Dilson Lages Monteiro Sexta-feira, 23 de junho de 2017
CANTA-ARES - BRÁULIO TAVARES
Bráulio Tavares
Tamanho da letra A +A

Assum preto ou anum preto

Assum preto ou anum preto

Bráulio Tavares

Posso estar dizendo uma besteira descomunal, mas irei em frente.  Se for besteira mesmo, aparecerão dúzias de críticos e resmas de correções, o que pelo menos me impedirá de continuar repetindo a besteira velhice afora.  A besteira se refere à canção clássica de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, “Assum Preto”, com seus versos inesquecíveis: “Tudo em volta é só beleza / céu de abril e a mata em flor / mas assum preto, cego dos olhos / não vendo a luz, ai, canta de dor...”  Assum preto é o passarinho que não somente é trancado numa gaiola: furam-lhe os olhos para que ele cante de maneira mais sofrida, mais bela.  Como não lembrar dos “bluesmen” cegos do Mississipi?  Como não lembrar dos “castrati” da ópera italiana (a quem arrancavam algo talvez mais estimado do que os globos oculares)?


A história é esta.  A besteira é: existe de fato um pássaro chamado “assum”, ou “assum preto”?  Eu, pelo menos, nunca ouvi falar.  Vou logo avisando que minha ignorância de assuntos da Natureza é de proporções enciclopédicas.  Mas foi justamente nas enciclopédias que procurei essa nobre ave – e não a encontro.  Não há menção de “assum” ou “assum preto” na Wikipedia online, bem como no meu “Dicionário Houaiss”.  
 

Há, sim, menção (nessas e em várias outras fontes) a um pássaro chamado “anum preto”.  Anum, sim, eu ouço falar desde pequeno, inclusive na expressão levemente ofensiva e brincalhona “bufa de anum”, que dirigimos a uma pessoa com intenção provocativa.  Anum-preto (ou anu-preto) é um pássaro com cerca de 36 cm de comprimento, que vive em bandos, alimenta-se de insetos, e com um cheiro forte que atrai morcegos.  O saite da Embrapa (http://www.faunacps.cnpm.embrapa.br/ave/anupreto.html) refere-se assim à sua voz: “O anu-preto possui mais de uma dúzia de vozes diferentes. Tem dois pios de alarme: a um certo grito todos os componentes do bando se empoleiram em pontos bem visíveis, examinando a situação; outro grito, emitido quando um gavião se aproxima, faz desaparecer num instante no matagal todo o grupo. Eles se divertem cavaqueando baixinho, de modo bem variado, causando às vezes a impressão de estar tentando imitar a voz de outra ave.”


Eis a questão: embora ninguém se refira a um possível hábito de se engaiolar e cegar o anum-preto, não será ele o mesmo pássaro a que se refere Humberto Teixeira em sua música?  Minha teoria é que Humberto entregou a Luiz a letra manuscrita, em que se referia ao “anum preto”.  Ora, em letra manuscrita um “n” muitas vezes pode ser confundido com dois “ss”.  Já vi isto (e o vice-versa disto) acontecer mais de uma vez.  Luiz, ou alguém que o acompanhava, leu “assum” em vez de “anum”.  Humberto não quis, ou não conseguiu, corrigir o parceiro (isto acontece).  Em vez de “Anum Preto”, a canção passou a chamar-se “Assum Preto”.  E um pássaro fictício, inexistente nos dicionários e enciclopédias, enriquece hoje com seu canto a história da MPB.  Será que foi isso, ou estarei “variando”?

