Dilson Lages Monteiro Terça-feira, 27 de junho de 2017
ANEXOS DA REALIDADE - MIGUEL CARQUEIJA
Miguel Carqueija
Tamanho da letra A +A

Um livro infantil de Irá Rodrigues

Um livro infantil de Irá Rodrigues

 


UM LIVRO INFANTIL DE IRÁ RODRIGUES
Miguel Carqueija



Resenha de “A menina que sonhava em voar”, de Irá Rodrigues. Editora Gregory, São Paulo-SP, 2016. Capa de Ramon Alvarenga. Prefácio: Miguel Carqueija.

Sou suspeito para falar desse livro, pois o prefaciei. Entretanto posso garantir que é um dos mais extensos livros infantis que já li: são aproximadamente 90 páginas com letras miúdas e sem ilustrações, afora algumas bem pequenas, nas margens.
Irá Rodrigues (Iraci) não é uma ilustre desconhecida. Membro da Academos Brasileira de Letras de Araraquara (SP) e da Academis de Artes e Cultura de Minas Gerais, geógrafa, e tendo um livro publicado em Portugal (Sonhar sem segredos), é escritora atuante e especialista em letras infantis.
O amor de Irá pelas crianças e pela natureza está bem presente nesta novela que gira em torno de uma menina paralítica, que passa a vida em cadeira de rodas: Aninha, órfã de pai e que vive numa região inóspita do Cerrado, com a mãe, avós e tio. A escola era distante e ela não frequentava, pela dificuldade de transporte e também porque, quando iam à vila, crianças e adultos falavam mal dela. O preconceito era forte, o crime de Aninha era ser paralítica.
Entretanto a situação muda radicalmente quando Aninha e sua mãe vão morar com um primo, o seu Quinzinho, que vivia em outro lugarejo; lá o ambiente era muito diferente, a menina não sofria “bullying” e era aceita normalmente pelos colegas.
A história poderia ser só isso com alguns toques de ecologia mas também penetra no surreal. Por vezes, animais (como um macaco) falam com as pessoas, como se fosse a coisa mais normal do mundo, mas é nos sonhos de Ana que acontecem os eventos mais extraordinários. Por exemplo, viajar com Quinzinho numa cadeira voadora. Aninha se preocupa por não ter avisado a mãe, e ele a tranquiliza:
“Certamente alguém vai nos ver voando numa cadeira e logo os jornais e a televisão vão noticiar achando que somos um disco voador com duas ou seis rodas. Isso se puderem enxergar as nossas pernas, também.”
O desejo de Aninha de poder ir além da cadeira de rodas e até voar, livre como os pássaros, com quem ela conversava, realiza-se à noite nos seus sonhos que, de tão nítidos, compensam a deficiência que se torna presente nas horas de vigília.
E assim a novela passa a bela mensagem de que ser feliz é mais uma atitude interior que fatores externos. E que é possível ser feliz mesmo em meio a adversidades como a deficiência física.

Rio de Janeiro, 21 a 23 de fevereiro de 2017.
Miguel Carqueija

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

19.06.2017 - Psycho Pass episódio 6: Akane confronta a crueldade humana

08.06.2017 - "Jovem e inocente": nova pilbeam

25.05.2017 - A enigmática Etrúria

22.05.2017 - Um livro infantil de Irá Rodrigues

13.05.2017 - Nossa Senhora de Fátima

10.05.2017 - Temer não é golpista

01.05.2017 - Fábula e Ficção Científica

23.04.2017 - Também existe fascismo na esquerda

12.04.2017 - Psycho Pass 5: surge o grande vilão

10.04.2017 - Não à ideologia de gênero

02.04.2017 - O Papa e o Anticristo

31.03.2017 - Uma lágrima de mulher

28.03.2017 - Anti-homenagem

18.03.2017 - José Antonio Reguffe

08.03.2017 - CATARINA DE SIENA

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

27.06.2017 - Consciência de Classe - György Lukács - Capítulo V

Consciência de Classe - György Lukács - Capítulo V

25.06.2017 - Histórias de Évora em dois bilhetes internéticos

vc me fez reviver um passado bem parecido, cheio de brincadeiras, namoricos, cachaçadas, festas, incursões aos saudosos lupanares e demais entretenimentos de nossos tempos de antanho.

25.06.2017 - A DIMENSÃO DO MAR

A DIMENSÃO DO MAR

24.06.2017 - Encontro com Sophia de Mello Breyner

Encontro com Sophia de Mello Breyner

23.06.2017 - ONDE LOCALIZAR A CRISE BRASILEIRA?

Fala-se, em toda

21.06.2017 - Uma tarde na Fazenda Não me Deixes

Uma tarde na Fazenda Não me Deixes

20.06.2017 - ROGEL SAMUEL: BREVE MANUAL DE DIDÁTICA GERAL

Por que a didática geral?

19.06.2017 - Vozes da ribanceira

O autor escreve sobre o romance Vozes da ribanceira, do acadêmico Oton Lustosa.

19.06.2017 - Psycho Pass episódio 6: Akane confronta a crueldade humana

Prosseguindo a guia de episódios do seriado de ficção científica "Psycho Pass" chegamos ao chocante sexto episódio, onde Akane enfrenta uma esquartejadora.

19.06.2017 - Lançamento em Parnaíba de Histórias de Évora e A Menina do Bico de Ouro

O SESC convida para o lançamento de Histórias de Évora e A Menina do Bico de Ouro em Parnaíba

18.06.2017 - A REGRA E AS EXCEÇÕES

Alguém, de forma

16.06.2017 - Cruzando os Mares

A Bordo de um Cargueiro

16.06.2017 - Ariano e a estética do Não Foi Bem Assim

Essas coisas são inventadas por heróis picarescos, gente que para fugir da fome tem que remar o dia todo, a vida inteira.

16.06.2017 - Livros e raparigas

Um dia destes, em conversa com a mulher de um jornalista, escritor e (grande) tradutor brasileiro, falávamos de Os Desastres de Sofia e da famosa colecção Biblioteca das Raparigas

16.06.2017 - A gênese de nossa criação literária

A base de nossa criação literária fundamenta-se, portanto, na tentativa de fundir memória, imagem e sensação.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br