Dilson Lages Monteiro Segunda-feira, 24 de abril de 2017
ANEXOS DA REALIDADE - MIGUEL CARQUEIJA
Miguel Carqueija
Tamanho da letra A +A

Chapolin Colorado, o super-herói mexicano

(Miguel Carqueija)

 

Não contavam com a minha astúcia!

 

CHAPOLIN COLORADO, O SUPER-HERÓI MEXICANO




    Criado nos anos 70 pelo genial Roberto Gomes Bolaños (o mesmo criador do Chaves e do Chespirito), Chapolin tornou-se popularíssimo, inclusive no Brasil, e seu seriado de televisão até hoje é exibido. Incursionou também pelos quadrinhos e apareceu num filme de longa-metragem.
    Com seu aspecto de inseto — o uniforme vermelho com uma capa que faz lembrar asas de besouro, além das anteninhas — Chapolin completa o seu visual com a famosa “marreta biônica”, que a gente está vendo ser de borracha.
    É, com certeza, uma sátira aos super-heróis norte-americanos da DC e da Marvel. Chapolin, que o próprio Bolaños interpreta, é um herói hilário: confuso, medroso, desastrado. Apesar disso ele conta vantagens e é cheio de bordões: “Não contavam com a minha astúcia!”, “Todos os meus movimentos são friamente calculados”, “Sigam-me os bons!”, “Palma, palma, não priemos cânico” (querendo dizer: “Calma, calma, não criemos pânico”), “Se aproveitam da minha nobreza” e “Suspeitei desde o início”.
    Ninguém jamais explicou onde o Chapolin mora ou como ele surgiu. Ele aparece onde é necessário, por materialização instantânea, bastando que alguém fale em tom patético: “Oh! E agora? Quem poderá me ajudar?” (ou “nos ajudar”, ou “me defender”, ou “nos defender”). Aí ele aparece gritando “Eu!” e a pessoa replica entusiasmada: “O Chapolin Colorado!” (como se fosse grande coisa). Invariavelmente o Chapolin acrescenta: “Não contavam com a minha astúcia!”
    Outro poder que o Chapolin tem é o das anteninhas captadoras. E ainda dispõe das pílulas encolhedoras, com as quais reduz por alguns minutos o seu próprio tamanho, o que lhe facilita as investigações.
    Aparecem outros personagens na série. Um aliado ocasional é o presumido “Super Sam” (paródia do Tio Sam). Entre os inimigos, o Racha-Cuca e o Tripa Seca (bandidos do faroeste) e o pirata Alma Negra. Desconfio que o Racha Cuca e o Tripa Seca sejam o mesmo personagem, por conta de diferenças de tradução, já que ambos são interpretados pelo magérrimo Ramón Valdez (o mesmo que faz o Seu Madruga em “Chaves”).
    Chapolin é, também, intemporal: materializa-se em diversas épocas, como no Velho Oeste, no tempo dos piratas e na II Guerra Mundial.

 

Compartilhar em redes sociais

Comentários (1)

Ele tem outros super poderes, tem uma super força que só aparece de forma itermitente e aparentemente não é nem controlado pelo Próprio Chapolin, Ele tem o poderoso golpe da Mula Voadora, e tem um golpe voador, digno de superman, O Da Chifrada de Bode, que mostrou sua eficiência no episódio na China. Tem uma coisa que poucos sabem, Ele é formado em história mundial Pela Universidade de Harvard, Pós Doutor em Antropologia, Dai sua notória habilidade e verdadeiro conhecimento comprovado por alguns episódios, fazendo relações com a vida cotidiana e fazendo qualquer ser com intelecto superior a o de um cachorro refletir e desistir de seus erros, sem usar a violência, como fazem outros super heróis pelo mundo. Ele tem um poderoso reflexo, provavelmente vindo de suas antenas de vinil, não se sabe ao certo, pois ele consegue desviar de balas sem ter medo, e nunca foi acertado em nenhum episódio, no episódio do cachorrinho, onde ele desvia de 6 balas, o cara que atira é um Exímio atirador, que Serviu na Segunda guerra, condecorado por matar 325, inimigos com uma metralhadora velha e exatos 330 cartuchos, depois deste feito, ele usou as 5 balas restantes para fazer uma fogueira, entretanto ele ficou maluco depois disso e fez o que fez. Ainda existem muito mistérios sobre nosso heróis. Atenciosamente LEIOR MAGRI.

leior magri
postado:
12-12-2012 18:30:04

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

23.04.2017 - Também existe fascismo na esquerda

12.04.2017 - Psycho Pass 5: surge o grande vilão

10.04.2017 - Não à ideologia de gênero

02.04.2017 - O Papa e o Anticristo

31.03.2017 - Uma lágrima de mulher

28.03.2017 - Anti-homenagem

18.03.2017 - José Antonio Reguffe

08.03.2017 - CATARINA DE SIENA

04.03.2017 - Fantoches de Deus: fraquíssimo romance de Morris West

26.02.2017 - Carta à Tribuna da Imprensa, 22/7/1998

18.02.2017 - As memórias de Cunha e Silva Filho

16.02.2017 - A Filha da Floresta, de Thales Andrade

08.02.2017 - Psycho Pass episódio 4: Akane no mundo virtual

31.01.2017 - O farol de Virginia Woolf

24.01.2017 - O clichê da criança monstro

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

23.04.2017 - A retrospectiva das horas

A retrospectiva das horas

23.04.2017 - O começo do mundo e as sete cidades de pedra

O começo do mundo e as sete cidades de pedra

23.04.2017 - O adeus a Gomes Campos

o autor divulga texto escrito e publicado na imprensa, quando do falecimento do dramaturgo Gomes Campos, um importante intelectual piauiense.

23.04.2017 - Também existe fascismo na esquerda

Quem tem telhado de vidro não joga pedra no do vizinho.

23.04.2017 - A SABEDORIA DO ANDAR

A SABEDORIA DO ANDAR

22.04.2017 - O povoamento do Piauí

O autor faz análise crítica sobre obra historiográfica e sobre a colonização do Piauí

22.04.2017 - Poesia de Hoje

Versos Atuais.

22.04.2017 - O BRASIL QUE VIRÁ

O BRASIL QUE VIRÁ

21.04.2017 - C@ARTA AO POETA CHICO MIGUEL

Diria que o amigo é um poeta do coração e da razão, no perfeito equilíbrio dessas duas vertentes.

21.04.2017 - SOMOS MEMBROS UNS DOS OUTROS

Isto é citado por Laín Entralgo

20.04.2017 - MEUS MORTOS HÃO DE VIR NO FIM DA TARDE

Só dá para ler este belo texto quem o situa na Manaus da década de 50

20.04.2017 - E O CONGRESSO?

Oh, Amigos, não esqueçamos o futuro Congresso.

19.04.2017 - SER BUDISTA

Quando o queriam reprovar, diziam que ele era budista.

18.04.2017 - POR QUE KAFKA ESCREVIA EM ALEMÃO?

POR QUE KAFKA ESCREVIA EM ALEMÃO?

18.04.2017 - CONFLUÊNCIA

CONFLUÊNCIA

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br