Compartilhar em redes sociais

Comentários (9)

Na minha região, Seabra-Ba, Chapada Diamantina, na minha infância e adolescência conheci estas duas espécies de pássaros: O ANUM (o branco e o preto) e também o PASSARO PRETO que por lá chamamos de COQUI pela entonação do seu canto, que, este último, entendo seja o verdadeiro ASSUM PRETO referido na música pela beleza do seu canto. O Anum Preto tanto referido como o Assum Preto pelos internautas é um bicho carrapateiro que voa rasteiro e é pouco apreciado pois o seu canto não é muito bonito. Já o ASSUM PRETO, que eu chamo de COQUI é um belo pássaro de cor negra, que vive no teto das árvores, canta lindamente e faz algazarra com seus parceiros nos coqueiros, nas barauneiras e outras árvores altas especialmente no amanhecer e no final de tarde, come milho e outras sementes e reproduz-se em coqueiros.

Erasmo Ferreira
postado:
04-07-2015 13:16:23

O correto é "assum preto" mesmo. Trata-se da ave Graúna, (derivado do tupi “guira-una” = ave preta) é uma ave conhecida também como chico-preto (Maranhão), arranca-milho, chupão (Mato Grosso), assum-preto, cupido, melro e pássaro-preto (São Paulo).

fabio
postado:
05-09-2014 14:32:39

passaro preto, chopim,chupão,arranca milho , melro,graúna ,assum preto, todos são o mesmo pássaro. A história de Seu Lua é verdadeira tem muita gente que faz mesmo isso. Eu sou totalmente contra, até porque quando pensar em engaiolar um passaro tente passar uma noite na cadeia e veja se é bom. Quanto mais furar-lhe os olhos ?! Não tem nada haver com anum.

inacio
postado:
26-09-2013 19:37:48

Muito tem para se observar sobre cantos das aves, como, habitat, alimentação, altura e voo, solitárias ou se vivem em bando e etc. Alguns cantos são palatáveis aos ouvidos humano, outros nem tanto. Mas estejam certos, todas tem um alto grau de comunicação, esta é a beleza com a qual temos muito a aprender, os quais a evolução preparou para viverem entre sua própria espécie, e não para satisfazer outras espécies, como a nossa, espécie humana.

Alfronter Bacchiega
postado:
13-12-2012 14:18:12

Pássaros recebem diversos nomes de região para região, (ex. Pixarro, Trinca Ferro, Bico de ferro, Boiadeiro, todos esses nomes são da mesma ave), Não sou ornitólogo, mas tenho pássaros desde os 8 anos, estou com 61. Existe duas espécies de Anus, preto e branco, ambas se alimentam exclusivamente de pequenos répteis e insetos, são comuns em rebanho de gado onde se empoleram nos animais, pecuaristas os protegem por se alimentarem dos carrapatos que infestam os animais. Tendo como base um tipo de alimentação especifica, é praticamente impossivel manter Anus em cativeiro. Os pássaros que os inescrupulosos e insanos mais tem a prática de cegar, são, pássaros pretos e sábias.

Alfronter Bacchiega
postado:
13-12-2012 13:39:58

Achei interessante essa sua informação, realmente pouco se comenta sobre esta bela ave. A música Assum Preto ficou bem maior. Os comentário são sempre sobre a sua triste sorte. Após vosso comentário, busquei no google informações e só encontrei pequenas definições, mas a imagem do Assum bate com a que eu conhecia nos meus anos de infância no município de Ipueiras CE. Repare a diferença de bico. Não posso pedir para comparar os cantos dos pássaros, pois como bem frisou, desconhece o ASSUM PRETO. Por sorte conheço os dois. Abraços

Djacir Morais
postado:
03-01-2011 18:01:01

ASSUM-PRETO, PÁSSARO TÍPICO DA REGIÃO NORDESTINA MAIS ENCONTRADO NO INTERIOR. AVE BELA E ESGUIA, COM BOCO FINO ECAUDA MEDIANA, ERA COVARDEMENTE CEGADO PELAS PESOAS QUE SÁBIAM QUE DESTA FORMA O ANIMAL NO INTUITO DE CHAMAR OUTROS DE SUA ESPÉCIE, CANTAVA MAIS, E SEU CANTAR AS VEZES TINHA OU TEM, UM AR DE PROFUNDA TRISTEZA, TALVEZ POR NÃO ENTENDER PORQUE NÃO TEM MAIS A SUA VISÃO.

