piauiês”

Em seu Dicionário do Piauí – a língua piauiense, de 160 páginas, estão catalogados em forma de verbetes, conforme consta na capa, o linguajar, as expressões, as sabenças, os falares, os costumes e as curiosidades de nosso povo.

22.03.2017 - AVIDEZ PELO DINHEIRO, FALTA DE ÉTICA E SOLUÇÕES VIÁVEIS PARA O BRASIL

tUDO QUE SE FEZ

20.03.2017 - A PEDRO COSTA

Dizem que ninguém é insubstituível. Tal premissa terá uma chance de se provar verdadeira, a partir de agora, com a partida prematura e inesperada de Pedro Costa, em relação aos seus empreendimentos, sonhos, anseios e desejos

19.03.2017 - Poema de Heinrich Heine

poesia

18.03.2017 - Anísio Brito

O acadêmico Reginaldo Miranda traça o perfil biográfico de um professor e historiador piauiense.

18.03.2017 - José Antonio Reguffe

A mídia pouco fala desse homem de comportamento exemplar entre os políticos!

17.03.2017 - BANDEIRAS DE FERRO

BANDEIRAS DE FERRO

16.03.2017 - A ELIZETH

A ELIZETH

16.03.2017 - No Cemitério da Ressurreição

Ao aproximar-se de mim, eu lhe disse que estava olhando minha própria sepultura.

15.03.2017 - POR QUE SÓ AGORA?

Se os políticos

15.03.2017 - A APARIÇÃO NA ALAMEDA DE MALLARMÉ

A APARIÇÃO NA ALAMEDA DE MALLARMÉ

15.03.2017 - A APARIÇÃO NA ALAMEDA DE MALLARMÉ

A APARIÇÃO NA ALAMEDA DE MALLARMÉ

14.03.2017 - Desembargador José Manuel de Freitas

O acadêmico Reginaldo Miranda traça o perfil biográfico de um importante magistrado e político piauiense.

14.03.2017 - A água canta

A água canta

13.03.2017 - Ojos de perro azul

Ojos de perro azul

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br