Dilson Lages Monteiro Domingo, 21 de setembro de 2014
CANTA-ARES - BRÁULIO TAVARES
Bráulio Tavares
Tamanho da letra A +A

Guy de Maupassant

Guy de Maupassant

[Bráulio Tavares]

Nossa formação literária se deve muito aos livros que nos caem nas mãos por acaso no momento certo. Quem quiser diga que o maior contista do mundo é Tchecov ou Hemingway ou qualquer outro: para mim é Guy de Maupassant, que conheci aos dez anos através da antologia Histórias Eternas (Cultrix, 1959), cheia de contos realistas, fantásticos, satíricos, românticos, tenebrosos, sentimentais, maliciosos, cruéis.  Suas histórias mais famosas são Bola de Sebo (que inspirou desde a canção “Jenny e os Piratas” de Brecht até o filme No Tempo das Diligências de John Ford), “O Horla” (uma das mais arrepiantes histórias de monstros invisíveis) e o romance Bel-Ami (sobre o jornalismo e a vida mundana de Paris).

 
A mãe de Maupassant era amiga de infância de Flaubert. Os dois se adoravam, e o jovem escritor foi apadrinhado com entusiasmo pelo autor de Salambô.  Com o mestre, GdM aprendeu a ser o que Jessier Quirino chama “um prestador de atenção”. Tem uma finura notável para sugerir, com poucos elementos, tipos humanos vívidos: uma rápida descrição visual, um diálogo, um adjetivo, e a pessoa está inteira e plausível diante de nós. Sua narrativa é ágil e jornalística (diferente do estilo pintura-a-óleo-em-grandes-dimensões do seu mestre). Maupassant é o mestre do parágrafo curto. Em duas ou três linhas ele tanto resume uma ação inesperada e complexa quanto o transcurso de dezenas de anos com tudo que trouxeram dentro de si.
 
Ficou rico publicando contos em jornais (e depois compilando-os em livros), façanha assombrosa em qualquer época. Na antologia citada, diz Ondina Ferreira no prefácio: “Foi um trabalhador infatigável: produzia num ritmo de febre. Em dez anos, espaço de tempo em que Flaubert redigia dois livros, publicou vinte e sete.”  Uma máquina-escritora comparável a Robert Silverberg, a Lester Dent, a Edgar Wallace. Certamente um autor lido e meditado por Machado de Assis, com quem só não é comparado porque tinha um temperamento diametralmente oposto.
 
A biografia Maupassant: A Lion in the Path (1949) de Francis Steegmuller, traz fatos curiosos como as amizades conflituosas de GdM com autores como Émile Zola, Henry James, Turgueniev. Episódios pitorescos sobre a intensa vida boêmia do autor nos bordéis de Paris e depois nas alcovas elegantes, disputado pelas mulheres devido ao seu (digamos) dom de resposta instantânea e de permanecer impávido durante horas a fio, em benefício da parceira. A sífilis que o levou à desorientação mental e ao hospício, onde morreu aos 43 anos. Foi o maior contista do seu século, e ainda é capaz de disputar em pé de igualdade com qualquer outro dos dois séculos seguintes.

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

11.09.2014 - Guy de Maupassant

13.08.2014 - Um autor novo

03.08.2014 - Escrever para crianças

05.07.2014 - Literatura e biografia

27.06.2014 - Mistério do futebol

25.06.2014 - Ser soldado

19.06.2014 - De onde vêm as ideias

06.06.2014 - "Histórias da VelhaTotônia"

29.05.2014 - "Quarenta dias"

07.05.2014 - O nome do celular

21.04.2014 - Bilac e o Brasil

08.04.2014 - José Wilker

28.03.2014 - 1984 de Orwell

19.03.2014 - Nosso racismo

23.02.2014 - Autores meticulosos

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

São Bernardo no olhar de Ricardo Ramos Filho


(Dê)pois, poema de Dílson Lages


Listar todos
Últimas matérias

21.09.2014 - Sobre terapias e verdades

Psicologia, Literatura e Vida - clarissavilar1@gmail.com

19.09.2014 - Governador e Prefeito de São Paulo: como explicar o assassinato do camelô?

Era de se esperar o dia fatídico

19.09.2014 - A erotização e os enigmas intertextuais na poesia de Devair Fiorotti, Ivan Junqueira e outros poetas

A intertextualidade é a marca pós-moderno.

19.09.2014 - As Faces do Erotismo na Poesia Contemporânea de Devair Fiorotti e Manoel de Barros

042

19.09.2014 - A EROTIZAÇÃO E OS ENIGMAS INTERTEXTUAIS NA POESIA DE FIOROTTI, IVAN JUNQUEIRA E OUTROS POETAS

042

18.09.2014 - As flores elétricas

A mais quente das noites

18.09.2014 - O belo Antônio

Sinopse

18.09.2014 - Um livro infantil de Bento XVI

Bento XVI mostra aqui mais uma de suas múltiplas facetas.

17.09.2014 - A Elegia Nº1 de Mauro Mota

Gesto de desespero e despedida

16.09.2014 - A opinião da Presidente Dilma Rousseff:"Há corrupção em todos os partidos"

Quando a fala de um Chefe de Estado

13.09.2014 - Enganação

A mentira do mal

13.09.2014 - CARTA-PREFÁCIO

De longe eu contemplava a pequena estação, de longa história, pois uma inscrição em suas paredes assinalava a sua construção como sendo de 1922.

12.09.2014 - A batalha contra o Reino escuro

Resenha do volume 2 do mangá de fantasia mística "Sailor Moon"

11.09.2014 - Norman McLaren

Dots, 1940

11.09.2014 - Citação & citações

Como fazer citações

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br