ANTONIO - ECOLOGISTA
postado:
26-03-2010 04:07:28

amigo..parece que voce nao conhece o anum preto...porque se voce conhecer vai saber que ele nao canta nada...so chama e de forma muito feia...so um piado arastado parecido com um ruido de armador de rede.....hunberto conhecia muito bem os passaros da regiao..agora acho que voce naum conhece nada desses passaros...valeu ..boa noite...e aguardo respostas

weliton chaves
postado:
10-03-2010 21:22:26

Você deve estar certo. Fora dessa canção, jamais ouvi falar no assum, preto ou de outra cor. Abraços

Miguel Carqueija
postado:
22-01-2010 15:44:40

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

16.06.2017 - Ariano e a estética do Não Foi Bem Assim

22.05.2017 - As formas simples

24.04.2017 - Dez verdades inteiras e uma mentira parcial

17.04.2017 - A palavra editor

30.03.2017 - A arte de escrever difícil

09.02.2017 - Os romances emprestados

05.01.2017 - Como enrolar o leitor

11.12.2016 - O dia em que John Lennon morreu

28.11.2016 - Uma vez numa terra remota

06.10.2016 - Filme de ilha, de trem, de tesouro

07.09.2016 - A arte de reescrever o passado

16.08.2016 - A arte de intitular um livro

16.07.2016 - Os leitores de Edgar Wallace

30.06.2016 - Um "Divertimento" de Cortázar

14.06.2016 - 15 escritores

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

21.06.2017 - Uma tarde na Fazenda Não me Deixes

Uma tarde na Fazenda Não me Deixes

20.06.2017 - ROGEL SAMUEL: BREVE MANUAL DE DIDÁTICA GERAL

Por que a didática geral?

19.06.2017 - Vozes da ribanceira

O autor escreve sobre o romance Vozes da ribanceira, do acadêmico Oton Lustosa.

19.06.2017 - Psycho Pass episódio 6: Akane confronta a crueldade humana

Prosseguindo a guia de episódios do seriado de ficção científica "Psycho Pass" chegamos ao chocante sexto episódio, onde Akane enfrenta uma esquartejadora.

19.06.2017 - Lançamento em Parnaíba de Histórias de Évora e A Menina do Bico de Ouro

O SESC convida para o lançamento de Histórias de Évora e A Menina do Bico de Ouro em Parnaíba

18.06.2017 - A REGRA E AS EXCEÇÕES

Alguém, de forma

16.06.2017 - Cruzando os Mares

A Bordo de um Cargueiro

16.06.2017 - Ariano e a estética do Não Foi Bem Assim

Essas coisas são inventadas por heróis picarescos, gente que para fugir da fome tem que remar o dia todo, a vida inteira.

16.06.2017 - Livros e raparigas

Um dia destes, em conversa com a mulher de um jornalista, escritor e (grande) tradutor brasileiro, falávamos de Os Desastres de Sofia e da famosa colecção Biblioteca das Raparigas

16.06.2017 - A gênese de nossa criação literária

A base de nossa criação literária fundamenta-se, portanto, na tentativa de fundir memória, imagem e sensação.

15.06.2017 - HOJE É CORPUS CHRISTI, SIM, SENHOR

Muita gente

15.06.2017 - DOCES FANTASMAS

Doces fantasmas esvoaçam os ares dentro de meu quarto.

14.06.2017 - Miranda, uma família pioneira no povoamento do Piauí.

O autor divulga notas sobre as origens da família Miranda, no Piauí.

13.06.2017 - Literatura piauiense

Na apresentação do livro de Francisco Miguel de Moura, Reginaldo Miranda faz análise da literatura piauiense.

13.06.2017 - Da arte do sol

Da arte do sol

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br