Dilson Lages Monteiro Domingo, 23 de abril de 2017
ANEXOS DA REALIDADE - MIGUEL CARQUEIJA
Miguel Carqueija
Tamanho da letra A +A

José Antonio Reguffe

José Antonio Reguffe

 Numa hora tétrica para a nação brasileira, com os cinco poderes da União se digladiando, acusações para tudo quanto é lado, prisões, processos, denúncias, greves, passeatas, manifestações exacerbadas, o povo brasileiro desiludido com os políticos, está na hora de conhecer um pouco mais o Senador José Antonio Reguffe, do DF, sem partido, que antes foi deputado regional e depois federal e vem obtendo expressivas votações apesar de a grande mídia tudo fazer para ignorá-lo.


"O senador baseia as campanhas eleitorais pautadas em demonstrar à sociedade que é possível se exercer um mandato parlamentar sem a necessidade de se utilizar das regalias e boa parte dos recursos públicos concedidos pelo Estado e que saem do bolso da população brasileira." (do blog de Kleber Karpov)

Reguffe tornou-se conhecido por recusar mordomias, isso desde deputado. Como senador ele repetiu a dose, como se vê: reduziu o número de assessores de 55 para 12 (se todos os 79 senadores fizessem isso, imaginem a economia); recusou 100% da verba indenizatória (mordomias); carro oficial e motorista; plano de saúde para ele e sua família (e isso é vitalício!); aposentadoria parlamentar.
E o fez de maneira irrevogável, de modo que não pode voltar atrás.
Não contando as despesas com assessores, calcula-se em 17 milhões por mês o que o Estado economiza com sua atitude, mostrando que o país iria sim melhorar, se esse admirável exemplo fosse seguido por todos os parlamentares.

Reguffe propõe o fim da reeleição para cargo executivo; uma única reeleição possível para cargo legislativo; fim do voto obrigatório e da obrigatoriedade de candidatos de se filiarem a um partido. Proibição de doações particulares para campanhas políticas.

Reguffe provavelmente é odiado pela maioria de seus pares.

Não sei se ele pretende se candidatar à Presidência da República, mas em princípio eu votaria nele. Esse exemplo tem que vencer na política brasileira. Chega de sugarem o país, não é? Enquanto o povão vive na miséria e na dívida.

Que melhor prova da honestidade de um político que a recusa das mordomias?

 

imagem da internet

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

12.04.2017 - Psycho Pass 5: surge o grande vilão

10.04.2017 - Não à ideologia de gênero

02.04.2017 - O Papa e o Anticristo

31.03.2017 - Uma lágrima de mulher

28.03.2017 - Anti-homenagem

18.03.2017 - José Antonio Reguffe

08.03.2017 - CATARINA DE SIENA

04.03.2017 - Fantoches de Deus: fraquíssimo romance de Morris West

26.02.2017 - Carta à Tribuna da Imprensa, 22/7/1998

18.02.2017 - As memórias de Cunha e Silva Filho

16.02.2017 - A Filha da Floresta, de Thales Andrade

08.02.2017 - Psycho Pass episódio 4: Akane no mundo virtual

31.01.2017 - O farol de Virginia Woolf

24.01.2017 - O clichê da criança monstro

19.01.2017 - A verdade sobre a II Guerra Mundial

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

22.04.2017 - O povoamento do Piauí

O autor faz análise crítica sobre obra historiográfica e sobre a colonização do Piauí

22.04.2017 - Poesia de Hoje

Versos Atuais.

22.04.2017 - O BRASIL QUE VIRÁ

O BRASIL QUE VIRÁ

21.04.2017 - C@ARTA AO POETA CHICO MIGUEL

Diria que o amigo é um poeta do coração e da razão, no perfeito equilíbrio dessas duas vertentes.

21.04.2017 - SOMOS MEMBROS UNS DOS OUTROS

Isto é citado por Laín Entralgo

20.04.2017 - MEUS MORTOS HÃO DE VIR NO FIM DA TARDE

Só dá para ler este belo texto quem o situa na Manaus da década de 50

20.04.2017 - E O CONGRESSO?

Oh, Amigos, não esqueçamos o futuro Congresso.

19.04.2017 - SER BUDISTA

Quando o queriam reprovar, diziam que ele era budista.

18.04.2017 - POR QUE KAFKA ESCREVIA EM ALEMÃO?

POR QUE KAFKA ESCREVIA EM ALEMÃO?

18.04.2017 - CONFLUÊNCIA

CONFLUÊNCIA

18.04.2017 - Sobre a liberdade

Sobre a liberdade

17.04.2017 - A palavra editor

É uma das palavras mais ambíguas do nosso mercado literário

16.04.2017 - Auto de Natal em Copacabana

Auto de Natal em Copacabana

15.04.2017 - A MÁSCARA DE CRISTO

Impossível saber se era moreno como um palestino

15.04.2017 - Poesia atual

Plataforma Póetica Popular

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br