Dilson Lages Monteiro Terça-feira, 30 de maio de 2017
ANEXOS DA REALIDADE - MIGUEL CARQUEIJA
Miguel Carqueija
Tamanho da letra A +A

CATARINA DE SIENA

CATARINA DE SIENA

 CATARINA DE SIENA

Miguel Carqueija

 

            Uma das maiores santas da história da Igreja Católica, Catarina de Siena (1347-1380), italiana de Siena, foi uma verdadeira profetiza do século XIV e mesmo tendo vivido poucos anos, deixou importante obra literária — foi uma filósofa escolástica e teóloga — e o Papa Paulo VI a declarou Doutora da Igreja em 3 de outubro de 1970. Dentre suas obras, o Diálogo da Providência Divina e quase 400 cartas conservadas. Entretanto Catarina não sabia escrever: ela ditava os seus textos.

            Seu confessor era o Beato Raimundo de Cápua e Catarina exerceu grande influência em seu país e sua época, chegando a pacificar conflitos.

            O grande fato de sua curta e fecunda existência, porém, refere-se a uma grande crise que a Igreja atravessou durante setenta anos, o chamado Cativeiro de Avinhão. Foi o exílio do papa em Avinhão, na França, por consequência de injunções políticas que tornaram o Sumo Pontífice quase num prisioneiro da monarquia francesa. Enquanto isso o Vaticano caía no abandono.

            Quado resolveu agir, num caso que envolvia o destino do povo católico, Catarina dirigiu-se a Avinhão e falou diretamente com Gregório XI, o papa então vigente, e a quem ela costumava escrever. Era a santa uma jovem mulher de aproximadamente trinta anos, membro da Ordem Terceira dos Pregadores, muito prestigiada na Itália pelos seus esforços em prol dos pobres e por sua segura doutrina. Agora, quiçá sem dar conta, ela iria mostrar ao mundo o poder de uma mulher decidida, mesmo em circunstâncias terríveis.

            Deus, em seus misteriosos desígnios, permitira um longo período de angústia para a sua Igreja. O constrangedor cerceamento do Papado em Avinhão começara bem antes de Santa Catarina nascer; a Igreja mergulhava num caos sem precedentes e o Papa Gregório não se dispunha a reagir, pois nem todos os pontífices são pessoas de caráter forte. Ao Rei da França era conveniente a sua presença...

            Não percamos de vista que lá havia a corte real, com toda a carga de luxúria e pecado que costumava acompanhar esses ambientes.

            Catarina de Siena era uma profetisa, isto é, no sentido mais lato, uma pessoa que falava em nome de Deus. E o que ela disse na ocasião a Gregório XI foi terrível:

            “Santidade, volte para Roma. Aqui eu estou sentindo o odor fétido do inferno.”

            Sabe-se que Gregório XI ainda hesitou, indeciso sobre como deveria agir, o que deveria fazer. E Catarina então falou uma coisa que só uma santa ousaria dizer ao papa:

            “Seja homem!”

            A História atesta que Gregório XI arrumou os seus pertences e retornou a Roma.

            O longo cativeiro dos papas em Avinhão chegara ao fim, graças à decidida ação desta mulher extraordinária.

 

Rio de Janeiro, 8 de março de 2017.

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

25.05.2017 - A enigmática Etrúria

22.05.2017 - Um livro infantil de Irá Rodrigues

13.05.2017 - Nossa Senhora de Fátima

10.05.2017 - Temer não é golpista

01.05.2017 - Fábula e Ficção Científica

23.04.2017 - Também existe fascismo na esquerda

12.04.2017 - Psycho Pass 5: surge o grande vilão

10.04.2017 - Não à ideologia de gênero

02.04.2017 - O Papa e o Anticristo

31.03.2017 - Uma lágrima de mulher

28.03.2017 - Anti-homenagem

18.03.2017 - José Antonio Reguffe

08.03.2017 - CATARINA DE SIENA

04.03.2017 - Fantoches de Deus: fraquíssimo romance de Morris West

26.02.2017 - Carta à Tribuna da Imprensa, 22/7/1998

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

29.05.2017 - Eleição Direta é Golpe

Para esses oportunistas golpe tem dois pesos e duas medidas

28.05.2017 - Incursão à Fazenda Bom Gosto (Século XVIII)

Incursão à Fazenda Bom Gosto (Século XVIII)

28.05.2017 - Versos de Moradora no Harém

Poetisa Amante

28.05.2017 - Palmas para o Tocantins

O autor discorre sobre participação piauiense na Feira Literária Internacional do Tocantins (FLIT), realizada em julho de 2011.

27.05.2017 - A questão da pós-verdade e suas consquências danosas à ética individual e coletiva do mundo globalizado.

O tema escolhido

27.05.2017 - Feitosa, dos Inhamuns

O acadêmico Reginaldo Miranda analisa a obra genealógica do escritor Aécio Feitosa, que escreve sobre a importante família Feitosa, dos Inhamuns.

26.05.2017 - ROGEL SAMUEL: TEORIA DA CRISE

ROGEL SAMUEL: TEORIA DA CRISE

26.05.2017 - POEMA 'ÁGUA FRIA'

poesia

26.05.2017 - O RIO NEGRO

O RIO NEGRO

25.05.2017 - Teresina

O acadêmico Reginaldo Miranda escreve sobre a cidade de Teresina, capital do Piauí, por ocasião da outorga da Comenda Conselheiro Saraiva.

25.05.2017 - A enigmática Etrúria

Desprezada por muitos leitores, a Arqueologia é uma Ciência que vale a pena ser estudada pelos leigos, pois se revela muito interessante.

25.05.2017 - EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

24.05.2017 - O dia em que saí no Ibrahim Sued

Era a sexta-feira do dia 17 de maio de 1985

23.05.2017 - UM AMIGO DE INFÂNCIA

No dia seguinte ao da mudança para a nossa pequena casa dos Campos, em Parnaíba, em 1896, toda ela cheirando ainda a cal

23.05.2017 - Fraternidade Espiritualista Universalista

Em pleno cerrado de Goiás...

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br