Dilson Lages Monteiro Sexta-feira, 23 de junho de 2017
BAQUE - GERALDO LIMA
Geraldo do Santos Matos Lima
Tamanho da letra A +A

A vida um pouco melhor

 

Por Geraldo Lima

 

A impressão que temos, a cada dia que passa, é que o tão propalado espírito de civilização não passa de miragem, de utopia, de algo realmente inatingível, tantas são as barbáries que assolam nosso cotidiano. E aqui, em terras tupiniquins, é que a coisa parece ainda pior, e a dita civilização não prospera mesmo. Porém, se olharmos com mais atenção, afastando um pouco o cipoal de pessimismo, vamos descobrir, aqui e ali, algumas ações e atitudes que nos aproximam da tão desejada cultura civilizada.

 

Aqui no Distrito Federal, por exemplo, apesar das mazelas políticas e tais, o respeito à faixa de pedestres é algo que nos deixa orgulhosos. Algo que nos dá a sensação de estarmos pisando o chão firme e confiável de uma terra de indivíduos civilizados.  Há, certamente, os infratores, os que fecham os olhos, pisam no acelerador e vão em frente, dando a mínima para o pedestre. Mas esses são repudiados veementemente pela maioria que zela por esta conquista. Vez ou outra, o passar sem atender ao pedido do pedestre é fruto da desatenção, um lapso, mas nada que não se possa entender ou perdoar.

 

O fato é que a existência das faixas de pedestres exige de nós, motoristas e pedestres, um pouco mais de atenção. E essa disciplina só pode nos fazer bem. O respeito à vida do outro nos eleva cultural e espiritualmente. Já não nos encontramos no estado natural, onde prevalece a lei do mais forte. Se vivemos na cidade, num Estado de Direito, na Civitas, como diria Spinoza, o certo é que façamos valer o sentido de preservação. Viver e deixar que se viva.

  

Parece-me que, sem dúvida alguma, a cultura do respeito à faixa de pedestres se enraizou entre nós. Hoje, por exemplo, durante um trânsito intenso numa das vias públicas de Sobradinho, uma das cidades satélites de Brasília, vi uma cena fantástica e (por que não?!) comovente. Dois cachorros chegaram junto ao meio-fio, fizeram aquela paradinha básica para dar tempo de os carros frearem e depois atravessaram, calmamente, sobre a faixa de pedestres. É isso, aqui até os cães conquistaram o direito de atravessar a rua sem serem atropelados.

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

12.03.2014 - A vida um pouco melhor

02.07.2013 - Quatro micronarrativas

30.04.2013 - Meu irmão

19.02.2013 - Comentando cenas de alguns filmes

23.01.2013 - Chuva

30.12.2012 - Paciência tem limite

16.10.2012 - De um belo e profundo mergulho na alma humana

02.09.2012 - A ponte

18.07.2012 - Numa manhã, na Esplanada dos Ministérios

11.06.2012 - Universo mental povoado por seres minúsculos

18.05.2012 - Ambientes

04.04.2012 - Silhuetas na sacada

07.03.2012 - Ao rés do chão, na urbe

02.02.2012 - Amanhã acordaremos mais tarde

06.01.2012 - Love story artigônica (sancionada por Donnizete Pitalurgh)

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

21.06.2017 - Uma tarde na Fazenda Não me Deixes

Uma tarde na Fazenda Não me Deixes

20.06.2017 - ROGEL SAMUEL: BREVE MANUAL DE DIDÁTICA GERAL

Por que a didática geral?

19.06.2017 - Vozes da ribanceira

O autor escreve sobre o romance Vozes da ribanceira, do acadêmico Oton Lustosa.

19.06.2017 - Psycho Pass episódio 6: Akane confronta a crueldade humana

Prosseguindo a guia de episódios do seriado de ficção científica "Psycho Pass" chegamos ao chocante sexto episódio, onde Akane enfrenta uma esquartejadora.

19.06.2017 - Lançamento em Parnaíba de Histórias de Évora e A Menina do Bico de Ouro

O SESC convida para o lançamento de Histórias de Évora e A Menina do Bico de Ouro em Parnaíba

18.06.2017 - A REGRA E AS EXCEÇÕES

Alguém, de forma

16.06.2017 - Cruzando os Mares

A Bordo de um Cargueiro

16.06.2017 - Ariano e a estética do Não Foi Bem Assim

Essas coisas são inventadas por heróis picarescos, gente que para fugir da fome tem que remar o dia todo, a vida inteira.

16.06.2017 - Livros e raparigas

Um dia destes, em conversa com a mulher de um jornalista, escritor e (grande) tradutor brasileiro, falávamos de Os Desastres de Sofia e da famosa colecção Biblioteca das Raparigas

16.06.2017 - A gênese de nossa criação literária

A base de nossa criação literária fundamenta-se, portanto, na tentativa de fundir memória, imagem e sensação.

15.06.2017 - HOJE É CORPUS CHRISTI, SIM, SENHOR

Muita gente

15.06.2017 - DOCES FANTASMAS

Doces fantasmas esvoaçam os ares dentro de meu quarto.

14.06.2017 - Miranda, uma família pioneira no povoamento do Piauí.

O autor divulga notas sobre as origens da família Miranda, no Piauí.

13.06.2017 - Literatura piauiense

Na apresentação do livro de Francisco Miguel de Moura, Reginaldo Miranda faz análise da literatura piauiense.

13.06.2017 - Da arte do sol

Da arte do sol

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br